UOL Carros

11/10/2007 - 19h43

Citroën, 'sofisticada' no Brasil, marca posição com C4 Pallas

Da Auto Press
No Brasil, a Citroën conquistou uma imagem de sofisticação que não tem em nenhum outro país do mundo. Tal prestígio motivou a marca a tentar emplacar por aqui o C4 Pallas no concorrido segmento de sedãs médios. Para não ficar apenas fazendo figuração e brigar para ser uma das protagonistas do segmento, a marca investiu de verdade na ficção.

Gastou os tubos para que o ator inglês Kiefer Sutherland (o Jack Bauer da série "24 Horas") dirigisse o Pallas na campanha publicitária. E outros tantos tubos para colocar o novo sedã em cenas de merchandising explícito com Daniel, Paula, Taís e outros personagens da novela "Paraíso Tropical", da Globo.


Além de dar visibilidade ao modelo, a Citroën adotou a estratégia de posicionar o Pallas para disputar mercado com as versões intermediárias de outros sedãs médios. Tanto que ele começou a ser vendido em setembro apenas com motorização 2.0 e a partir de R$ 64.990. Na mídia, o Pallas apareceu bastante. Nas ruas, nem tanto. No primeiro mês de vendas, em setembro, 1.032 unidades foram emplacadas, o que corresponde a metade da estimativa mensal da Citroën na época do lançamento, em junho. Dificuldades de produção na fábrica de Palomar, na Argentina, teriam limitado as vendas.

Nesse início de carreira, uma das versões "de briga" do Pallas é a Exclusive automática, que parte dos R$ 76.990. Encara modelos também intermediários com equipamentos similares, como o Honda Civic LXS 1.8 automático (R$ 71.020), Toyota Corolla SE-G Flex 1.8 (R$ 79.676) e Chevrolet Vectra Elegance 2.0 (R$ 75.527).

Mimo perfumado
Para brigar nesse segmento, a Citroën sabe que é preciso oferecer não apenas estilo e conforto, mas também um bom recheio. E ele deve ser temperado com mimos que podem até parecer supérfluos, mas que proporcionam requinte diferenciado em relação aos concorrentes.

Entre os que o Pallas oferece, o mais inusitado é o compartimento para pequenos frascos aromáticos ao lado da saída central do ar-condicionado, que perfurmam o habitáculo. Volante multifuncional com miolo fixo, porta-óculos e até um ganchinho para pendurar bolsas ao lado do porta-luvas complementam a lista de adereços chiques.

FICHA TÉCNICA


Motor: Gasolina, dianteiro, transversal, 1.997 cm³, 4 cilindros em linha, 4 válvulas por cilindro com controle variável. Injeção eletrônica multiponto seqüencial. Acelerador eletrônico.
Transmissão: Câmbio automático com quatro marchas à frente e uma a ré e opção de modo seqüencial. Tração dianteira.
Potência: 143 cv a 6.000 rpm.
Torque: 20 kgfm a 4.000 rpm.
Diâmetro e curso: 85 mm x 88 mm. Taxa de compressão de 10,8:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com braços inferiores triangulares, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Traseira independente, com eixo traseiro com braços estendidos, travessa deformável, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora.
Freios: Discos ventilados na frente e sólidos atrás. ABS, EBD e assistente de frenagem.
Carroceria: Sedã médio em monobloco com quatro portas e cinco lugares. 4,77 metros de comprimento, 1,77 metro de largura, 1,51 metro de altura e 2,71 metros de entre-eixos.
Peso: 1.409 kg em ordem de marcha com 840 kg de carga útil.
Porta-malas: 580 litros/1.215 litros com o banco traseiro rebatido.
Tanque: 60 litros.
Citroën C4 Pallas 2.0 16V Exclusive automático
Além desses detalhes que dão um toque de exclusividade, estão presentes equipamentos mais convencionais, como ar-condicionado automático e digital com regulagens independentes e saídas traseiras, computador de bordo, trio elétrico, rádio/CD/MP3, controle de cruzeiro, ajuste de altura do banco do motorista e da coluna de direção, porta-luvas refrigerado, bancos de couro e regulagem elétrica dos faróis.

No quesito segurança, airbags frontais, freios com ABS, EBD e assistente de frenagem e sensores de estacionamento dianteiro e traseiro com informações sobre o posicionamento dos obstáculos por meio de um display no painel. Já airbags laterais e de cabeça, controles eletrônicos de estabilidade e de tração, alarme e regulagem elétrica do banco do motorista só no chamado Pack Tecnologique, que faz o preço do carro saltar para R$ 80.990.

Enquanto Civic, Vectra e Corolla dispõem de tecnologia flex, o C4 Pallas só oferece um motor a gasolina. É um 2.0 16V com comando variável de válvulas, que gera 143 cv a 6 mil giros e torque de 20 kgfm a 4.000 giros. A unidade de força trabalha em conjunto com um câmbio automático de quatro velocidades com opção de modo seqüencial.

Modernidades
Já estruturalmente, o sedã da Citroën tem lá seus diferenciais positivos. A moderna suspensão é independente tanto na frente quanto atrás, e conta com barra estabilizadora em ambas.

Essa modernidade do Pallas ganha visibilidade nos contornos da carroceria ousada. O desenho pode ser até controverso, mas quebra um pouco a mesmice de um segmento ainda dominado pelo estilo "carro de coroa". Os faróis geométricos que começam retangulares e sobem pelo capô em um desenho cheio de retas e curvas podem até causar estranheza, mas conferem inequívoca dose de arrojo.

Atrás, as lanternas seguem o estilo dos faróis e invadem a carroceria. No geral, as laterais musculosas reforçam as grandes dimensões do C4, que tem seus 4,77 m de comprimento valorizados pelos pára-choques bojudos e pelo corte da tampa do porta-malas inclinado. (por Fernando Miragaya)

O C4 PALLAS 2.0 AUTOMÁTICO EM DEZ PONTOS
Desempenho - As retomadas e arrancadas do C4 Pallas merecem destaque. A razão é simples: logo aos 2 mil giros, o motor enche bem pois dispõe de 17,3 kgfm, ou seja, 86% do torque total. As respostas às investidas no pedal do acelerador só não são mais dinâmicas por conta do câmbio automático, de quatro velocidades. Há algum atraso na hora das trocas de marchas, principalmente entre a terceira e quarta, quando o modelo joga os giros do motor na estratosfera para fazer a mudança. Mesmo assim, o zero a 100 km/h foi feito em 9,6 segundos e foi possível alcançar a máxima de 190 km/h. Nota 8
Estabilidade - A suspensão independente com barra estabilizadora na traseira e na dianteira deixam o C4 Pallas bem firme na pista. A carroceria torce pouco, mas ao entrar em curvas de forma mais arisca o terceiro volume se faz notar e o modelo joga discretamente a traseira. A partir dos 150 km/h, surge uma sensação de flutuação nas retas. Em contrapartida, as frenagens são eficientes. Mesmo parando bruscamente a 80 km/h, o modelo seguiu reto em sua trajetória, em parte graças aos sempre bem-vindos ABS e EBD. Nota 7


Interatividade - A quantidade de botões no volante pode assustar, mas com o tempo é possível se familiarizar com o volante multifuncional, cuja grande vantagem é o fato de o miolo ser fixo. Ou seja, em qualquer posição do aro, as teclas ficam no mesmo lugar. Mas alguns detalhes comprometem a ergonomia. Como a buzina, disposta apenas na parte inferior do volante, o que requer tempo do motorista para achá-la, complicado para uma emergência. O quadro de instrumentos digital ao centro do painel é de fácil visualização, mas o conta-giros acima do volante também pede tempo para o motorista se acostumar. O C4 Pallas oferece regulagens do banco e do volante, o que facilita o condutor a encontrar uma boa posição para dirigir. A traseira elevada e as largas colunas laterais dificultam na hora de manobrar, mas o modelo testado contava com sensor de estacionamento na frente e atrás. Nota 7
Consumo - O modelo avaliado fez a média de 8,3 km/l. Razoável para um automático de 4 velocidades e multiválvulas, a gasolina. Nota 7
Conforto - O Pallas traz uma suspensão independente bem acertada, com barra estabilizadora, que absorve bem as irregularidades das ruas. Os ocupantes não ficam quicando a cada buraco. E também não têm o que reclamar de espaço para cabeças e para as pernas. Tampouco de barulho, já que praticamente não se ouve o ruído do motor. Nota 8
Tecnologia - O sedã é um projeto razoavelmente moderno e recente, feito sobre a plataforma do 307 na Argentina. Conta com câmbio automático igualmente moderno e motor multiválvulas com comando variável. Nos itens de segurança, ABS, EBD, airbags frontais e sensores de estacionamento. Bolsas adicionais e controles de tração e estabilidade, porém, só no Pack Tecnologique, que encarece em quase R$ 4 mil o carro. Nota 7
Habitabilidade - O generoso porta-malas de 580 litros é um dos destaques do C4 Pallas. No habitáculo, há boa quantidade de porta-objetos e porta-copos e os acessos são facilitados pelas generosas portas. Tão generosas que são pesadas. Na hora de desembarcar, é bom ficar segurando a porta, caso contrário ela tende a se fechar em cima da pessoa. Nota 7
Acabamento - Na versão Exclusive, o acabamento honra as boas tradições da Citroën no Brasil. O painel, apesar de homogêneo e sem grande variedade de materiais, aparenta qualidade. Os bancos de couro conferem um ar requintado e os fechamentos e encaixes nas peças plásticas são precisos. Não há sinais de rebarbas nas emendas de acabamento. Nota 9
Design - A Citroën gosta tanto de ousar que às vezes seus carros ficam esquisitos. O C4 Pallas tem um visual controverso, mas inegavelmente ousado. Além do mais, a grade frontal e os conjuntos óticos reforçam a tendência de estilo que a marca aplica em outros modelos. Nota 7
Custo/benefício - A versão Exclusive automática parte dos R$ 76.990. Ao agregar itens de segurança mais abrangentes, como airbags laterais e de cortina e controles de estabilidade e tração, salta para R$ 80.990. Salgado frente às versões intermediárias de outros sedãs médios. Nota 7
Total - O Citroën C4 Pallas 2.0 16V Exclusive automático somou 74 pontos em 100. NOTA FINAL: 7,4

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES