Segredos automotivos

Atualizada em 16.01.2017 11h14

Honda City com cara de Civic vem aí; veja 5 coisas que já sabemos sobre ele

Leonardo Felix

Do UOL, em São Paulo (SP)

A reestilização de meia-vida para a sexta geração do Honda City já virou realidade. Quer dizer... Por enquanto apenas do outro lado do mundo. A divisão tailandesa da marca foi a primeira a apresentar o facelift, que deve ganhar diversos mercados da Ásia nos próximos meses.

Para ver como ficou, basta assistir ao vídeo. Abaixo, confira cinco informações que já sabemos sobre o modelo em relação ao Brasil.

1. Prazo de chegada

O City brasileiro não vai mudar tão rápido quanto o asiático, mas tenha calma que nossa vez vai chegar: embora a fabricante não se pronuncie oficialmente, UOL Carros pode afirmar que o lançamento ocorrerá entre o último trimestre deste ano e início de 2018. O motivo da espera é que, enquanto lá fora a atual geração ganhou as ruas em 2013, por aqui só apareceu em setembro de 2014. Portanto, a Honda que o sedã compacto-médio complete um ciclo de três anos para realizar as mudanças.

2. Motorização: vai pintar turbo?

Conforme antecipado por UOL Carros em outubro de 2015, a Honda prepara uma versão brasileira (bicombustível, em outras palavras) do novo motor 1.0 turbo 3-cilindros que vem desenvolvendo globalmente. A estreia deverá ocorrer no Fit, mas o City reestilizado é forte candidato a receber o propulsor de 130 cv. Isso não necessariamente ocorrerá junto com a renovação visual, e pode ficar para 2018 ou 19. Até porque, depende da velocidade de desenvolvimento do projeto, que pode ter sido afetada pela crise do setor no país. Enquanto isso, o três-volumes manterá a opção 1.5 FlexOne de 116 cv (etanol), acoplado a câmbio manual (cinco marchas) ou CVT.

3. Mudanças visuais

Conforme mostrado no vídeo, as alterações estéticas do City 2018 estão concentradas na dianteira: grade ganhou tomada de ar mais ampla, com divisórias em colmeia e proeminente filete cromado no topo, que invade a parte superior dos faróis (solução claramente inspirada no Civic 10). Para-choque frontal também ganhou entradas de ar e cortes mais agressivos. 

4. Conectividade

O City 2018 tailandês já traz embarcada a central multimídia do nosso Civic 10, com gráficos de alta resolução, comandos de ar-condicionado digital integrados e capacidade de projetar funções do celular na tela tátil de sete polegadas, através dos sistemas Android Auto e Apple CarPlay. O sistema certamente estará nas versões de topo do pequeno sedã brasileiro.

5. Outros equipamentos

Na Ásia o City recebeu novos materiais para revestimento interno, além de luzes diurnas e faróis de neblina em LED. Muitas das novidades de acabamento e também o DRL por diodos devem pintar por aqui, deixando o modelo ligeiramente mais tecnológico e confortável. A configuração asiática também recebeu itens importantes de segurança, como controle de estabilidade**, algo que ainda não está confirmado para o Brasil (embora o item esteja na lista de futuros equipamentos obrigatórios).

**Atualização: no texto original, foi erroneamente informado que o sedã reestilizado não possui controle de estabilidade no mercado asiático. Na verdade o veículo possui, sim, o item. Informação já corrigida.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo