UOL Carros

17/08/2007 - 20h00

Impressões: mil milhas com o Escape

Da Auto Press
Em San Francisco (EUA)

Luiz Humberto M. Pereira/Carta Z Notícias

O Escape Hybrid 2008 foi avaliado num trajeto de pouco mais de mil milhas (1.610 km) no Estado norte-americano da Califórnia. Saiu das sempre engarrafadas avenidas de Los Angeles, atravessou a retilínea e interminável highway I-5, que leva ao norte californiano, até chegar às íngremes ladeiras de San Francisco.

Antes de retornar à "cidade dos anjos", foram incluídos no percurso a região dos vinhedos de Napa Valley e a sinuosa 17-Mile Drive, na costa do Pacífico, que dá acesso às charmosas praias e às cinematográficas mansões entre Monterey e Carmel. Ou seja, um roteiro turístico e automotivo bem diversificado.

Não foi por acaso que o Escape foi o SUV escolhido pela Ford para alcançar a marca de 500 milhas (exatos 804,5 km) por tanque. Utilitário-esportivo pioneiro no uso de motores híbridos no mercado dos EUA, trata-se de um veículo muito popular e tradicional nas ruas americanas, nas quais as mudanças estéticas da geração 2008 ainda chamam bastante a atenção.

"O meu roda 400 milhas por dia há três anos e nunca me deu problema", afirmou o sorridente funcionário de uma companhia elétrica de Monterey, a bordo de um Escape Hybrid da geração anterior (bem mais quadradão), enquanto aproveitava para observar atentamente os detalhes do novo modelo.

Fingindo-se de morto
Sob alguns aspectos, dirigir um automóvel híbrido é uma experiência singular. É freqüente se ter a impressão de que o carro "morreu" ao parar no sinal, em virtude da quase total ausência de vibrações ou ruídos do motor elétrico.

Um chamativo led no painel alerta os mais distraídos para o fato de que o propulsor permanece ligado. O jeito "caladão" do motor elétrico permite escutar outros sons normalmente inaudíveis, como o da bomba que recarrega o fluido hidráulico dos freios.

Em outras ocasiões, a unidade de força parece estar em alto giro, mesmo em baixas velocidades. Isso realmente ocorre e é comum em motorizações híbridas, que otimizam a captação de energia para manter as baterias devidamente carregadas. Já o barulhinho da entrada do motor a gasolina em cena normalmente é tão discreto que pode até passar despercebido.

Dinamicamente, o Escape é um utilitário-esportivo médio bastante consistente. Apesar da altura elevada, não torce nem inclina demais nas curvas, não flutua em altas velocidades e pára sempre de forma equilibrada.

Consumo
Ao fim da viagem, o consumo médio obtido durante todo o teste ficou em 13,9 km/l. Nos piores momentos (nas highway, acima dos 150 km/h) manteve já interessantes 10,4 km/l. Mas chegou a atingir excelentes 14,4 km/l. Como o tanque do Escape leva 56,7 litros de gasolina, o resultado foi uma impressionante autonomia de 788 km (faltaram apenas 16,5 km para as 500 milhas prometidas na publicidade do carro).

Ou seja, com uma direção mais atenta aos indicadores de consumo do painel, é possível atingir o índice proposto pela Ford. No Escape Hybrid, o marketing cumpre o que promete. (Luiz Humberto Monteiro Pereira)

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES