UOL Carros
 
09/07/2008 - 12h32

Presidente da Renault-Nissan defende ação com 'prudência'

Agência Lusa
Em Lisboa
O presidente da Renault-Nissan, o brasileiro Carlos Ghosn, disse nesta quarta-feira (9) que as montadoras européias devem agir com "prudência" diante da atual conjuntura internacional.

"Não sei se o petróleo vai subir ou descer. Não sei se a crise financeira vai melhorar. Os produtores têm que ser prudentes", afirmou Carlos Ghosn, que considera que esta "prudência" não deve ser encarada como uma dúvida, mas sim como "um sinal real" para a indústria européia.

A Renault baixou sua previsão de vendas para 2008 depois de os resultados do primeiro semestre do ano terem ficado abaixo das expectativas. O grupo francês vendeu 1,33 milhão de veículos leves na primeira metade do ano, 4,3% a mais do que no primeiro semestre de 2007.

Em comunicado, a Renault anunciou que espera agora um aumento entre 5% e 10% nas vendas para 2008, em vez dos 10% anunciados anteriormente. Na nota, a empresa afirma que o crescimento no segundo semestre "dependerá, em grande parte, dos desenvolvimentos econômicos e financeiros, ainda muito incertos".

ELÉTRICOS EM PORTUGAL
As declarações do presidente da Renault-Nissan foram feitas no dia em que foi assinado um protocolo entre a montadora e o governo português para a comercialização em larga escala de veículos elétricos em Portugal.

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES