Série 6 conversível atrai todas as atenções na BMW

CLAUDIO DE SOUZA

Editor de UOL Carros
Em Detroit (EUA)

A BMW escolheu o Salão de Detroit para mostrar ao mundo as novidades da Série 1, que incluem a renovação do cupê e do conversível, além do inédito trabalho em conjunto com a divisão Motorsport, que agrega o cobiçado M ao nome do modelo -- no caso, a um Série 1 cupê. Mas a marca bávara também fez no salão norteamericano a estreia mundial do novo Série 6 conversível. E esse carro roubou a cena dos primos menores.

A ser lançado nos Estados Unidos até o final do primeiro semestre, já como modelo 2012, o BMW 650i Convertible promete entregar muito luxo e performance por um preço inicial de US$ 91.375 no mercado ianque (cerca de R$ 155 mil). É muito provável que o carro seja vendido no Brasil, onde seu preço em reais pode chegar ao triplo disso.

O 650i é um carro de porte respeitável: são nada menos que 4,9 metros de comprimento (7,4 cm mais que a geração anterior), garantindo um entre-eixos de 2,85 metros, típico de sedãs grandes que acolhem quatro pessoas com conforto e espaço de sala de estar. Apesar disso, o 650i conversível é um 2+2: o banco traseiro fica espremido entre os da frente e o terço final do carro. O pujante motor V8 de 4,4 litros e 400 cavalos acomodado sobre o longo capô dianteiro e o mecanismo do teto retrátil -- situado entre o banco traseiro e o porta-malas -- cobram seu preço.

O 650i traz um conjunto óptico com formas mais arredondadas que o usual da BMW, mas mantém as "auréolas" em torno dos quatro faróis para a iluminação diurna. O capô do motor, com quatro expressivos vincos, mergulha em direção à tradicional grade frontal seccionada. Embora o conjunto faça lembrar, por exemplo, modelos da Maserati, a identidade bávara foi mantida.

OUTROS ÂNGULOS

  • Claudio de Souza/UOL

    Com a capota fechada o Série 6 não fica tão bonito; ela se recolhe em 19 segundos e cobre a cabine em 24 com o carro rodando a até 40 km/h

  • Claudio de Souza/UOL

    Painel de instrumentos é tipicamente germânico, com mostradores redondos; tela tem 10 polegadas no sentido horizontal, e head-up display é opcional

Atrás, as lanternas são uma variação do mesmo tema de outros carros da BMW, com as duas secções de cada lado adaptadas aos estreitamento da tampa do porta-malas. Respeitáveis saídas de escape cromadas ornam as extremidades do para-choques. Quem olhar o carro fora de uso jamais saberá disso, mas sob o emblema da marca na traseira fica escondida uma câmera de ré escamoteável (de série). Ao ser acionada, o emblema se move e permite a filmagem, que é transmitida para a ampla tela de 10 polegadas no interior. Tudo isso para não sujar a lente. Câmeras laterais instaladas nos retrovisores são opcionais, assim como o head-up display -- segundo a BMW, uma novidade em carros desse segmento.

Além do interior luxuoso, no qual o revestimento em couro dos bancos é só um detalhe, o BMW 650i tem a previsível enxurrada de equipamentos e sistemas de segurança e dirigibilidade, sendo que vale citar o Driving Dynamics Control, sistema semelhante ao de carros da Audi e que vem de série nesse conversível da rival. O sistema permite quatro diferentes ajustes de parâmetros dinâmicos, com as opções Comfort, Normal, Sport e Sport Plus. Os nomes são autoexplicativos do modo como cada uma ajusta amortecedores, assistência da direção e transmissão, entre outros itens.
 

Veja vídeo do BMW Série 6 conversível

VAMOS VOAR?
Dotado de transmissão manual de seis velocidades, mas podendo ser equipado com uma automática esportiva de oito (com trocas manuais atrás do volante, é claro), o 650i promete acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 4,9 segundos. O número vale para os dois tipos de câmbio. A velocidade máxima do conversível é limitada eletronicamente a 250 km/h, como é de praxe em carros das marcas premium da Alemanha (esse é feito em Dingolfing, também berço das Séries 5 e 7).

Como nada é perfeito, o teto retrátil do Série 6 não é exatamente bonito. Em tecido preto, quando está levantado ele não casa bem -- e nem poderia -- com a carroceria quase plana do modelo. Trata-se um problema recorrente em conversíveis de teto "mole" que possuem espaço para bagagem (o porta-malas do 650i equivale ao de um sedã médio). A abertura do teto, acionada eletricamente, acontece em 19 segundos; e ele sobe e abriga os ocupantes em 24 segundos. A operação pode ser feita com o carro trafegando a até 40 km/h.

Viagem a convite da Anfavea

 

UOL Cursos Online

Todos os cursos