UOL Carros
 
17/01/2008 - 15h28

Peugeot 307 CC é caro, mas tem tecnologia e charme

Da Auto Press
Conversíveis sempre despertam olhares curiosos e apaixonados por onde passam. Em compensação, no Brasil, eles nunca conseguiram emplacar. Apesar do clima perfeito para se andar com a capota recolhida, vários fatores impedem uma maior aceitação de modelos cabriolet e roadster por aqui, como a violência e o calor quanto das cidades. Mas o preço também espanta. É o exemplo dos R$ 145.600 pedidos pelo Peugeot 307 CC, por exemplo. Por este valor, o cupê-conversível 2+2 da marca francesa inclui não só uma boa dose de tecnologia e conforto, como também muito charme e status.

As linhas do 307 CC são harmoniosas, arrojadas e atuais - apesar de o sucessor 308 na versão hatch já ser uma realidade nas ruas européias. A bela frente do conversível é igual a do restante da linha 307 - hatch, SW e sedã - que deve se manter em produção na Argentina e vendido no Brasil até 2010. Os faróis grandes e amendoados e a enorme grade, no gênero "boca de tubarão", não mudam. Apenas o pára-brisa está mais inclinado e côncavo do que nas demais configurações, por conta a falta de capota. Com isso, a área envidraçada foi reduzida de 3,27 m² para 3,18 m². Nas dimensões, o CC totaliza 4,34 metros de um pára-choque ao outro, 14 cm a mais que o hatch, apesar do menor espaço interno, graças ao porta-malas ampliado para abrigar a capota quando retraída.
Pedro Paulo Figueiredo / Carta Z Notícias
O 307 CC chega ao mercado com muito luxo e segurança
IMPRESSÕES
VEJA MAIS FOTOS DO CARRO


Por conta dessa dupla função, o compartimento de bagagem abriga 417 litros quando o 307 é um cupê e 232 litros no modo conversível. Além das diferenças arquitetônicas, é na traseira que também se concentram as principais alterações visuais do CC. As lanternas têm desenho ousado e utilizam leds. A baixa estatura - tem 1,42m - reforça a faceta esportiva do cupê-conversível e, segundo a Peugeot, melhora a aerodinâmica.

O teto do 307 CC é recolhido ou estendido a partir de um botão no console entre os bancos dianteiros. A operação leva 27 segundos e pode ser feita com veículo em movimento a uma velocidade máxima de 10 km/h. Para adotar o sistema, a fabricante francesa teve de fazer diversas adaptações. A capota recebeu canaletas revestidas nas extremidades para acomodar os vidros quando está fechada e minimizar vibrações. Um sensor nas maçanetas internas baixa discretamente o vidro em milímetros para abertura das portas.
FICHA TÉCNICA
Peugeot 307 CC 2.0 16V
Motor: Gasolina, dianteiro, transversal, 1.997 cm³, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, comando duplo de válvulas no cabeçote. Injeção eletrônica de combustível multiponto seqüencial. Bloco e cabeçotes em alumínio. Acelerador eletrônico.
Transmissão: Câmbio automático do tipo Tiptronic de quatro velocidades à frente e uma marcha a ré e opção de trocas seqüenciais manuais. Tração dianteira e controles eletrônicos de estabilidade e de tração.
Potência: 138 cv a 6 mil rpm..
Torque: 19,4 kgfm a 4.100 rpm.
Diâmetro e curso:85,0 mm X 88,0 mm. Taxa de compressão: 10,8:1.
Suspensão: Dianteira independente pseudo McPherson invertido, com molas helicoidais, amortecedores hidráulicos pressurizados e barra estabilizadora. Traseira independente com barra de braços duplos deformável, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos pressurizados e barra estabilizadora.
Freios: Discos ventilados na frente e discos sólidos atrás. Sistemas ABS, EBD e assistente de frenagem de emergência.
Carroceria: Cupê-conversível em monobloco com duas portas e quatro lugares (2+2). Comprimento de 4,34 metros com 1,75 m de largura, 1,42 m de altura e 2,60 m de distância entre-eixos. Airbags frontais e laterais dianteiros.
Peso:1.488 kg em ordem de marcha
Porta-malas: 417 litros no modo cupê e 232 litros no modo conversível.
Tanque: 60 litros.
Preço: R$ 145.600
Tecnologia e conforto
Estruturalmente, a coluna dianteira recebeu reforços tubulares de 5 cm de diâmetro, que vão desde a base da coluna até o suporte do pára-brisa para evitar uma dobra em caso de capotamento. O modelo, aliás, conta com sensor de capotamento que "prepara" o carro. Caso o dispositivo detecte uma inclinação exagerada, os apoios de cabeça traseiros são erguidos para minimizar possíveis danos aos ocupantes de trás. Outro reforço na segurança é o capô feito em alumínio para melhor o índice de deformação em caso de colisão frontal.

Além dos itens construtivos pouco visíveis, há ainda uma extensa lista de equipamentos de segurança. Seis airbags, freios com ABS, EBD, assistente de frenagem, controles eletrônicos de estabilidade e de tração estão inclusos. Os recursos para aumentar o conforto também seguem a proposta de status do modelo: ar-condicionado automático com duas zonas de temperatura e saída para o porta-luvas, direção hidráulica, cruiser control, computador de bordo, rádio/CD/MP3 com disqueteira para seis discos, trio elétrico, bancos de couro, detector de obstáculos traseiro com monitoramento visual, sensores de luminosidade e de chuva, travamento automático das portas e retrovisor eletrocrômico.

Sob o capô, o 307 CC conta com o conhecido motor 2.0 16V já aplicado ao restante da linha. São 138 cv de potência a 6 mil rpm e 19,4 kgfm de torque máximo aos 4.100 giros. A diferença fica por conta da transmissão automática Tiptronic, de quatro velocidades e com opção de mudanças manuais no modo seqüencial. Afinal, status e conforto costumam andar juntos.

(por Fernando Miragaya)

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES