UOL Carros

23/11/2007 - 20h02

Impressões ao dirigir: Captiva, um SUV urbano e sereno

Especial para Auto Press,
Em Buenos Aires
Mecanicamente, o Chevrolet Captiva oferece um novo motor quatro cilindros e 16 válvulas turbo-diesel com Common Rail e 150 cv, de última geração. Com uma caixa automática de cinco velocidades, a princípio ele parece um tanto moroso -- mas logo mostra mais agilidade, apoiado no bom torque em baixas rotações (36,2 kgfm em 2.000 giros).

A falta de um modo seqüencial no câmbio automático não impede de achar um bom entrosamento com o acelerador. O conversor de torque se queixa um pouco nas primeiras marchas, mas as mudanças são eficientes e suaves.

A quinta marcha permite viajar a 140 km/h na faixa dos 2.500 giros sem que os ruídos mecânicos invadam a cabine. Em altas velocidades, quando se pisa fundo, chega-se sem grandes esforços à máxima de 180 km/h. Na hora de frear, é possível perceber os quatro discos e o ABS se encarregando de conter os 1.835 kg de peso do SUV com êxito.

Divulgação
O Chevrolet Captiva tem 4,63 m, mais que a média do segmento
MAIS FOTOS DO CAPTIVA
CAPTIVA CHEGA AO BRASIL EM 08
Os bancos são um pouco estreitos, mas é possível encontrar uma boa posição de dirigir graças às regulagens elétricas. A linha de cintura alta, assim como a porta traseira, dificultam um pouco a visibilidade para trás.

O test-drive realizado pela GM argentina não possibilitou a avaliação no off-road, mas esse não mesmo é o principal objetivo de um modelo que, como as novas gerações de SUVs, se concentra em entregar grande refinamento e performance sobre o asfalto. Apoiado sobre suspensões independentes, o Captiva se desloca serenamente, evitando que as irregularidades do piso se reflitam no habitáculo. Nas curvas, a carroceria torce pouco e seu comportamento é bem balanceado pelo controle de estabilidade e seu sistema de tração AWD, que joga a força na frente na maior parte do tempo.

Dentro do Captiva, a distância entre-eixos de 2,70 metros confere grande espaço para as pernas, principalmente na segunda fileira. Além disso, com 4,63 metros de comprimento, ele supera a média do tamanho do segmento e oferece uma terceira fila de assentos -- tal como na minivan média Zafira. Contudo, como esses assentos são muito baixos, o espaço para as pernas fica mais adequado para crianças. Para adultos, só em situações ocasionais.

Em resumo, o Captiva cumpre com seus objetivos de SUV moderno. Tem dinâmica muito parecida com a de um sedã, grande conforto, requinte de equipamentos e, ainda, a praticidade com três fileiras de assentos. Mas possui capacidade de estender as viagens além dos limites convencionais. (por Hernando Calaza, da MegaAutos)

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES