UOL Carros
 
06/06/2008 - 20h33

Exclusivo: as impressões do crossover-cupê BMW X6

Da Auto Press
O crossover X6 tem uma característica que é típica dos BMW. Independentemente dos avantajados 4,87 metros de comprimento por 1,98 m de largura e 1,69 m de altura, o modelo recém-apresentado no mercado norte-americano esbanja esportividade nas linhas. Mistura traços de cupê com porte de jipão. Uma união incomum de gêneros, que já fazia um sucesso estrondoso na Europa e nos Estados Unidos mesmo antes de estrear, em maio. As 40 mil unidades do crossover previstas para 2008 já estão encomendadas. Um fenômeno que desembarca no Brasil em agosto para apimentar o insosso nicho dos crossovers de luxo daqui.

ÁLBUM DE FOTOS
Hubén Hoyo/Autocosmos.com
MAIS IMAGENS DO X6
Como principal atrativo, o X6 exibirá a veia esportiva dos BMW, muito forte sobretudo no conjunto mecânico. A capacidade de arrancar e acelerar com bravura tem presença marcante mesmo nos modelos da marca alemã menos propensos à velocidade, como os utilitários médio X3 e médio-grande X5 (com o qual o novo crossover divide a plataforma).

IMPRESSÕES: BMW X6
A bordo do recém-lançado X6, a impressão inicial é a de que o crossover é uma evolução do SUV X5. Ou seja, foi pensado para oferecer o melhor de dois mundos: a performance e o atraente desenho dos cupês e a generosidade de espaço, visibilidade e segurança dos utilitários esportivos.
Em movimento, o que mais impressiona é a estabilidade e a postura do X6 sobre o asfalto. A sensação de segurança é tanta, que superar os 200 km/h parece tarefa das mais fáceis a bordo do modelo. O sistema Dynamic Performance Control distribui o torque entre as rodas do eixo traseiro, despejando a força do motor de acordo com os movimentos do veículo. Com ele, o crossover não ameaça desgrudar do piso nas curvas, mesmo em alta velocidade.
O motor é outro destaque no X6. Na base da gama está o 3.0 litros com seis cilindros em linha e quatro válvulas por cilindro. Acoplado ao câmbio automático seqüencial de seis velocidades, suas respostas são imediatas em qualquer situação de rodagem. Tanto acelerações quanto retomadas são altamente vigorosas. Uma esportividade reforçada também pelo amplo campo de visão do crossover, que tem ainda luxo, espaço farto e sofisticação no interior coberto em couro e cheio de equipamentos de conforto.
Entre os destaques, ar digital de quatro zonas, direção assistida, rádio/CD/DVD com MP3, entradas USB e auxiliar e som de alta performance, tela sensível ao toque no console central, ajuste elétrico dos bancos esportivos, controle de cruzeiro e sensores de obstáculos, chuva e luminosidade. Um conjunto digno de carros de luxo -- mas com o toque de esportividade da BMW. (por Hubén Hoyo, Autocosmos.com/México)
Só que no caso do "utilitário-cupê" essa aptidão esportiva vai além dos motores 3.0 litros de seis cilindros em linha e 306 cv de potência, ou do robusto 4.4 V8 de 408 cv, ambos a gasolina. O design nada convencional para um crossover é a principal marca do modelo, com destaque para a cintura elevada e o caimento acentuado do teto na traseira, características próprias dos cupês. Por fora, sobressaem-se ainda as largas tomadas de ar no pára-choque dianteiro, os faróis afilados com cortes irregulares e os vistosos vincos laterais que sobem em diagonal dos pára-lamas dianteiros até as lanternas, estas no tradicional formato em "L" dos BMW.

No conjunto, a traseira é um detalhe à parte. Em vez da terceira coluna mais quadradona, que caracteriza os sport-utility de uma forma geral, o caimento súbito do teto forma uma sutil e inédita tampa, cuja ponta estendida dá contornos de cupê ao X6. O conjunto se completa com as enormes rodas de liga leve de 19 polegadas, calçadas por pneus runflat, e as largas ponteiras cromadas do escapamento no pára-choque traseiro. Tudo isso reforça a faceta esportiva do crossover.

FICHA TÉCNICA E VÍDEO
Motor: A gasolina, dianteiro, longitudinal, 2.979 cm³, com seis cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, dois turbocompressores e duplo comando no cabeçote. Acelerador eletrônico e injeção direta de combustível de alta pressão.
Transmissão: Câmbio automático seqüencial de seis marchas à frente e uma à ré. Tração integral permanente xDrive, com Dynamics Performance Control, sistema que distribui o torque entre as rodas traseiras nas curvas e situações adversas e que atua em conjunto com o controle eletrônico de tração.
Potência: 306 cv entre 5.800 rpm e 6.250 rpm.
Torque: 40,8 kgfm entre 1.300 rpm e 5 mil rpm.
Diâmetro e curso: 89,6 mm x 84 mm. Taxa de compressão: 10,2:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Traseira independente,com braços articulados, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Oferece controle eletrônico de estabilidade.
Freios: Dianteiros e traseiros a discos ventilados. ABS, EBD e assistente de frenagem de emergência.
Carroceria: Crossover grande em monobloco com quatro portas e cinco lugares. 4,87 metros de comprimento, 1,98 m de largura, 1,69 m de altura e 2,93 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais, laterais e do tipo cortina.
Peso: 2.070 kg.
Porta-malas: 570 litros/1.450 com os bancos traseiros rebatidos.
Tanque: 85 litros.

Clique aqui para ver o vídeo promocional do BMW X6
Força no cofre
A vocação arrojada se comprova sob o capô. A força é brutal, mesmo na configuração "básica" 35i xDrive. O motor 3.0 com seis cilindros em linha, dois turbocompressores e injeção direta de combustível produz 306 cv de potência entre 5.800 rpm e 6.250 rpm e 40,8 kgfm de torque máximo, despejados entre 1.300 rpm e 5.000 rpm. Com a unidade de força, o X6 de duas toneladas acelera de zero a 100 km/h em 6,7 segundos. Já o "top" 50i xDrive traz um impetuoso propulsor 4.4 V8 com injeção direta, dois turbos, 408 cv e 62,2 kgfm de torque entre 1.800 giros e 4.500 rotações.

Ambas as versões têm tração integral permanente xDrive, câmbio automático seqüencial de seis velocidades com borboletas atrás do volante, além de recursos sofisticados de segurança. São oito airbags - duplos frontais, laterais dianteiros e traseiros e do tipo cortina -, apoios de cabeça ativos nos assentos dianteiros, freios com ABS, EBD e assistente de emergência, controles de estabilidade e de tração e faróis bixênon. O X6 tem ainda o Dynamic Control, sistema que controla o torque entre as rodas traseiras, e funciona em conjunto com o controle eletrõnico de tração.

Luxo por dentro
Por dentro, o X6 exibe o glamour característico dos BMW, com interior revestido em couro, desenho sóbrio, detalhes em aço escovado e acabamento refinado. No painel, semelhante ao do X5, há uma tela sensível ao toque embutida na parte superior do console central, que integra as funções do rádio/CD/DVD com MP3 e do navegador GPS. Entre as singularidades, a alavanca do câmbio em titânio na base do console funciona como um joystick, com base fixa e movimentos horizontais e verticais.

Como de praxe, também há fartura de comodidades. A lista traz ar-condicionado digital de quatro zonas, trio elétrico, direção assistida, bancos esportivos com ajustes elétricos, controle de cruzeiro e sensores de obstáculos, de chuva e de luminosidade. O X6 parte de US$ 63.775 nos Estados Unidos (cerca de R$ 104 mil). Mas como o crossover vem completo e é aproximadamente 15% mais caro que o SUV X5, vendido a R$ 299 mil, aqui seu preço deve partir de R$ 340 mil na versão de entrada xDrive 35i. (por Diogo de Oliveira)

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES