UOL Carros
 
22/02/2008 - 19h17

Retrô e simpático, New Beetle ganha ótimo câmbio

Da Auto Press
O mercado de automóveis é dividido em diversos segmentos, onde as montadoras insistem em apelos mais ou menos racionais para cada tipo de consumidor. Mas existem carros dos quais o cérebro passa mesmo longe. O New Beetle é um exemplo de modelo 100% emocional típico e quase único na indústria automobilística.

Com um estilo retrô que remete ao mítico Fusca, o Volkswagen importado do México tem em suas linhas o principal chamariz. Design, aliás, que acaba por colocar em segundo plano a boa estrutura e os equipamentos de que dispõe -- como o câmbio automático Tiptronic que o modelo 2008 do simpático "besouro" passa a oferecer.
Luiza Dantas/Carta Z Notícias

O VW New Beetle é um carro "emocional", mas entrega mais que design
VEJA MAIS FOTOS DO NEW BEETLE TIPTRONIC


A moderna e eficiente transmissão de seis velocidades da marca alemã substitui a anterior, de quatro marchas. A opção de câmbio manual também continua sendo vendida no Brasil por R$ 58.080, enquanto a Tiptronic tem preço sugerido de R$ 62.300. Como a oferta é restrita, os preços praticados normalmente vão além desses valores, que em nada lembram os do velho besouro, lançado no Brasil em 1959 e que teve seu último exemplar nacional produzido em 1996.

FICHA TÉCNICA
Motor: Gasolina, dianteiro, transversal, 1.984 cm³, quatro cilindros em linha, duas válvulas por cilindro com comando simples de válvulas. Injeção eletrônica de combustível multiponto seqüencial. Acelerador eletrônico.
Transmissão: Câmbio automático Tiptronic com seis marchas à frente e uma a ré, com opção de trocas seqüenciais e de modo esporte. Tração dianteira. Não oferece controle eletrônico de tração.
Potência: 116 cv a 5.200 rpm.
Torque: 17,3 kgfm a 2.400 rpm.
Diâmetro e curso: 82,5mm x 92,8mm. Taxa de compressão de 10,3:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com molas helicoidais e amortecedores hidráulicos telescópicos. Traseira interdependente, com braço longitudinal, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos telescópicos verticais. Não oferece controle eletrônico de estabilidade.
Freios: Discos ventilados na frente e discos sólidos atrás. ABS e EBD de série.
Carroceria: Hatch médio em monobloco com duas portas e quatro lugares. 4,08 metros de comprimento, 1,72 metro de largura, 1,49 metro de altura e 2,50 metros de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais e laterais de série.
Peso: 1.250 kg em ordem de marcha com 480 kg de carga.
Porta-malas: 209 litros.
Tanque: 55 litros.
VW New Beetle Tiptronic
Pelo menos o New Beetle, construído sobre a plataforma do Golf, chega com airbags frontais e laterais e freios com ABS e EBD entre os itens de segurança. No mais, equipamentos previsíveis em modelos na faixa dos R$ 60 mil: estão lá ar-condicionado, direção hidráulica, trio elétrico, rádio/CD player, alarme, controle de cruzeiro, regulagens de altura e de profundidade do volante e do banco do motorista.

Os espelhos externos têm desembaçadores e setas incorporadas, os faróis contam com regulagem elétrica e o retrovisor interno traz relógio digital e termômetro. Inexplicável, porém, a ausência de um computador de bordo.

Por fora, não se pode, nem se deve, mexer muito no estilo do "Fusquinha do terceiro milênio", lançado mundialmente há dez anos e no Brasil dois anos depois. O modelo agora conta com faróis de neblina e ganhou pneus com 205 mm de largura que calçam novas rodas de liga leve aro 16.

Equipamentos e preço
Como opcionais, o New Beetle pode receber bancos revestidos em couro com aquecimento nos dianteiros, teto-solar elétrico, sensor de chuva e retrovisor eletrocrômico, que fazem o preço sugerido da versão Tiptronic saltar para R$ 68.585.

Mas preço é apenas um detalhe para quem valoriza a capacidade do carro arrebatar olhares e sorrisos por onde quer que passe. A carroceria é toda composta de formas arredondas, como as do antigo Fusca. Aliás, tudo lembra o velho "carro do povo" (tradução literal de "Volkswagen") surgido na Alemanha nazista na década de 1930.

Desde o conjunto óptico redondo e lanternas traseiras ovais até os pára-lamas abaulados. Uma mesma curva de design que é conferida no teto do carrinho e também no capô -- que, aliás, mantém a clássica "cara risonha" típica do Fusca.

IMPRESSÕES AO DIRIGIR
Luiza Dantas/Carta Z Notícias

O New Beetle foi concebido mesmo para ser indiscreto. Afinal, é só rodar um pouco com o carrinho retrô da Volkswagen por ruas de grande movimento para perceber torcidas de pescoço, dedos apontados, bocas abertas e olhares empolgados para o "Fusquinha burguês".
LEIA O TEXTO COMPLETO
Por dentro, mais referências estilísticas. O revestimento dos bancos com bolinhas pretas e o quadro de instrumentos redondo são exemplos. O que mais chama a atenção, porém, são as alças de apoio traseiras, posicionadas na coluna central, como as do antigo Fusquinha. Um pequeno vasinho para flores, comprido e estreito e feito de acrílico, ao lado do volante, dá um toque mais delicado ao painel.

As semelhanças entre o velho Fusca e o New Beetle se encerram quando se chega ao motor e à estrutura. O hatch mexicano usa propulsor dianteiro (no antigo Fusca era traseiro). Trata-se de um 2.0 litros. São 116 cv a 5.200 rpm e um torque máximo de 17,3 kgfm a 2.400 giros. A suspensão dianteira é independente do tipo McPherson e a traseira é interdependente.

Mas essas modernidades pouco importam frente ao estilo do carrinho -- tão próprio que até os concorrentes são poucos. Conceitualmente, seu único rival no Brasil é o também retrô Chrysler PT Cruiser, que parte dos R$ 68.900.

Mas os brasileiros que pagam por tanto saudosismo estilístico são poucos. O modelo da Volks vendeu 173 unidades em janeiro e outras 238 em dezembro, somando 411 nos dois meses da linha 2008 no mercado. Já o PT Cruiser acumulou 338 unidades no mesmo período, apesar de o veículo da Chrysler contar com motor mais potente, de 143 cv, e bancos com regulagens elétricas. Se bem que, em meio a tanta reverência ao passado temperada pelo estilo "fashion", quem se importa com isso?

(por Fernando Miragaya)

DE ZERO A 100 PONTOS, O NEW BEETLE TIPTRONIC
Desempenho - Os 116 cv do motor do New Beetle proporcionam arrancadas justas. O zero a 100 km/h pode ser obtido em 12,5 segundos. A performance eficiente, porém, se deve muito ao câmbio Tiptronic de seis velocidades. Há poucos buracos entre uma marcha e outra - mais sentidos entre a terceira e a quarta - e os trancos são mínimos. Na hora das retomadas, a transmissão também se mostra competente e não fica indecisa sobre qual marcha colocar. Isso sem falar no torque de 17 kgfm já disponível em 2.400 giros, que assegura ultrapassagens certeiras e um bom desempenho em trechos de subida. A máxima obtida foi de 175 km/h. Nota 8
Estabilidade - O comportamento dinâmico do carrinho retrô da Volks em retas fica comprometido após os 160 km/h. Uma ligeira sensação de flutuação na dianteira se faz presente e a comunicação entre roda e volante fica prejudicada. Nas curvas, porém, o modelo se porta bem, torce pouco a carroceria e não joga a traseira. Nas freadas bruscas, o carro também se sai bem, não levanta a traseira e se mantém na trajetória, sempre com o auxílio do ABS. Nota 7
Interatividade - Na manobrabilidade em geral, o New Beetle oferece um ótimo jogo de direção que, junto às suas dimensões enxutas, facilita na hora de estacionar. A ergonomia é eficiente e o quadro de instrumentos é de fácil visualização. O modelo, porém, peca pela ausência de computador de bordo. Nota 7
Consumo - O modelo testado fez a média de 7,1 km/l de gasolina, com uso 1/3 na estrada e 2/3 na cidade. Nota 6
Conforto - Apesar de usar a plataforma de um carro médio, a preocupação com o design sacrifica um pouco o espaço interno. Quem viaja na frente tem um bom vão para pernas e cabeça, mas atrás a realidade é outra. Alí, só duas pessoas conseguem viajar - mesmo porque há apenas dois cintos de segurança e dois apoios de cabeça. A suspensão é bem calibrada para os padrões brasileiros e reflete pouco as irregularidades da pista. O isolamento acústico do motor é eficiente e só acima dos 160 km/h se percebe barulhos de rodagens. Nota 7
Tecnologia - O New Beetle usa plataforma do antigo Golf e já tem dez anos de vida. O motor 2.0 de 8 válvulas também não é propriamente novo. Além disso, oferece airbags frontais e laterais e ABS como equipamentos de segurança e não há computador de bordo. O câmbio Tiptronic, porém, ameniza um pouco as limitações tecnológicas. Nota 6
Habitabilidade - É um carro retrô onde se buscou várias referências no velho Fusca, o que compromete outros aspectos. O modelo só tem duas portas e, apesar dos bancos corrediços, o acesso ao assento traseiro é complicado, principalmente para pessoas altas. O número de porta-objetos é meramente razoável e o espaço no porta-malas - 209 litros - é muito restrito. Nota 6
Acabamento - Os materiais usados no interior do New Beetle, além de um aspecto bem clean, aparentam qualidade, tanto ao toque como aos olhos. Os encaixes são precisos e não há sinais de rebarbas. Os fechamentos também estão de acordo e a forração dos bancos também merece destaque. Nota 8
Design - O New Beetle foi feito para ser estiloso e chamar a atenção. E ainda cumpre bem o seu papel. Apesar dos dez anos de "estrada", suas linhas harmônicas fazem instigantes referências ao velho Fusca sem perder modernidade. Nota 9
Custo/benefício - É um tanto contraditório falar em relação custo/benefício em um carro com apelo totalmente emocional. Na versão Tiptronic, o modelo oferece o mínimo necessário que se espera de um carro de R$ 62.300 sem o mesmo espaço e conforto de um carro médio. Seu concorrente conceitual, o PT Cruiser, custa mais: R$ 68.900. Nota 7
Total - O Volkswagen New Beetle Tiptronic somou 71 pontos em 100. NOTA FINAL: 7,1

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES