UOL Carros
 
25/08/2008 - 16h56

Etiqueta vai mostrar consumo dos carros nacionais

Da Agência Estado, com Redação
No próximo Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro, será lançado um programa que estampará numa etiqueta o consumo de combustível de cada modelo de carro vendido no Brasil. A medida é semelhante ao Selo Procel de Economia de Energia, que informa quanto cada eletrodoméstico gasta de eletricidade para funcionar.

Com poucas exceções, as montadoras costumam divulgar números de consumo de seus carros, especialmente à época do lançamento. Freqüentemente esses dados diferem (para melhor) daqueles que são apurados em medições feitas por publicações especializadas. UOL Carros, que confere o consumo por meio do computador de bordo ou do cálculo simples a partir do reabastecimento, sempre encontra um consumo maior que o divulgado oficialmente.

O selo de consumo também dará uma idéia de quanto o carro contribui para o efeito estufa -- informação que não tem prazo para ficar disponível ao público, ao contrário do que acontece na Europa, por exemplo. Nas revendas daquele continente, é comum haver dados sobre a emissão de dióxido de carbono (CO2) de cada modelo exposto, medida em gramas por quilômetro rodado (g/km). Esse gás é um dos causadores do efeito estufa e do aquecimento global.

Normas da União Européia buscam limitar a emissão a 120 g/km. Carros com motores muito eficientes, geralmente a diesel (que na Europa é de alta qualidade e muito menos "sujo" que o brasileiro), ficam na faixa dos 100 g/km. Já superesportivos e carros de porte grande (como modelos da Rolls-Royce) facilmente ultrapassam os 350 g/km.

RELAÇÃO DIRETA
Com a etiqueta de consumo, o comprador pode fazer uma relação direta entre os números e a emissão de CO2: quanto maior o gasto de combustível, maior a emissão do gás. Os carros de menor porte serão os primeiros a receber o selo.

"Consumo é o que mais pesa para o comprador. Se a gente coloca quanto (o carro) emite, a etiqueta fica poluída [com excesso de informações] e mais confunde do que esclarece", afirma Suzana Kahn Ribeiro, secretária de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente. Mas ela acrescenta: "A tendência é que, com o tempo, as pessoas procurem veículos mais eficientes".

O Salão do Automóvel de São Paulo começa em 30 de outubro e vai até 9 de novembro.

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES