UOL Carros
 
02/07/2008 - 16h23

Junho fecha como o melhor em vendas de veículos da história

Da Redação,
com Valor Econômico
A indústria automobilística bateu mais um recorde e os resultados de vendas continuam a surpreender os próprios dirigentes das montadoras. As vendas no acumulado do ano já são superiores ao total de carros vendidos em 2003 -- ano em que, como afirmou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no lançamento do novo Volkswagen Gol, no último domingo, representantes da indústria foram a ele pedir ajuda "como crianças com fome pedindo mamadeira".

O mês passado foi o melhor junho de toda a história do setor, e o segundo melhor desempenho mensal no mercado interno. Os índices acumulados na primeira metade do ano indicam que a expectativa dessa indústria, de crescer em torno de 20% este ano, poderá ser superada. As vendas acumuladas no primeiro semestre cresceram de 30% e bateram recorde. Os dados são da Fenabrave (Federação da Distribuição de Veículos Automotores).

  • Veja o relatório completo da Fenabrave

    Apenas em junho, 256.083 veículos -- automóveis, utilitários (picapes e SUVs) caminhões, ônibus -- e passaram pelos órgãos de trânsito para emplacamento, o que representa um crescimento de 28,84% na comparação com o mesmo período de 2007. Se foram somados as motocicletas e o implementos rodoviários, o número chega a 439.624.

    O carro de passeio mais vendido no Brasil continua sendo o Volkswagen Gol, com uma vantagem de cerca de 20% em relação a seu rival imediato e segundo colocado, o Fiat Palio. Junho foi o último mês da linha Gol Geração 4 no mercado, à exceção da versão de entrada 1.0 com duas portas, que seguirá sendo fabricada. Em julho já deve ser possível medir o impacto da chegada do novo Gol, em três versões, ao mercado.

    Entre automóveis e utilitários, são estes os 15 veículos mais vendidos no Brasil em junho:

    1) Volkswagen Gol - 24.473 unidades emplacadas
    2) Fiat Palio - 20.281
    3) Chevrolet Corsa/Classic - 13.036
    4) Fiat Mille - 12.458
    5) Chevrolet Celta - 12.201
    6) Volkswagen Fox/CrossFox - 9.480
    7) Fiat Siena - 8.633
    8) Ford Ka - 6.712
    9) Fiat Strada - 6.034
    10) Ford Fiesta hatch - 5.662
    11) Honda Civic - 5.409
    12) Chevrolet Corsa hatch - 4.910
    13) Chevrolet Prisma - 4.574
    14) Peugeot 206 - 4.211
    15) Renault Sandero - 3.974

    PREVISÕES E TEMORES
    O total de veículos vendido nos primeiros seis meses do ano foi de 1,407 milhão de unidades, o que equivale a um avanço de 30% na comparação com o primeiro semestre de 2007. A diferença entre o acumulado nos primeiros seis meses de 2007 e o de igual período este ano chega a 324,8 mil veículos.

    Na última revisão das previsões, os dirigentes da indústria automobilística passaram a contar com expansão em torno de 20% no mercado este ano. As montadoras acreditavam que os índices de crescimento tenderiam a baixar no segundo semestre porque o ritmo de vendas na segunda metade de 2007 foi mais intenso do que na primeira metade de 2008. Mas agora já se cogita a possibilidade de rever as projeções mais uma vez.

    Ao mesmo tempo, há receio de que a cadeia de suprimentos das montadoras não consiga acompanhar o ritmo das linhas. Dirigentes de compras já demonstraram preocupação com o fato de as fábricas de autopeças estarem trabalhando 24 horas por dia ininterruptamente.

    IMPORTADOS FAZEM A FESTA
    No segmento de automóveis, a vantagem do dólar mais baixo beneficiou as marcas importadas. A participação da Mercedes-Benz, uma das empresas que mais vende importados de luxo, ultrapassou a fatia de Nissan, Mitsubishi e Hyundai, que têm fábricas no Brasil. A Mercedes ficou no primeiro semestre com 1,9% das vendas de automóveis e comerciais leves, seguida por Hyundai (1,5%), Mitsubishi (1,4%), Nissan e Kia -- esta, com participação de 0,6%, quase encostou na Nissan (0,7%).

    A Fiat manteve a liderança, com 26,38% do mercado brasileiro de automóveis, seguida por GM (22,46%), Volkswagen (22,19%) e Ford (9,06%). A Renault consolidou sua quinta posição, seguida por Honda, Peugeot, Citroën e Toyota.

    PESOS-PESADOS
    A demanda por automóveis puxa boa parte do crescimento. Mas o desempenho em caminhões também tem surpreendido. De janeiro a junho foram vendidos 57 mil caminhões, uma alta de 29,7% na comparação com o primeiro semestre do ano passado. A marca italiana Iveco, ligada à Fiat, foi o destaque no período. O volume de emplacamentos dos veículos da marca registrou um crescimento de 131%. Em decorrência disso, a participação da Iveco no mercado brasileiro passou em um ano de 4,2% para 8,8%.

    Veja também

    Carregando...
  • Fale com UOL Carros

    SALOES