UOL Carros
 
19/06/2008 - 16h46

ML 320 a diesel quer inaugurar nova fase dos SUVs

Claudio de Souza
Do UOL, em Campinas (SP)

Atualizada às 12h20 de 20/6

A Mercedes-Benz aposta no diesel para surfar na onda dos SUVs (utilitários esportivos), segmento da indústria automotiva que experimenta no Brasil uma curva de crescimento oposta à descrita em mercados mais evoluídos, onde o alto preço da gasolina e a preocupação ecológica freiam as vendas dos carros maiores. O ML 320 CDI, SUV grande de luxo com motor 3.0, seis cilindros em V, 24 válvulas, movido a diesel, é a nova cartada da marca alemã no Brasil. A Classe M, da qual o carro faz parte, surgiu em 1997, foi remodelada em 2007 e tem cerca de 700 mil unidades vendidas em todo o mundo.

ÁLBUM DE FOTOS
Divulgação
MAIS IMAGENS DO ML 320

O ML 320 custa R$ 289.900 (mesmo preço do ML 350 a gasolina, que possui motor um pouco maior, mas menos força) e busca atrair aquele motorista que tem muito dinheiro e quatro, cinco ou mais carros já estacionados na garagem. Isso, no caso do comprador urbano -- onde os maiores rivais do SUV da Mercedes serão o BMW X5 (R$ 294 mil) e o Audi Q7 (R$ 364 mil). A marca alemã também aposta que pode entrar no emergente mercado rural -- onde o agronegócio gera novos ricos e o diesel é mais conveniente como combustível, já que oferece maior autonomia e pode ser armazenado na propriedade do motorista. Nesse ambiente, o ML 320 pode brigar com SUVs grandes orientais, da Mitsubishi, Toyota e Nissan. De janeiro a maio último, a Mercedes entregou no Brasil 1.285 utilitários esportivos.

O problema é que o diesel vendido no Brasil é "sujo". Tem, por exemplo, uma grande quantidade de enxofre e água. A Mercedes precisou adaptar o propulsor do SUV a essa característica do combustível, acoplando um novo catalisador e um filtro separador de água. Dessa forma, esse ML 320 pode queimar o diesel ruim de países como Brasil, Rússia, África do Sul e boa parte da América Latina. Pelo que diz a Mercedes, o ajuste necessário é o mesmo para todos esses mercados. A marca garante ainda que os índices de emissões de poluentes do ML 320 a diesel estão abaixo da metade do máximo permitido no Brasil. Mas não deu números.

Entre as vantagens oferecidas pelo motor a diesel -- sempre segundo a Mercedes-Benz -- estão o consumo menor (o ML 320 faz 12,8 km/l na estrada, enquanto o ML 350 a gasolina roda 10,6 km/l); o torque maior, disponível numa rotação baixa (incisivos 52 kgfm, numa faixa que começa em 1.600 rpm, ressalvando que o motor a diesel comporta menos giros); e, claro, o próprio preço do combustível, mais em conta que o da gasolina. A marca também afirma que o óleo confere uma espécie de "legitimidade" off-road ao seu SUV. Em sua faixa de preço e de público-alvo (atenção: não contam aqui os "jipeiros" atendidos pela Land Rover), o ML 320 CDI é o único utilitário esportivo vendido no Brasil que usa diesel. É como se ele inaugurasse um sub-segmento.


Ainda no trem de força, outros destaques do carro são o sistema CDI (ou common-rail direct injection), que usa injetores com até oito furos para entregar o diesel mais pulverizado (mais "fino") à mistura com o ar, o que otimiza sua queima, e a transmissão automática 7G-Tronic de sete velocidades, comandada por uma discreta alavanca à direita do volante. As trocas podem ser feitas manualmente em pequenas aletas (quase botões), também atrás do volante.

LAMA E ASFALTO
Para o off-road -- caso alguém se disponha a enfiar quase R$ 300 mil no barro -- o ML 320 CDI vem equipado com o sistema DSR, que mantém o carro a 4 km/h (após programação no controle de velocidade) nas ladeiras mais inclinadas, atuando diretamente nos discos de freio sem que o motorista precise tocar no pedal, e a tecla 4ETS, que aciona a tração integral para encarar pisos irregulares e desafiadores, mantendo-se velocidade não muito elevada.

Entre os itens de segurança, há faróis bi-xenônio que acompanham o esterçamento; airbags dianteiros de duplo estágio, laterais e de cortina; detecção de assentos infantis no banco da frente e conseqüente desativação do airbag do passageiro dianteiro; ESP (controle eletrônico de tração e estabilidade) e freios com ABS (antitravamento); encosto de cabeça dianteiros que se movem à frente em colisões, para prevenir lesões no pescoço.
 

SUV COMPACTO GLK ESTÁ
A CAMINHO DO BRASIL


A Mercedes-Benz confirmou durante o evento de lançamento do ML 320 CDI que vai vender no Brasil seu novo SUV compacto, o GLK, mostrado como conceito em Detroit, em janeiro, e lançado na versão de produção em Pequim, nos respectivos salões do automóvel -- e agora também exibido no filme "Sex and the City". O GLK chega ao país no salão do carro paulistano, que será realizado em outubro, inicialmente apenas na versão com motor a gasolina.
O GLK ENQUANTO CONCEITO
MAIS SOBRE O GLK

IMPRESSÕES AO DIRIGIR
UOL Carros experimentou o ML 320 CDI no interior de São Paulo, numa pista off-road preparada pela Mercedes e nas (boas) estradas da região de Campinas, Limeira e Americana. O carro mostrou-se interessante em lama e poças d'água, rampas de inclinação lateral de 35 graus (ele agüentaria 45 graus, segundo a Mercedes), subidas de terra e grama úmidas e também em terrenos fortemente ondulados, nos quais chegou a ficar com uma das rodas totalmente no ar (o 4ETS bloqueia a tração na roda que gira em falso até que ela volte a tocar o chão). Pelo menos em termos de possibilidades, o SUV da Mercedes parece estar à altura dos utilitários da Jeep -- para citar marca de excelência no "terrão".

Na estrada firme, o ML 320 passa ao motorista exatamente aquela sensação simultânea de conforto e segurança procurada pelos compradores do segmento. Para exemplificar o extremo cuidado com detalhes e acabamento, basta dizer que os pára-sóis são duplos (uma aba pode ir para a lateral e a outra segue protegendo a fronte) e que os bancos não são apenas em couro, e sim em couro com detalhes em camurça (agradável ao toque). Some-se a tudo isso a posição (muito) alta de dirigir e a imponência geral da carroceria (o ML 320 mede 4,78 metros), e o resultado é como pilotar um navio em mar calmo, sentado numa sala de estar de bom gosto.

Outros mimos oferecidos pelo ML 320 são sistema integrado de áudio, navegação, DVD e telefonia, com comandos no volante multifuncional; abertura e fechamento hidráulicos da porta traseira ao toque de um botão; ar-condicionado Thermotronic de múltiplas zonas (motorista, passageiro e banco traseiro); teto solar; etc. etc.

Ironicamente, o principal senão do ML 320 tem a ver exatamente com o diesel: o excesso de fumaça e o odor exalados pelo escape duplo podem incomodar quem está acostumado com motores a gasolina ou flex, e passam uma incômoda sensação (para quem se importa com isso) de que o carro polui demais em troca de diversão e conforto para poucos.

Viagem e teste a convite da Mercedes-Benz

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES