UOL Carros

28/08/2007 - 20h30

Minivans estão nas últimas, mas Xsara renova fôlego para prosseguir

Da Auto Press
A moda das minivans no Brasil está nos estertores. Há quatro anos, o segmento vendia três vezes mais do que hoje. Mas, ainda assim, a Citroën renova a aposta na Xsara Picasso. A montadora acaba de promover um "face-lift" para sua minivan produzida em Porto Real, no Rio de Janeiro. A idéia é dar fôlego ao modelo para que ele chegue com vigor comercial a 2009, ano para o qual se previa o fim de sua produção (que pode, no entanto, ser estendida até 2013, segundo a Citroën).

PICASSO EXCLUSIVE EM IMAGENS
Pedro Paulo Figueiredo/Carta Z Notícias
Carro da Citroën passou pela 1ª mudança estética desde 2001
MAIS FOTOS DO CARRO
A reestilização, feita no Brasil, é usada também na versão vendida na China. Só que, por serem mais ágeis industrialmente, os chineses apresentaram este novo desenho quatro meses antes do que o Brasil.

Desde que foi lançada, em 2001, esta é a maior mudança pela qual a minivan média passou. Mas a estratégia da Citroën sempre foi buscar criar novidades para atrair a atenção e os consumidores para suas concessionárias. E a versão top, a Exclusive 2.0 16V Automatique, é a que reúne a maior parte dessas táticas.

A começar pelo motor, que nasceu "estrangulado" em 118 cv e depois teve seus 138 cv liberados no Brasil (atitude copiada pela Citroën francesa). O próprio câmbio automático chegou há apenas dois anos na linha. Tudo com a função de emprestar requinte e sofisticação à gama de monovolumes. Até porque a versão é a mais cara da linha -- o preço é de R$ 73.380.

IMPRESSÕES AO DIRIGIR
Pedro Paulo Figueiredo/Carta Z Notícias
O interior é confortável e bom para famílias, mas o carro segue pesado
TEXTO COMPLETO
E também no recheio completo. Além do moderno câmbio automático de quatro velocidades com modo seqüencial, o modelo tem diversos itens de conforto, como revestimento em couro, ar-condicionado digital, direção hidráulica, trio elétrico, piloto automático, computador de bordo, rádio/CD player com comandos no volante e regulagens de altura e lombar do banco do motorista. A versão top também conta com itens de segurança indispensáveis para um modelo deste preço, como airbags frontais e laterais, freios com ABS e EBD.

No desenho do mercado, porém, o Picasso Exclusive tem a função de emprestar requinte e sofisticação à linha. Tanto que responde por algo em torno dos 10% no mix de vendas. Ou seja: nos primeiros sete meses deste ano, o Exclusive registrou uma média de pouco mais de 80 unidades/mês, diante das 780 vendas médias mensais de toda a linha. O número que lhe dá a liderança no ranking de vendas em 2007, seguida pela Chevrolet Zafira, com 756 vendas em média, e pela Renault Scénic, com 408 unidades.

Vender mais
A meta, após esse "tapa" estético, é ultrapassar as mil unidades mensais. Isso apesar da discrição das mudanças. As alterações mais notáveis ocorreram na dianteira. A nova grade com duas barras cromadas que partem dos faróis e ao centro desenham o famoso "double chevron", ou as duas engrenagens estilizadas da logomarca, valorizada na atual identidade visual em novos modelos, como C4, C5 e C6.

Ao mesmo tempo, o pára-choques ganhou novo desenho e ficou mais bojudo. Os dois faróis de neblina estão inseridos em duas depressões de fundo preto. A entrada de ar foi esticada e conta agora com dois filetes cromados abaixo dos faróis. As seções de luz acima do conjunto ótico, aliás, têm nova divisão e conferem um estilo mais fluido ao desenho. Na traseira, o pára-choque também segue o mesmo estilo mais arredondado do dianteiro.

No interior, os revestimentos em plástico de painéis e portas passam a ser monocromáticos em negro (antes eram em tons claros e escuros de cinza). A inspiração para mudar a casca do Picasso não se estendeu à estrutura do modelo. O monovolume continua usando a mesma plataforma, lançada em 1999 na França e em 2001 no Brasil.

Com preço sugerido de R$ 73.380, o Picasso Exclusive 2.0 Automatique concorre com configurações top de outros modelos. E se torna competitivo frente aos R$ 74.990 pedidos pela Renault para o Mégane Scénic Privilège Plus 2.0 16 V ou aos R$ 76.248 do Chevrolet Zafira Elite.

O modelo da GM, porém, leva a vantagem da configuração com terceira fileira de assentos e motorização flex. Completo, com ar-condicionado para os bancos traseiros, cruise control e sensor de estacionamento, o Picasso ainda fica em R$ 76.575. (Fernando Miragaya)

FICHA TÉCNICA
Motor: A gasolina, dianteiro, transversal, 1.998 cc, quatro cilindros em linha, duplo comando no cabeçote, quatro válvulas por cilindros, injeção eletrônica de combustível multiponto seqüencial e acelerador eletrônico.
Transmissão: Câmbio automático de quatro marchas à frente e uma à ré com opção de modo seqüencial. Tração dianteira.
Potência e torque: 138 cv a 6.000 rpm; 20 kgfm a 4.100 rpm.
Diâmetro e curso: 85 mm x 88 mm. Taxa de compressão: 10,8:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com molas helicoidais, amortecedores hidráulicos telescópicos e barra estabilizadora. Traseira independente com braços longitudinais, barra de torção transversal, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora.
Freios: Discos ventilados na frente e tambores atrás, com ABS e EBD.
Carroceria: Monovolume em monobloco com quatro portas e cinco lugares. 4,27 metros de comprimento, 1,75 m de largura, 1,66 m de altura e 2,76 m de distância entre-eixos.
Peso: 1.326 kg com 506 kg de carga útil.
Porta-malas: 550 litros/1.969 litros com os bancos traseiros rebatidos.
Tanque de combustível: 55 litros.
Preço: R$ 73.380 (completo vai a R$ 76.575)
Citroën Picasso Exclusive 2.0 Automatique

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES