UOL Carros
 
15/02/2008 - 19h49

Moda de reeditar clássicos traz de volta o Dodge Challenger SRT-8

Da Auto Press
A moda de reeditar modelos clássicos entre as marcas mais tradicionais dos Estados Unidos ganhou mais uma adesão. A Chrysler vai colocar no mercado o Dodge Challenger STR-8, um ícone na história da montadora norte-americana.

Curiosamente, entre 1970 e 1974, o modelo enfrentou os esportivos Ford Mustang e o Chevrolet Camaro. Agora, o Challenger volta para disputar o mercado com seus eternos rivais -- que também passaram por "atualizações" recentes. O Camaro, inclusive, vai ganhar uma nova geração no ano que vem.

O novo Challenger resgata o charme do modelo dos anos 1970 com um visual hype bem contemporâneo. O seu design é uma singular mistura de formas retangulares, típicas da época, com os volumes arredondados, tendência atual entre os automóveis.
Divulgação

Design do Challenger SRT-8 mistura formas retangulares e musculosas
VEJA MAIS FOTOS DO DODGE CHALLENGER SRT-8


O capô segue o estilo setentista, com um largo e negro ressalto na forma de um "T" bem ao centro, que incorpora as tomadas de ar. A frente robusta e esportiva apresenta grade retangular e afilada, e separa os tradicionais faróis duplos redondos.

A esportividade também está presente nos faróis de neblina, nas lanternas traseiras em quatro segmentos e nas rodas de alumínio aro 20. Mas é nas laterais que o modelo resgata o charme nostálgico do Challenger clássico. A linha da cintura e o teto com caimento acentuado preservam o desenho original de um carro que ganhou status de cult.

No interior, o volante é revestido em couro e traz os comandos do som. O quadro de instrumentos tem quatro mostradores com fundo azul. Os bancos são em couro preto com detalhes em laranja. Os da frente são do tipo esportivo, com as laterais mais salientes. Os assentos traseiros comportam três passageiros, embora aparentemente tenham sido planejados para duas pessoas. O console central ostenta uma tela com informações do navegador GPS no topo, abaixo das saídas de ventilação do painel.

Propulsor
Todo esse charme retrô vem muito bem acompanhado de um musculoso motor V8 da linha Hemi. São 6.1 litros, 425 cv de potência e torque máximo de 58 kgfm, que resultam em uma aceleração de zero a 100 km/h em cinco segundos -- segundo dados fornecidos pela Chrysler. Este propulsor trabalha com um câmbio automático de cinco velocidades.

O automóvel tem dimensões generosas de um pára-choque ao outro, bem ao gosto norte-americano. São 5,02 metros de comprimento, com uma distância entre-eixos de 2,94 m. Além disso, o Challenger tem 1,92 m de largura e 1,44 m de altura. Controles eletrônicos de estabilidade e de tração são itens de série. A esportividade ganha eco nos freios de alta performance Brembo, com ABS e EBD.

O Challenger foi apresentado no Salão de Chicago, no início de fevereiro, e já começou a ser produzido na fábrica da Brampton, no Canadá. O modelo vai ser oferecido nas cores laranja, prata metálica e preta perolizada. O primeiro lote de produção será uma edição especial de 6.400 unidades, que receberão uma plaqueta com a sua numeração em série.

O carro de plaqueta número um foi vendido em um leilão por US$ 400 mil, um valor bem acima dos US$ 38 mil pelos quais o Challenger será comercializado -- um preço considerado alto para os padrões norte-americanos. Mas no raciocínio do mercado norte-americano, clássico é clássico.

(por Alexandre Guimarães)

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES