UOL Carros
 
21/03/2008 - 21h09

Vizinhos com mercado menor têm mais variedade de carros

Da Auto Press
O mercado brasileiro de automóveis bateu recordes no ano passado, ultrapassou a casa dos 2,3 milhões de unidades vendidas e já é o oitavo no ranking mundial. Mas esse desempenho não se traduz em um mercado de automóveis mais rico em ofertas.

Afinal, basta atravessar a fronteira ao sul para se deparar com um Honda Odyssey em terras uruguaias. Na Argentina, é possível ver Chevrolet Corvette sendo vendido em concessionárias. Na Venezuela, basta ir a uma revenda da Ford para adquirir um Mustang GT. No Chile, então, a diversidade de modelos é ainda maior. Mesmo Colômbia ou Venezuela contam com carros inéditos por aqui, como Chevrolet Aveo, Nissan Altima e Toyota FJ Cruiser, entre outros.
Divulgação

O Nissan Micra, que é vendido na Colômbia; carros compactos são mais difíceis de introduzir no mercado brasileiro, segundo montadoras
VEJA MAIS FOTOS DO CARROS DOS VIZINHOS SUL-AMERICANOS


A justificativa para que mercados menores ofereçam maior variedade de modelos reedita o habitual discurso da indústria automotiva brasileira, que invariavelmente joga culpa no chamado "custo Brasil". Neste caso, ele ganha forma no tempo para homologação e nas adaptações necessárias aos carros importados para serem vendidos no Brasil.

LÁ, MAS NÃO CÁ
Compactos (hatches e sedãs)
-Chevrolet Aveo - Chi e Ven
-Chevrolet Spark - Chi, Col e Ven
-Citroën C1 - Chi
-Citroën C2 - Chi e Ven
-Dodge Brisa - Ven
-Fiat Panda - Chi e Col
-Hyundai Accent - Chi, Col, Uru e Ven
-Hyundai Getz - Chi, Col, Uru e Ven
-Hyundai i10 - Uru
-Kia Rio - Arg, Chi e Col
-Mazda2 - Chi
-Nissan Micra - Col
-Peugeot 107 - Chi e Uru
-Peugeot 207 - Chi e Col
-Seat Cordoba - Arg
-Seat Ibiza - Arg
-Suzuki Alto - Chi
-Suzuki Maruti - Chi e Uru
-Suzuki Swift - Arg, Chi e Uru
-Suzuki SX4 - Chi e Uru
-Toyota Yaris - Chi e Ven
Hatches médios
-Alfa Romeo 147 - Arg e Chi
-Mazda Allegro - Col
-Mazda3 - Chi, Col e Ven
-Mini Cooper - Arg
-Renault Mégane hatch - Arg, Chi e Col
-Seat Altea - Arg
-Seat Leon - Arg
-Seat Toledo - Arg
-Toyota Auris - Chi
Sedãs médios
-Alfa Romeo 159 - Arg e Chi
-Chevrolet Epica - Col e Ven
-Chevrolet Optra - Chi, Col e Ven
-Honda Civic Hybrid - Chi
-Honda Legend - Arg, Chi, Col e Uru
-Hyundai Elantra - Arg, Chi, Col e Ven
-Hyundai i30 - Uru
-Mazda Allegro - Col
-Mitsubishi Lancer - Arg e Chi
-Mitsubishi Signo - Ven
-Nissan Tiida sedã - Arg, Col e Uru
-Nissan V16 - Chi
Sedãs médios-grandes
-Chrysler Sebring - Chi e Ven
-Ford Mondeo - Arg
-Honda Legend - Arg, Chi, Col e Uru
-Hyundai Sonata - Arg, Chi, Col, Uru e Ven
-Mazda6 - Chi, Col e Ven
-Nissan Primera - Chi
-Renault Laguna - Arg
-Toyota Avensis - Arg e Chi
Sedãs grandes
-Hyundai Centennial - Uru
-Nissan Altima - Chi, Col e Ven
-Peugeot 607 - Arg
Minivans e multivans
-Chevrolet Vivant - Chi e Col
-Chrysler Pacifica - Chi
-Ford S-Max - Arg
-Honda Odyssey - Col e Uru
-Hyundai Atos - Arg, Uru e Ven
-Hyundai Matrix - Uru
-Hyundai Trajet - Chi e Uru
-Kia Carens - Chi e Col
-Kia Sedona - Col
-Mazda5 - Chi, Col e Ven
-Nissan Almera - Col e Ven
-Peugeot 807 - Arg e Uru
-Renault Scénic (nova geração) - Chi
-Toyota Previa - Ven
-Volkswagen Sharan - Arg
SUVs e crossovers
-Chevrolet Equinox - Chi
-Chevrolet Gran Vitara (nova) - Ven
-Chevrolet Suburban - Chi
-Chevrolet Tahoe - Chi e Col
-Chevrolet TrailBlazer - Chi
-Chevrolet Uplander - Chi
-Chevrolet Vitara - Col
-Chrysler Pacifica - Col
-Daihatsu Terios - Chi e Ven
-Dodge Caliber - Chi e Ven
-Dodge Durango - Chi
-Dodge Nitro - Chi
-Ford Escape - Chi e Col
-Ford Expedition - Chi, Col e Ven
-Ford Explorer - Chi e Col
-Honda Pilot - Chi, Col e Uru
-Hyundai Santro - Col
-Hyundai Terracan - Arg
-Hyundai Tribeca - Chi
-Jeep Commander - Chi, Col e Ven
-Jeep Compass - Arg, Chi, Col e Ven
-Jeep Patriot - Chi e Col
-Mazda CX-7 - Chi, Col e Ven
-Mazda CX-9 - Chi, Col e Ven
-Mazda Demio - Col
-Nissan Patrol - Chi, Col e Ven
-Subaru Tribeca - Chi e Col
-Suzuki Grand Nomade - Chi
-Suzuki Grand Vitara - Arg, Chi e Uru
-Suzuki Jimny - Chi
-Suzuki XL7 - Chi
-Toyota 4Runner - Chi
-Toyota FJ Cruiser - Chi, Col e Uru
-L. Cruiser S70 (Bandeirante) - Ven
-Toyota Merú (Daihatsu) - Ven
Picapes
-Chevrolet Colorado - Chi
-Chevrolet DMax - Chi
-Chevrolet LUV D - Col
-Chevrolet Silverado - Chi
-Ford Sport Trac - Col e Ven
-Mazda BT 50 - Chi, Col, Uru e Ven
-Nissan D21 - Chi, Col e Uru
Cupês, esportivos e conversíveis
-Alfa Romeo GT - Arg e Chi
-Alfa Romeo Brera - Arg e Ch
-Alfa Romeo Spider - Arg e Ch
-Chevrolet Corvette - Arg
-Chrysler Crossfire - Arg
-Chrysler Sebring Convertible - Chi e Ven
-Citroën C3 Pluriel - Ven
-Ford Mustang GT - Ven
-Hyundai Coupé/Tiburon - Arg, Col, Chi, Uru e Ven
-Mazda MX-5 - Chi
-Mazda RX-8 - Chi
Legenda: Arg - Argentina; Chi - Chile; Col - Colômbia; Uru - Uruguai; Ven - Venezuela
Divididos por carroceria, os carros que rodam na América do Sul, mas não no Brasil
Para cá, a homologação de um veículo leva, em média, cinco meses. Além disso, o automóvel tem de passar por adaptações para receber o combustível vendido por aqui, que conta com adição de álcool na gasolina. Até mesmo a parte elétrica deve respeitar as normas brasileiras. "Alguns países, como o Uruguai, não têm uma indústria estabelecida muito forte, o que torna a importação mais flexível que no Brasil", argumenta Alberto Pescumo, gerente geral de vendas da Honda.

Fumaça
Com um processo mais complexo, a perspectiva de vendas tímidas inibe a importação, tamanha a quantidade de mudanças necessárias. A Volkswagen, por exemplo, diz que já tentou três vezes trazer a minivan grande Sharan para cá. O modelo é vendido na Argentina, onde concorre com a recém-chegada Ford S-Max.

"Para a Argentina é muito mais fácil mandar um carro direto da Europa. Lá há tem um sistema de emissões de poluentes diferente do nosso. Tem o mesmo conceito europeu de poluentes, e o brasileiro usa o padrão norte-americano", analisa Fabrício Biondo, gerente-executivo de planejamento de marketing da Volkswagen.

As dimensões continentais do Brasil também se tornam um obstáculo. Países como Colômbia, Venezuela, Chile e Uruguai, com territórios bem menores que o brasileiro, têm menos revendas. Até mesmo a Argentina concentra a maior parte das concessionárias na região da Grande Buenos Aires, onde ficam 80% da população do país, o que simplifica a logística para os fabricantes de veículos.

"Enquanto no Brasil temos mais de 500 pontos de vendas, na Argentina são menos de 50, e a maioria no chamado Distrito Federal. Portanto, para esses concessionários, é mais fácil incluir pequenos volumes de veículos importados, como é o caso do Corvette", compara Marcos Munhoz, diretor geral de marketing da GM.

Tamanho (não) importa
Modelos pequenos e mais baratos são ainda mais críticos, pois permitem margens de lucro menores e ainda precisam concorrer com produtos nacionais. A Citroën, por exemplo, desistiu de trazer o C2 para o Brasil, mas comercializa o compacto na Venezuela e no Chile, onde também é encontrado o subcompacto C1 e ainda modelos como o Peugeot 107 -- este também visto no Uruguai.

O Suzuki Swift é importado na Argentina, Uruguai e Chile. Já o Nissan Micra é comercializado na Colômbia. "Para importar, tem de fazer volume ou ter um valor agregado alto, como BMW e Mercedes. Para trazer um compacto é preciso uma produção programada, sem garantia se vai vender toda a encomenda", diz Paulo Roberto Garbossa, consultor da ADK Automotive.

Mesmo assim, as perspectivas para importados no mercado brasileiro são até otimistas. Com o dólar baixo em relação ao real e o mercado interno em crescimento, as marcas já começam a enxergar a possibilidade de novos modelos por aqui. A Honda, por exemplo, deve começar a trazer a mesma Odyssey que roda no Uruguai. Ford Edge, Chevrolet Captiva e Citroën C4 Picasso já estão na lista da alfândega. Nissan Altima e Toyota FJ Cruiser são estudados. E a GM analisa a possibilidade de emplacar aqui novas marcas, como Hummer e Saab.

(por Fernando Miragaya)

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES