UOL Carros

10/08/2007 - 15h48

Funcionários da GM viram "drags" para testar carro como mulheres

Da Redação
MULHERES NO COMANDO
Reprodução
Mary Sipes (dir.) quis "visão feminina" na nova linha de SUVs da montadora; na foto, ela participa de atividade em benefício das vítimas do furacão Katrina, nos EUA
Os designers responsáveis por um utilitário da General Motors dos Estados Unidos, o GMT900, foram "convidados" pela empresa a se vestir de mulher e testar os novos carros do ponto de vista feminino. A medida, proposta (ou imposta) pela diretora de veículos da GM, Mary Sipes, vazou para a imprensa especializada e virou anedota em diversos blogs automotivos.

Os marmanjos da GM tiveram de vestir saias, calçar sapatos de salto alto e até mesmo colocar unhas compridas falsas, para sentir na pele -- ou na fantasia -- as dificuldades peculiares que as mulheres encontram em carros. O experimento drag dos designers resultou em algumas correções no projeto dos SUVs, como evitar peças que enganchem em saias durante o acesso ao habitáculo, além de um console central mais largo para acomodar bolsas.

Mary Sipes teve a idéia ao considerar duas situações opostas: 50% do público consumidor nos Estados Unidos é composto por mulheres -- no entanto, as equipes que projetam os carros da GM são dominadas por homens. O Autoblog, importante site automotivo em inglês, ironizou a atitude de Mary, dizendo que, em vez de fantasiar seus homens, talvez fosse mais interessante contratar um número maior de mulheres para projetar carros na GM.

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES