UOL Carros

21/08/2007 - 17h14

Com XTR, C3 apela aos homens; motor 1.4 baixa o preço

Da Auto Press

Pedro Paulo Figueiredo/Carta Z Notícias

Alguns carros compactos vestidos para A aventura já nem tentam fisgar quem gostaria de ter um 4x4 legítimo. Eles só trabalham mesmo com a imagem de robustez. Prova disso é o Citroën C3 XTR. Na época do lançamento, a própria montadora francesa fez questão de definir o modelo como "on-road". E a vocação urbana do C3 é tão profunda que a fábrica tratou de instalar sob o capô uma opção de motorização nada aventureira: a 1.4 flex.

FICHA TÉCNICA
Pedro Paulo Figueiredo/Carta Z Notícias
O motor 1.4 flex, que obtém 82 cv
Motor: A gasolina ou álcool, dianteiro, transversal, 1.360 cc, quatro cilindros em linha, 8 válvulas, acelerador eletrônico e injeção eletrônica multiponto seqüencial.
Transmissão: Câmbio manual de cinco marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira.
Potência máxima: 80 cv com gasolina e 82 cv com álcool a 5.200 rpm.
Torque máximo: 12,6 kgfm a 3.250 rpm.
Diâmetro e curso: 75 mm x 77 mm. Taxa de compressão: 10.5:1
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com molas helicoidais, amortecedores hidráulicos telescópicos e barra estabilizadora. Traseira do tipo eixo de torção, com braços oscilantes, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos telescópicos e barra estabilizadora.
Freios: Dianteiros a discos sólidos e traseiros a tambor.
Carroceria: Hatch em monobloco com quatro portas e cinco lugares. 3,85 metros de comprimento, 1,66 m de largura, 1,52 m de altura e 2,46 m de distância entre-eixos.
Peso: 1.072 kg com 400 kg de carga útil.
Porta-malas: 305 litros/1.155 litros (rebatido)
Tanque de combustível: 47 litros.
Preço: R$ 47.840 (R$ 51.866 com opcionais)
Por um lado, este motor tira mesmo qualquer pretensão esportiva do modelo. Por outro, a versão é mais barata que a 1.6 16V e ainda cumpre a função de "masculinizar" o C3, um carro com grande apelo de design e muito identificado com o público feminino.

A versão XTR 1.4 foi lançada há quatro meses e as vendas logo acusaram sua chegada. Nos últimos dois meses, o C3 XTR 1.4 emplacou 389 unidades vendidas, contra 169 unidades do XTR 1.6 16V. Na prática, com o propulsor 1.4 flex o preço da versão produzida em Porto Real, no Rio de Janeiro, caiu R$ 3.675: custa hoje R$ 47.840, enquanto a XTR 1.6 16V flex sai por R$ 51.515.

A diferença de preços provocada pelas motorizações da Citroën não é tão grande. Mesmo assim, as versões 1.4 têm boa aceitação no mercado -- inclusive porque funcionam como modelos de entrada, já que a Citroën não dispõe de motores 1.0 no Brasil.

Na versão convencional do C3, por exemplo, foram vendidas no último mês 2.082 unidades da versão 1.4, contra apenas 267 unidades do hatch equipadas com o motor 1.6 16V.

A unidade de força 1.4 flex gera 80 cv com gasolina e 82 cv com álcool e torque máximo de 12,6 kgfm para ambos os combustíveis, disponível aos 3.500 giros. Em relação ao C3 GLX, o XTR traz um pacote visual cheio de adereços, que o deixam com aspecto mais robusto.

O que vem no carro
Estão incluídos rodas de alumínio com desenho exclusivo, barras longitudinais no teto, ponteira do escapamento cromada, soleiras laterais e molduras de plástico revestindo grade, pára-choques e pára-lamas.

Há diferenças também nos pacotes de série. O C3 XTR 1.4 vem de fábrica bem completo, com ar-condicionado, direção elétrica, trio, duplo airbag frontal e rádio/CD com comando no volante. Pintura metálica (vermelha, prata ou pérola) custa mais R$ 675. E o XTR pode ter ainda bancos de couro, disqueteira para cinco CDs no painel, sensor de estacionamento e sistema viva-voz para celular, via bluetooth. Tudo isso é opcional, com custo total extra de R$ 3.351. Já o antibloqueador de freios, o ABS, não é oferecido nem como opcional. (Diogo de Oliveira)

IMPRESSÕES: CONFORTO E ESTILO SUPERAM ESPORTIVIDADE
A Citroën certamente pensou mais em conforto e design quando projetou o C3. O teto alto e a posição mais verticalizada dos passageiros fazem o compacto ganhar em espaço longitudinal útil. A boa qualidade dos materiais, apesar de não oferecer luxo, deixa o ambiente interno bem aconchegante.

Um aspecto positivamente marcante no Citroën C3 é a suspensão muito bem calibrada. E ela não foi modificada em nada para receber a fantasia "aventureiro de cidade" do XTR. Ou seja: absorve bem os desníveis nas ruas e garantem o conforto. No limite nas curvas, deixa a carroceria rolar um pouco, mas sem maiores sustos.

Nesse modelo interessante dinamicamente, só o propulsor 1.4 flex sai do tom. Seus 82 cv de potência com álcool são suficientes para uma condução civilizada, sem arroubos. E nem o bom torque de 12,6 kgfm, que aparece em oportunos 3.250 giros, compensa modéstia do propulsor. O zero a 100 km/h é cumprido em bons 12,4 segundos. Prova que a esportividade não é, definitivamente, uma característica do C3. Mas na essência do carrinho da Citroën há outras qualidades, como conforto e, principalmente, muito estilo.

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES