UOL Carros
 
29/02/2008 - 20h20

Picape Ranger fica atraente com traje esportivo

Da Auto Press
A roupagem da Ranger Sport tem uma dose de novidade entre as picapes médias, mas foi inspirada numa tendência de ampla aceitação. A intenção da Ford foi, explicitamente, reproduzir o sucesso de vendas de veículos nascidos para serem utilitários e que ganham versões voltadas para o lazer e para a juventude, como as picapes compactas Fiat Strada Adventure e Chevrolet Montana Sport.

E a estratégia surtiu algum efeito. Inclusive por ter recolocado a Ranger na mídia. No primeiro mês de comercialização, dezembro de 2007, esta configuração "esporte" respondeu por 13% das 1.718 unidades vendidas. Em janeiro, o índice subiu para 24,3% do total de 1.530 unidades emplacadas. A média de vendas nos três meses anteriores ao lançamento da nova versão era de quase 1.200 unidades, algo como 25% a menos.
Luiza Dantas/Carta Z Notícias

Ranger Sport mira no público jovem com robustez e preço razoável, apesar de recente aumento; vendas subiram com a nova versão
VEJA MAIS FOTOS DA PICAPE FORD RANGER SPORT


Mais que somar vendas, porém, a versão funciona como uma espécie de "elixir da juventude" para a imagem da Ranger. Foi uma oportuna investida de marketing para levantar um modelo que tem 12 anos de mercado (chegou ao Brasil em 1996). Só que agora a idéia é alcançar a também veterana Chevrolet S-10, lançada em 1995. A Ford enxergou um subnicho de picape cabine simples, com apelo jovem -- o que significa preço mais acessível.

FICHA TÉCNICA
Motor: A gasolina, com 2.260 cm³, dianteiro, longitudinal, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e duplo comando no cabeçote. Injeção de combustível multiponto seqüencial e acelerador eletrônico.
Transmissão: Manual com cinco marchas à frente e uma a ré. Tração traseira. Não oferece controle eletrônico de tração.
Potência: 150 cv a 5.250 rpm.
Torque: 22,1 kgfm a 3.750 rpm.
Diâmetro e curso: 87,5 mm x 94 mm. Taxa de compressão de 9,7:1.
Suspensão: Dianteira independente com braços sobrepostos, amortecedores pressurizados "outboards shocks" e molas helicoidais. Traseira do tipo eixo rígido, com amortecedores pressurizados e molas helicoidais. Não oferece controle eletrônico de estabilidade.
Freios: A disco ventilado na dianteira e a tambor na traseira. Válvula reguladora de carga nos freios traseiros. ABS não disponível.
Carroceria: Picape média sobre longarinas, com duas portas e dois lugares. Comprimento de 4,81 metros, com 1,76 metro de largura e 1,76 metro de altura. Entre-eixos de 2,83 metros. Não oferece airbags frontais ou laterais.
Peso: 1.490 kg em ordem de marcha.
Caçamba: 1.455 litros.
Capacidade de carga: 760 kg.
Tanque: 60 litros.
Ford Ranger Sport 2.3 16V
Quando foi apresentada, no fim de novembro último, a Ranger Sport custava R$ 49.990. Tal preço, anunciado como "não-promocional", permitia que ela atacasse as picapes compactas de traje esportivo -- Montana Sport e Strada Adventure. Agora, "reajustada" em 5,6% e vendida por R$ 52.815, essa versão da picape Ford se aproximou um pouco mais de concorrer com a S-10 Advantage 2.4 Flex, modelo de entrada da Chevrolet, que custa R$ 56.423.

As duas picapes não chegam a ser concorrentes diretas: a Ranger tem cabine simples, mas é melhor equipada. Já a S-10 Chevrolet só tem ar e direção, mas cabine dupla. Ambas, porém, são os modelos de entrada das marcas e não têm concorrentes diretos nas respectivas faixas de preço. A Ranger, na verdade, é a única picape média a gasolina com cabine simples do mercado nacional. Por isso mesmo, é a mais barata. Depois dela, só modelos a diesel, como a própria S-10 Colina, por R$ 69.326, a indiana Mahindra Scorpio, a R$ 71.864 e a Toyota Hylux, que começa em R$ 72.600.

Já em relação ao visual, não há comparações: o modelo chama atenção, até por conta de suas dimensões avantajadas -- tem 4,81 metros de comprimento, 1,76 m de largura e 1,76 m de altura. Além disso, a Ranger tem linhas robustas, que na versão Sport são reforçadas pelos pára-choques dianteiros e moldura da grade pintados na cor do veículo, e faróis de neblina cobertos com proteção de plástico. A picape traz ainda rodas de alumínio aro 16 calçadas por pneus A/T (all-terrain, ou todo-terreno).

Como a idéia da Ranger Sport é ganhar um público jovem tipicamente urbano, a Ford ajustou a suspensão traseira de toda a linha da picape para quicar menos e ficar mais afeita ao asfalto. Foram aplicados novos batentes e molas, e a bitola foi aumentada em 3,5 centímetros para possibilitar o deslocamento dos novos amortecedores "outboards shocks" -- deslocados do chassi para perto das rodas para melhorar a absorção dos impactos. E a versão Sport vem ainda com uma barra estabilizadora, o que reforça sua predileção por pisos de melhor qualidade.

Junto a isso, a Ford equipou o modelo com seu forte motor a gasolina 2.3 litros 16V Duratec, de 150 cv de potência a 5.250 rpm, e um razoável torque máximo de 22,1 kgfm aos 3.750 giros. E para não depender do visual e força, o modelo ainda recebeu uma interessante lista de equipamentos que sustenta sua boa relação custo/benefício -- apesar do recente aumento de preço. Além dos adereços, estão incluídos ar-condicionado, direção hidráulica e trio elétrico, além rádio/CD com leitor de MP3, alarme e faróis de neblina. Um veículo ainda competitivo a R$ 52.815.

(por Diogo de Oliveira)

DE ZERO A 100 PONTOS, A RANGER SPORT
Desempenho - Basta pisar no pedal do acelerador para sentir a força do motor 2.3 litros Duratec. Além do ronco alto, a unidade de força da Ranger Sport fornece respostas rápidas, que geram acelerações vigorosas. O zero a 100 km/h foi feito em 13,6 segundos, tempo bem aceitável para uma picape média de quase 1,5 tonelada. Já as retomadas se ressentem de um pouco mais de disposição, sobretudo em giros baixos - único efeito colateral desse propulsor multiválvulas. Apesar de os 22,1 kgfm só aparecerem plenamente aos 3.750 rpm, a curva de torque quase plana já deixa a picape bem-disposta já aos 2.000 giros. A velocidade máxima não impressiona: 147 km/h. Mas não seria mesmo recomendável levar a Ranger mais longe. As frenagens são eficientes, ajudada pela válvula reguladora de carga nos freios traseiros - que compensa a presença ou ausência de peso na caçamba. Mesmo assim, é preciso espaço e mais força para frear o modelo em velocidades superiores a 120 km/h. Nota 8
Estabilidade - As mudanças na suspensão traseira são a maior novidade mecânica da Ranger e funcionaram bem. A picape demonstrou melhor postura e mais firmeza no chão, principalmente com os novos amortecedores, agora mais próximos das rodas para acompanhar de perto as oscilações. No entanto, estabilidade definitivamente não é o forte da Ranger. Ela é alta e naturalmente torce a carroceria nas curvas, tanto em baixa quanto em alta velocidade. Além disso, acima dos 120 km/h surge uma incômoda sensação de flutuação. Nota 6
Interatividade - A Ranger Sport mantém a lógica de um utilitário e é bem despojada. Sem muitos equipamentos e conforto, a picape da Ford anima mais pela robustez que propriamente pela docilidade na condução. Ergonomicamente, porém, é um veículo agradável: bancos e volante têm regulagens de altura e profundidade, os instrumentos são legíveis, comandos são bem distribuídos e fáceis de manusear e a visibilidade é boa. Mas não é nada fácil manobrar um carro alto, largo e comprido. E o câmbio não é dos mais suaves. Embora seja bem escalonado, seus engates são duros e exigem atenção. Nota 7
Consumo - A Ranger consumiu bastante gasolina: a média foi de elevados 6,8 km/l. Nota 6
Conforto - A Ford se esforçou para tornar o rodar da Ranger mais agradável, com ajustes na suspensão traseira. Mas a verdade é que a picape ainda sacode bastante, mesmo em pisos lisos (como o asfalto). E na versão Sport, com cabine simples, há um outro inconveniente: o espaço interno. Apesar de ter área razoável para pernas e cabeça, não há como acomodar muito mais do que sacolas e mochilas atrás dos bancos. O espaço é mínimo. Em compensação, o bom isolamento acústico filtra bem os "gritos" do motorzão 2.3 Duratec. Nota 6
Tecnologia - Apesar do visual jovem, robusto e moderninho, a Ranger Sport ainda não entrou em definitivo no século 21. Derivado da picape média lançada pela Ford em 1996, o modelo tem estrutura antiga e mecânica também marcada pelos anos - o bom e conhecido motor a gasolina 2.3 Duratec. Itens de segurança como airbags e freios com ABS só aparecem nas versões de topo da Ranger. Na base da gama, não constam nem como opcionais. Equipamentos de conforto e entretenimento também são poucos e básicos: ar, direção, rádio/CD com MP3 e trio elétrico. Nota 6


Habitabilidade - O único aspecto que realmente complica o convívio com a Ranger é o acesso. A altura elevada do veículo em relação ao solo torna difícil chegar ao interior - ainda mais pela falta de estribo. Mas, de modo geral, a picape média da Ford é bem-resolvida por dentro. Tem vasto número de porta-objetos, boa iluminação, apoio de braço entre os bancos e a caçamba com ótimo espaço - comporta até 1.455 litros -, mas capacidade de carga apenas razoável: sustenta apenas 760 kg. Nota 8
Acabamento - A Ford Ranger é bastante honesta nesse aspecto. Não traz requinte, mas tem um interior bem arrumado, com materiais que aparentam qualidade e robustez, que agradam aos olhos e ao toque. Os plásticos têm textura atraente, as peças se encaixam com boa precisão e não há sinal de rebarbas. Nota 7
Design - A Ranger Sport foi pensada para fisgar consumidores mais jovens e tem atributos para isso: pára-choques dianteiro e moldura da grade na cor do veículo e rodas de alumínio aro 16 com pneus todo-terreno deixaram a pick-up média da Ford robusta e marcante. Vale ressaltar que, apesar de ter sofrido apenas um face-lift desde seu lançamento, em 1996, o estilo do carro ainda agrada. Nota 8
Custo/benefício - No lançamento da Ranger Sport, em novembro passado, o preço foi o aspecto que mais a favoreceu. O modelo custava R$ 49.990, próximo dos R$ 44.650 e R$ 46.578 pedidos nas versões apimentadas das compactas Chevrolet Montana Sport e Fiat Strada Adventure. Mas os atuais R$ 52.815 da Ranger Sport enterram parte da vantagem que o modelo tinha sobre os rivais menores. Hoje, seu maior atrativo é o de fato de ser a picape média com cabine simples mais barata do mercado. Nota 7
Total - A Ranger Sport totalizou 68 pontos em 100. NOTA FINAL: 6,8

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES