UOL Carros
 
07/03/2008 - 13h19

Tata deve ficar com Jaguar e Land Rover em até 15 dias

Da Reuters, em Londres
Com Redação
A montadora indiana Tata Motors deve assinar um memorando de entendimento para comprar as marcas britânicas de luxo Jaguar e Land Rover, que hoje pertencem à norte-americana Ford, nas próximas duas semanas, informou nesta sexta-feira (7) um representante sindical que participa das negociações.

Não há obstáculos diante do acordo, mas as negociações têm se mostrado complexas, disse Dave Osborne, secretário de veículos do sindicato Unite. A entidade é a principal representante dos funcionários da Land Rover e da Jaguar, e conta com cerca de 12 mil membros.

EFE
Ratan Tata ao lado de seu carro para "pobres", o Nano, de US$ 2.500
Divulgação
Jaguar X-Type, um dos carros mais em conta da marca, vale 40 Nano
Uma outra fonte próxima às conversas confirmou o que disse Osborne, reforçando que o acordo para a venda das marcas pode ser concluído "dentro de semanas".

As negociações agora se concentram no futuro relacionamento entre a Ford e as duas marcas de luxo, que continuarão a usar motores e componentes da marca norte-americana e compartilharão tecnologia e direitos de propriedade intelectual.

Expansão indiana
A aquisição das duas marcas pela Tata -- que, aliás, estaria também em vias de participar da Ferrari -- é um sinal dos novos tempos econômicos, e também guarda ironias.

Trata-se de uma empresa privada vinda de um país do que se convencionou chamar Terceiro Mundo (mas da parcela hoje tratada por "emergente"), que decide comprar dois dos maiores símbolos de status do mundo automotivo -- e que deve anunciar o fechamento desse negócio menos de um mês após exibir ao mundo (no Salão de Genebra, onde houve a estréia em grande escala) o Nano, um carrinho de US$ 2.500 voltado para as classes baixas da Índia.

O valor a ser desembolsado pela Tata, comenta-se, ficaria em torno de US$ 3 bilhões. É bem menos do que os cerca de US$ 5 bilhões que a Ford pagou, no total, pela Jaguar (em 1989) e Land Rover (em 2000). Esse portfólio de marcas luxuosas (que também inclui a Aston Martin) não adiantou muita coisa à empresa do oval azul, que atualmente opera no vermelho.

Só para efeito de contraste: se o Tata Nano deve ter preço-base de US$ 2.500 (cerca de R$ 4.300), o carro zero mais barato da Jaguar à venda no Brasil, o X-Type SE 2.5 V6, custa cerca de R$ 171 mil. Ou seja, praticamente 40 Nano.

Playboy
O grupo Tata, presidido pelo playboy setentão Ratan, é o maior conglomerado multinacional da Índia, empregando cerca de 290 mil pessoas. Tem operações em mais de 85 países. Claro, não mexe apenas com carros: é um dos maiores produtores mundiais de aço e de chá, entre outras coisas.

A Jaguar, baseada na Inglaterra, tem esse nome desde 1945, mas sua origem remonta a 1922. A também inglesa Land Rover foi fundada em 1948, e só não virou sinônimo de veículo off-road porque a Jeep surgiu antes. Agora, ambas podem acabar no bolso de um nativo da maior ex-colônia britânica.

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES