UOL Carros
 
27/02/2009 - 13h49

Opel estuda separação da GM para levantar 3,3 bi de euros; Daimler pode ser compradora

Da redação, com agências internacionais
A montadora alemã Opel, braço local da GM, tem necessidades financeiras no valor de 3,3 bilhões de euros (US$ 4,158 bilhões ou quase R$ 10 bilhões) e para levantar o valor cogita fortemente se separar de sua matriz americana e vender a fábrica instalada em Eisenach, que produz o Corsa europeu, à Daimler, fabricantes dos Mercedes-Benz, informa a imprensa especializada europeia.

SIM, NÓS PODEMOS

  • Arne Dedert/EFE

    Operário de fábrica mostra cartaz parafraseando lema da campanha da Obama, para defender emancipação da Opel/Vauxhall da matriz GM

De acordo com a EFE, após uma reunião de urgência do conselho de vigilância da Opel em Rüsselsheim, o diretor da General Motors Europa, Carl-Peter Forster, afirmou que a companhia apresentará na segunda-feira o plano de futuro para o governo alemão, que colocou o desmembramento como condição para conceder o resgate à empresa.

A diretoria da Opel vê o futuro da empresa alemã em uma unidade de negócio independente, declarou Forster, que disse que as necessidades de capital de uma nova empresa europeia Opel/Vauxhall, sem a insolvente General Motors, são de 3,3 bilhões de euros, afirma Forster.

De toda forma, segundo o jornal alemão "Frankfurter Allgemeine Zeitung", a matriz planeja permanecer com 30% das ações de uma futura Opel independente.

O executivo alemão disse que a Opel teve lucro até a metade do ano passado, mas que agora está em uma situação muito difícil por causa da crise do mercado automobilístico e das dificuldades que atravessa a matriz.

Alguns analistas consideram que a única possibilidade de sobrevivência para a Opel é se separar da americana General Motors, que anunciou recentemente que deseja cortar maciçamente empregos na Europa.

Mesmo com a separação, Forster afirmou que a Opel quer permanecer como parte do consórcio General Motors como uma sociedade europeia independente para se beneficiar do acesso à tecnologia.

Além disso, a empresa estaria aberta a investimentos de terceiras partes.

Anteriormente, o ministro de Economia da Alemanha, Karl-Theodor zu Guttenberg, se mostrou cético com relação à separação da matriz, opção preferida pela diretoria e pelo conselho de supervisão da companhia.

A Opel tem quatro fábricas na Alemanha. Além disso, está presente na Bélgica, na Inglaterra, na Polônia e na Espanha.

CARROS PEQUENOS
Quanto à possibilidade de compra da Opel pela Daimler, um dos membros do conselho diretor da empresa alemã afirmou que a operação não está programada e que o mesmo valia para qualquer rumor de aquisição da Volvo ou da Saab. De toda forma, fontes na indústria automobilística afirmam que a Opel poderia dar ao grupo Daimler a experiência na construção de carros pequenos. Atualmente, a fabricante dos Mercedes-Benz tem prejuízos de 7 bilhões de euros (R$ 21 bilhões) na construção dos modelos Classe A e Smart, segundo a agência Automotive News Europe.

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES