UOL Carros

08/11/2007 - 16h30

Impressões ao dirigir: Tiida não quer pegar fila

Do editor de UOL Carros
Ao colocar o Nissan Tiida para trabalhar, a primeira coisa que se nota é o baixo nível de ruído. O motor 1.8 de 16 válvulas "fala" macio e o isolamento acústico funciona bem. Em velocidade média e constante, com os vidros fechados, é possível conversar em voz baixa como se o habitáculo fosse uma sala de estar.

No anda-pára da cidade, o Tiida e seus 124 cavalos sobram. Claramente, é um carro que não gosta de pegar "retardatário" pela frente e que não se conforma em andar em fila indiana -- e isso vale para todas as versões manuais, já que o motor não muda com a roupagem mais agressiva do exemplar testado pelo UOL Carros.

Ao motorista, resta sossegar o pé e notar que o Tiida roda bem solto já em quarta marcha; a quinta velocidade acaba sendo pouco usada, e a sexta quase nunca, no trafégo urbano. Por isso, e também pelo silêncio, o carro é muito gostoso de guiar à noite, em vias desimpedidas e que permitam uma condução mais constante (não necessariamente muito mais veloz).

FICHA TÉCNICA


Motor: 1.8 (1.798 cm³) 16 válvulas, 4 cilindros em linha, sistema CVVTCS e acelerador eletrônico
Transmissão: Manual de seis velocidades
Potência: 124 cv a 5.500 giros
Torque: 17,5 kgfm a 4.800 giros
Taxa de compressão: 9,9:1
Diâmetro x curso: 84 mm x 81,1
Freios: A disco na frente e a tambor atrás, com ABS, EBD e assistente de frenagem (somente no SL)
Carroceria: Hatch monobloco em aço, quatro portas e cinco lugares; comprimento de 4,295 metros, largura de 1,695 metro e altura de 1,545 metro; entre-eixos de 2,6 metros
Peso: 1.247 kg
Porta-malas: 296 litros (463 litros com banco deslocado)
Tanque: 52 litros.
Tiida SL 1.8 16V
Nos trechos de estrada percorridos pelo UOL Carros, o Tiida portou-se de forma exemplar. Segundo a Nissan, o torque máximo de 17,5 kgmf aparece em 4.800 giros -- mas muito antes disso o carro já se garante. Após atingir a velocidade de cruzeiro desejada, o motor só vai romper a faixa dos 3.000 rpm em ultrapassagens complicadas e em subidas muito puxadas. Nesses momentos, e nas retomadas em geral, o acelerador eletrônico garante uma homogeneidade no ganho de velocidade que torna chocante o contraste com a pisada em modelos mais simples. Essa observação vale, também, para a direção com assistência elétrica do Tiida, que transforma um carro de 1.247 kg numa pluma.

Em sexta marcha, a 120 km/h, máxima permitida nas estradas percorridas (o UOL Carros respeita os limites em testes no trânsito), o carro desliza ainda em silêncio e com absoluta naturalidade, mostrando que teria muito mais a oferecer nesse quesito. A velocidade final, diz a fábrica, é de 192 km/h no carro manual (não há como duvidar) e 181 km/h no automático.

Em estradas de traçado mais complicado, com muitas curvas, aclives e declives, o motorista vai perceber que é mais interessante "segurar" um pouco o Tiida usando a quinta marcha. Atrás de um volante dócil, montado numa suspensão bem acertada e confiando na boa estabilidade, a tendência é liberar na estrada a tensão do carro contida na cidade -- mas numa rodovia mais precária isso não é recomendável.

A conta de combustível do carro da Nissan é outro ponto interessante. O UOL Carros rodou cerca de 440 km com ele, 55% em tráfego urbano e 45% em estradas. Nessas condições, o consumo médio foi de 10,3 km/litro de gasolina -- um resultado bastante razoável.

Em suma: o Tiida é melhor que boa parte dos caminhos que percorre. Entrega conforto ao guiar, confiabilidade e um motor forte para qualquer situação. Seus vícios (ausências de propulsor flex e computador de bordo, por exemplo) não diminuem a boa impressão que ele deixa no motorista graças a suas virtudes sobre o asfalto.

Veja também:
Álbum de fotos do Nissan Tiida
Com roupa esporte, o raro Tiida se destaca

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES