UOL Carros
 
15/02/2008 - 19h50

XLT 1.6 é a versão mais bem-sucedida do EcoSport

Da Auto Press
Desde que foi lançado, em 2003, o EcoSport se tornou o utilitário esportivo mais vendido do país. A Ford acertou em cheio ao apostar num compacto com cara de jipinho, mais barato que os autênticos off-road, para um público que prefere o asfalto e não planeja enfiar seu carro em trilhas inóspitas.

Só que a concorrência -- com inexplicável atraso, é verdade -- resolveu se mexer. A General Motors prepara um sport-utility light em cima do Celta e baseado no conceito Prisma Y, mostrado no Salão de São Paulo de 2006, enquanto a Renault estuda fazer o Logan MCV em São José dos Pinhais, no Paraná. E a recente maquiagem no EcoSport, apresentada em fins de outubro de 2007, foi a forma encontrada pela Ford para manter as boas vendagens e de se antecipar aos rivais que estão por vir.
Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias
O face-lift de outubro de 2007 deixou o EcoSport mais atraente, mas o carro mudou pouco além disso; marchas de força ficaram mais curtas
VEJA MAIS FOTOS DO ECOSPORT XLT 1.6

Tanto que, no lançamento do "novo" EcoSport, a fabricante norte-americana avisou que não esperava elevar substancialmente suas vendas. Até porque a planta da montadora na cidade baiana de Camaçari já opera no limite. Mesmo assim, o utilitário esportivo da Ford passou das 4.709 unidades em outubro para 5.443 e 5.383 unidades em novembro e dezembro, respectivamente. Em janeiro, mês tradicionalmente mais fraco, o modelo teve 4.560 unidades comercializadas.

IMPRESSÕES AO DIRIGIR
Jorge Rodrigues JOrge/Carta Z Notícias

Usar o termo "novo" virou praxe na indústria automobilística para batizar face-lifts e reestilizações num modelo que usa a mesma plataforma e não sofreu grandes alterações estruturais. A Ford, inclusive, adotou o slogan "Viva o novo". E com o EcoSport não foi diferente. Mas seria injusto não perceber melhoras nas arrancadas do já eficiente motor 1.6.
LEIA O TEXTO COMPLETO
OUTRA VERSÃO: ECOSPORT XLS
A versão XLT 1.6 é o principal "motor" dessa liderança, já que representa 40% das vendas totais do veículo. Trata-se da configuração mais completa da linha 1.6. A versão parte dos R$ 56.480 e sai de fábrica com ar-condicionado, direção hidráulica, trio elétrico, rádio/CD/MP3, ajuste de altura do volante, banco traseiro bipartido, alarme na chave, aviso sonoro de faróis acesos, regulagens de altura e lombar do assento do motorista, relógio digital, entre outros.

Na parte estética, item de fundamental importância para os "jipeiros do asfalto", faróis de neblina, bagageiro no teto e rodas de liga leve aro 15.

Mas molduras, carcaças de retrovisores e pára-choques na cor do veículo fazem parte de um pacote que inclui airbag duplo frontal, e que faz o compacto passar a custar R$ 58.165.

FICHA TÉCNICA
Motor: Flexfuel, dianteiro, transversal, 1.598 cc, quatro cilindros em linha, duas válvulas por cilindro e balancins roletados. Injeção eletrônica de combustível multiponto seqüencial e acelerador eletrônico.
Transmissão: Câmbio manual de cinco marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira. Não oferece controle de tração.
Potência: 111 cv com álcool e 105 cv com gasolina a 5.500 rpm.
Torque: 16,8 kgfm com álcool e 15,8 kgfm com gasolina a 4.250 rpm.
Diâmetro e curso: 82,07 mm x 75,50 mm. Taxa de compressão: 12.3:1
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com braços em "A" inferiores e buchas horizontais, montados em quadro auxiliar, molas helicoidais com compensação de carga lateral, amortecedores pressurizados hidráulicos e barra estabilizadora. Traseira semi-independente por eixo de torção, com correção de convergência em curvas, molas montadas sob o assoalho e amortecedores pressurizados. Não oferece controle de estabilidade.
Freios: Dianteiros a discos ventilados e traseiros a tambor. ABS e EBD como opcionais.
Carroceria: Utilitário esportivo compacto em monobloco com quatro portas e cinco lugares. 4,24 metros de comprimento, 1,73 m de largura, 1,67 m de altura e 2,49 m de distância entre-eixos. Airbag duplo como opcional.
Peso: 1.208 kg em ordem de marcha. 462 kg de carga útil.
Porta-malas: 296 litros/712 litros com o banco traseiro rebatido.
Ford EcoSport 1.6 XLT
PREÇO É NA TABELA FIPE
Completo (como a versão testada), o modelo recebe, ainda, freios com ABS e EBD e revestimento em couro dos bancos. Com isso, o EcoSport XLT 1.6 chega a R$ 64.005. Fica mais caro que o Chevrolet Tracker, um autêntico "lameiro" que, com os mesmos equipamentos, sai por R$ 61.274 e ainda leva a vantagem de ter tração nas quatro rodas.

Mas o modelo da General Motors perde no quesito estético, com um desenho bastante datado -- além do fato de a planta da GM na Argentina não ter capacidade produtiva para brigar de fato com o modelo da Ford.

Inimigos e motores
Conceitualmente, o EcoSport briga mesmo é com o CrossFox e com o Palio Adventure, compactos com suspensão reforçada e estética aventureira. O modelo da Volks, com quase todos os mesmos equipamentos, chega a R$ 59.045, enquanto o exemplar da Fiat -- que ainda segue a estética da antiga geração da linha Palio -- chega a R$ 58.016.

Em termos de motorização, só o Palio, com propulsor 1.8 de 114/112 cv (álcool e gasolina), se aproxima do Eco. O CrossFox leva a desvantagem de ter um motor 1.6 de 103/101 cv. Já o modelo da Ford usa o 1.6 litro de 111/105 cv a 5.500 rpm e torque máximo de 16,8/15,8 kgfm a 4.250 giros.

No visual, uma ligeira reestilização para justificar o termo "novo". Mas é verdade que o EcoSport ficou mais imponente com a nova grade central com uma barra horizontal, os conjuntos ópticos maiores e com desenho irregular (parecidos com o do Fiesta), o capô elevado e os pára-choques mais proeminentes.

Atrás, as lanternas com luzes do tipo canhão têm cortes que lembram as do Land Rover Freelander. Por dentro, mudaram os materiais aplicados no painel e revestimentos das portas. Na parte mecânica, porém, surge a alteração mais interessante: a relação da primeira e da segunda marchas foram encurtadas em 15% e 13,5%, enquanto a terceira foi alongada em 2,5%, a quarta em 7,5%, e a quinta em 7,8%. Estratégia da Ford para atender uma queixa dos consumidores e emprestar mais força nas primeiras marchas do veículo.

(por Fernando Miragaya)

DE ZERO A 100, O ECOSPORT XLT 1.6
Desempenho - O motor Zetec de 111 cv com álcool sempre teve um comportamento bastante satisfatório, mas foi beneficiado pelas mudanças no câmbio. O encurtamento da primeira e segunda marchas garantem arrancadas visivelmente mais vigorosas. De zero a 100 km/h foram 13,7 segundos. Mas, nas retomadas, o peso de 1,2 tonelada se faz notar e o modelo demora a engrenar, até porque os 16,8 kgfm de torque só estão disponíveis depois dos 4.250 giros. É preciso um pouco de paciência e pé no fundo para chegar à máxima de 160 km/h. Nota 8

Estabilidade - Apesar da altura elevada, o EcoSport se porta muito bem nas curvas. A carroceria torce pouco e o modelo não faz menção de sair de frente. O conjunto equilibrado também se reflete nas retas, e a relação entre rodas e volante só fica comprometida quando o veículo ultrapassa os 140 km/h e surge uma pequena sensação de flutuação. Nas frenagens bruscas, o ABS ajuda a manter o carro na trajetória. Nota 8
Interatividade - As regulagens de altura do banco e do volante facilitam a vida do motorista a bordo do EcoSport, que consegue uma boa visualização do quadro de instrumentos e tem a maioria dos comandos ao alcance das mãos. A visibilidade também é satisfatória. Mas o chamado "crachá off-road" - aquele estepe ostensivamente pendurado na tampa do porta-malas - dificulta na hora de estacionar de ré. O câmbio tem engates macios, mas poderia ser mais preciso. Nota 7
Consumo - O modelo testado se mostrou beberrão: fez a média de 6 km/l com álcool e uso 2/3 na cidade e 1/3 na estrada. Nota 5
Conforto - A suspensão bem acertada do EcoSport absorve bem as irregularidades da pista e os ocupantes não sentem as buraqueiras dentro do habitáculo. A altura do modelo confere um bom espaço para a cabeça dos ocupantes - mas, como em todo compacto, o vão para as pernas é regular. Atrás, por exemplo, dois adultos e uma criança conseguem viajar. Mas o isolamento acústico continua falho. Acima dos 4.500 giros o motor grita bastante e o barulho invade o habitáculo. Nota 6
Tecnologia - O EcoSport usa uma plataforma inaugurada no Brasil em 2002, relativamente moderna. No entanto, segundo fontes do mercado, a Ford já prepara uma nova plataforma para a futura geração do modelo. A suspensão independente na frente e semi-independente atrás é eficiente e confere um bom comportamento ao SUV. A versão XLT pode receber airbag duplo e ABS como opcionais, como na unidade avaliada, mas é inexplicável a ausência de computador de bordo, item só entregue nos modelos 2.0. Nota 7
Habitabilidade - Trata-se de um compacto, e portanto o porta-malas de 296 litros é exíguo e se vale mais da altura do modelo. Os acessos são bons e há uma boa quantidade de porta-objetos. A iluminação interna poderia ser mais eficiente, com luzes mais fortes e melhor espalhadas pelo teto do carro. Notaa 7
Acabamento - A Ford bem que se esforçou, mas o acabamento do EcoSport continua deixando a desejar. Os materiais do painel e das portas foram melhorados, estão menos agressivos ao visual e ao toque, mas nada que possa realmente representar um avanço. Os encaixes são imprecisos, assim como os fechamentos. Há diversas folgas visíveis nas tampas dos porta-luvas e em outros revestimentos, e as rebarbas estão aparentes por todas as partes, principalmente nos painéis do teto e na cobertura do porta-malas. Nota 5
Design - A reestilização no EcoSport emprestou mais modernidade e robustez ao utilitário esportivo. Além disso, os sutis retoques visuais seguiram o estilo "kinetic", nova tendência de design que a Ford implanta em vários modelos mundo afora. O modelo continua a cumprir com eficiência a tarefa de emprestar um ar meio "aventureiro" a quem desfila com ele. É o que motiva a maior parte de seus compradores. Nota 8
Custo/benefício - A versão XLT 1.6 entrega uma boa relação de equipamentos de conforto e de segurança por R$ 64.005. Mas acaba mais cara que modelos como Palio Adventure e CrossFox e até que a Tracker, um SUV autêntico e com tração 4x4. Nota 6
Total - O EcoSport XLT somou 67 pontos em 100. NOTA FINAL: 6,7

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES