UOL Carros

09/11/2007 - 19h00

Híbrido e rápido, Audi Metroproject aponta o futuro dos hatches

Da Auto Press
Enquanto o Brasil aposta no uso do álcool como principal alimento para os carros flexfuel, nos países ricos grande parte dos investimentos da indústria apontam para os híbridos -- veículos empurrados por motores elétricos e a combustão. É nesse aspecto, principalmente, que o Audi Metroproject Quattro se destaca, e de forma bastante original.

Apresentado no Salão do Automóvel de Tóquio, que termina esta semana, o hatch compacto (ainda um protótipo) propõe uma bela idéia futurista de um automóvel híbrido "plug-in" e tipicamente urbano, com muito estilo, sofisticação e esportividade. Esperado para 2009, o modelo provavelmente se chamará A1, sigla que o designará como o carro de entrada da marca alemã, controlada pelo grupo Volkswagen.

No Metroproject Quattro, o ponto alto em termos de tecnologia é, sem dúvida, a propulsão híbrida. Equipado com a moderna unidade de força a gasolina 1.4 litro TFSI da Volkswagen, com injeção direta de combustível e turbocompressor, o protótipo combina os 150 cv de potência e 24,5 kgfm de torque máximo do motor a combustão com outros 41 cv e 20,4 kgfm de torque de um propulsor elétrico, acomodado na base do porta-malas.

Enquanto a unidade 1.4 despeja seu vigor nas rodas dianteiras, gerenciada pelo câmbio automatizado S-Tronic de duas embreagens, a propulsão elétrica fornece potência para o eixo traseiro. Assim, o Metroproject roda com tração nas quatro rodas (daí o sobrenome Quattro).

De acordo com a Audi, a combinação foi projetada para proporcionar maior disposição, autonomia e, sobretudo, baixos consumo de combustível e emissão de gases poluentes. Alimentado por baterias de lítio, o propulsor elétrico dá ao hatch compacto autonomia de rodagem de 100 km, situação em que simplesmente não há emissão de gases. O reabastecimento é feito por tomadas convencionais, dessas de parede -- símbolo dos veículos plug-in. Já no propulsor 1.4 litro TFSI, o avanço está no consumo: o Metroproject faz até 20,4 km por litro de gasolina, segundo a fabricante.

Desempenho, design
Como oferta final, o uso dos dois motores ainda entrega ao protótipo um desempenho de dar inveja a muito carro médio com aspiração esportiva. De acordo com a montadora germânica, o hatch compacto leva 7,8 segundos para ir de zero a 100 km/h, e chega à máxima de 201 km/h. A performance apimentada também ganha expressão no design agressivo. O Metroproject Quattro tem estilo arrojado de todos os ângulos.

Divulgação

Motor elétrico traseiro é visível do interior do carro
Suas medidas curtas, com 3,91 metros de comprimento, 1,75 m de largura e 2,46 m de entre-eixos, são muitíssimo bem exploradas por fora, com cortes ousados, e dão até certa robustez ao modelo.

Na frente, o capô corta os faróis na diagonal, deixando-os levemente inclinados e com aspecto bruto. Um filete de leds contorna a base das parábolas simples do conjunto óptico, que ganha expressão com a grade cromada em forma de trapézio da Audi. Os pára-lamas salientes deixam as laterais do hatch bem musculosas, enquanto na traseira a carroceria fica ainda mais parruda com o pára-choque bojudo que nasce dos pára-lamas e é esportivamente adornado por dois escapes redondos na base.

As lanternas com recortes irregulares na altura da linha da cintura também dão uma expressão "enfezada" à traseira, que agrupa uma quinta porta formada a partir da tampa da mala.

Bom gosto interno
Por dentro, impera o bom gosto na escolha dos materiais, além do excelente acabamento das peças -- tradicionalmente marcante nos modelos da marca. Um dos destaques é o motor elétrico, acomodado na base do porta-malas e coberto por uma tampa acrílica translúcida. O painel de instrumentos traz os relógios do velocímetro e do conta-giros e uma tela de cristal líquido de alta resolução no meio, onde aparecem imagens e informações.

Mas o detalhe mais interessante é o AudiPhone, um aparelho portátil similar ao iPhone, da Apple, que funciona como telefone, tocador de MP3 e vídeo, navegador de internet e GPS, além de permitir ao motorista e passageiros controlar equipamentos como o computador de bordo.

Essas serão as armas da Audi na futura briga com o Mini Cooper, hatch compacto de luxo da marca inglesa Mini (controlada pelo grupo BMW) e que será seu grande rival na Europa. (por Diogo de Oliveira)

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES