UOL Carros
 
23/01/2009 - 18h53

Indiana Mahindra sonha em ameaçar sedãs com multiuso Xylo

Da Auto Press
A Mahindra se aventura pela primeira vez no mercado de automóveis de passeio com o Xylo. A fabricante indiana de jipes e picapes classifica o novo modelo como um veículo de múltiplo uso, ou MPV (Multi-purpose Vehicle, na sigla em inglês). Sem disfarçar seus ambiciosos planos para o Xylo, a Mahindra afirma que ele representa uma séria ameaça à era dos sedãs. E ainda garante que o novo automóvel deverá chegar a outros mercados mundiais, inclusive ao Brasil, onde o desembarque já está previsto para o segundo semestre desse ano. Por aqui, em uma segunda fase, o veículo poderá ainda ser produzido em Manaus pela Bramont, que desde janeiro de 2008 já monta os modelos Scorpio nas versões picape de cabine simples, dupla e utilitário esportivo. Durante todo o ano passado, foram vendidas 270 unidades da linha de utilitários indianos "made in Brazil".

Fabricado em Nashik, na Índia, o Xylo possui uma carroceria de dois volumes, que foge do perfil habitual dos monovolumes. A grande altura do veículo, de 1,89 metro, combinada à distância ao solo de 18,6 cm e aos estribos, remete aos utilitários esportivos. O comprimento de 4,52 m, com distância entre-eixos de 2,76 m e a largura de 1,85 m, possibilita um arranjo interno em três fileiras. Estarão disponíveis duas versões, uma mais luxuosa, para sete passageiros, com dois assentos nas duas primeiras e um banco inteiriço na terceira, e outra para oito ocupantes.

O design do Xylo preserva alguns detalhes que caracterizam os utilitários da marca indiana, como a generosa grade frontal com grelha em forma de leque. Os amplos faróis ostentam um recorte irregular, que empresta alguma modernidade ao desenho frontal. O perfil é arredondado, com para-lamas proeminentes. As portas traseiras abrem da maneira tradicional, sem contar com um sistema corrediço. As lanternas avançam pelas colunas traseiras, mas não chegam a alcançar o teto. A tampa do porta-malas possui abertura lateral.

A motorização escolhida para movimentar os 1.830 kg do Xylo é a conhecida quatro cilindros turbo-diesel 2.5, que já equipa os utilitários da marca. Com 112 cv de potência a 3.800 rpm e 24 kgfm entre 1.800 e 3 mil rpm, o propulsor é combinado a um câmbio manual de cinco marchas. Mas o modelo que virá para o Brasil deverá ser equipado com um outro motor, ainda não definido.

Fotos: Divulgação

Xylo parte do equivalente a R$ 30 mil na Índia; por aqui, custará entre R$ 75 e R$ 65 mil

MAIS CONFORTO QUE SEGURANÇA
O esquema de suspensões mescla braços sobrepostos na dianteira, com barra estabilizadora, com braços múltiplos na traseira. Já os freios não apresentam grande dose de tecnologia, com discos ventilados na dianteira e tambor na traseira, sem opção de ABS. Do mesmo modo não estão disponíveis airbags, sequer como opcionais.

A lista de equipamentos oferece conforto e comodidade aos passageiros nas versões mais completas. Entre os itens, o Xylo oferece ar-condicionado com duplo ajuste de temperatura e saídas individuais para cada fileira, direção hidráulica, vidros e travas elétricos, computador de bordo, regulagem de altura do volante e do banco do motorista, sistema de som com CD/MP3 e entradas auxiliares, bancos em couro, sensor de estacionamento traseiro com indicador no espelho retrovisor, computador de bordo com GPS, rodas de liga leve aro 15 com pneus 215/75 e faróis de neblina.

Fotos: Divulgação

Com modularidade de minivans e crossovers, Xylo terá versão para sete (foto) e oito passageiros

O interior busca reforçar uma imagem de requinte, em especial nos revestimentos adotados e nas cores oferecidas, que associam tons claros como o bege a acabamentos nas opções preto, granito e madeira. O arranjo dos bancos é modulável -- os dianteiros podem ser rebatidos até a posição de 180º e todos os assentos estão posicionados na mesma altura, sem variação na terceira fileira. A segunda fileira conta com bandejas retráteis instaladas nas costas dos bancos dianteiros.

Os preços do Xylo praticados na Índia começam por valores equivalentes a R$ 30.200, para a versão mais barata. Um valor cerca de 12% abaixo do Scorpio SUV, que no mercado indiano parte de valores equivalentes a R$ 34.500 e no Brasil é vendido por R$ 86.864. Já o Xylo mais completo custa por lá aproximadamente R$ 37.280.

No Brasil, se forem mantidos os mesmos percentuais de preços do mercado indiano em relação ao Scorpio SUV, o preço do Xylo deverá ficar entre R$ 76 mil e R$ 94 mil, dependendo da configuração que chegar. Segundo a Bramont, a versão que será trazida poderá apresentar diferenças em relação ao modelo indiano.
(por Julio Cabral)

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES