Topo

Mobilidade


Serviço de Correios dos EUA testa entregas com caminhões autônomos

TuSimple/Handout via REUTERS
Start-up de caminhão autônomo TuSimple Imagem: TuSimple/Handout via REUTERS

Heather Somerville

Em São Francisco

2019-05-21T12:38:35

21/05/2019 12h38

Resumo da notícia

  • Entregas serão feitas entre as cidades americanas de Dallas e Phoenix
  • Empresa irá colocar um motorista para intervir em caso de necessidade

O Serviço Postal dos EUA iniciou hoje um teste de duas semanas transportando correspondência em três estados do sudoeste usando caminhões autônomos, um passo à frente no esforço para comercializar a tecnologia de veículos autônomos para o transporte de cargas.

Startup de San Diego, a TuSimple informou que seus caminhões autônomos começarão a transportar correspondências entre as instalações do USPS em Phoenix e Dallas para ver como a tecnologia nascente pode melhorar os prazos e custos de entrega. Um motorista sentará ao volante para intervir, se necessário, e um engenheiro ficará no banco do passageiro acompanhando.

Se for bem-sucedida, isso marcaria uma conquista para a indústria de condução autônoma e uma possível solução para a escassez de motoristas e restrições regulatórias enfrentadas pelos transportadores de carga nos Estados Unidos.

O programa piloto envolve cinco viagens de ida e volta, totalizando mais de 2.100 milhas (3.380 km) ou cerca de 45 horas de condução. Não está claro se a entrega de correio autônomo continuará após o piloto de duas semanas.

"O trabalho com a TuSimple é a nossa primeira iniciativa em transporte autônomo de longo percurso", disse a porta-voz do USPS, Kim Frum. "Estamos realizando pesquisas e testes como parte de nossos esforços para operar uma futura classe de veículos que incorporarão novas tecnologias."

A TuSimple e o USPS se recusaram a divulgar o custo do programa, mas Frum disse que nenhum imposto foi usado e que a agência depende da receita de vendas de postagem e outros produtos. A TuSimple arrecadou US $ 178 milhões em financiamento privado, inclusive da fabricante de chips Nvidia e da chinesa Sina Corp.

Os caminhões viajarão nas principais estradas interestaduais e passarão por Arizona, Novo México e Texas.

"Esta corrida está realmente no ponto ideal de como acreditamos que caminhões autônomos serão usados", disse Chuck Price, diretor de produtos da TuSimple. "Essas corridas longas estão além do alcance de um único motorista humano, o que significa que, hoje, se fizerem isso, precisarão descobrir como cobri-lo com vários motoristas no veículo."

O objetivo é eliminar a necessidade de um motorista, liberando carregadores e transportadores de carga das restrições de uma piora na falta de motoristas. A American Trucking Associations estima uma escassez de até 174.500 motoristas em 2024, devido ao envelhecimento da força de trabalho e à dificuldade de atrair motoristas mais jovens.

Uma nova lei de segurança que exige que os motoristas de caminhão registrem suas milhas eletronicamente restringe ainda a rapidez e eficiência com que as frotas podem movimentar mercadorias.

A parceria da TuSimple com o USPS marca uma conquista para a indústria de caminhões autônomos e segue a entrada da empresa sueca Einride na entrega de frete usando caminhões elétricos sem motorista em uma via pública, anunciada na semana passada.

Os desenvolvimentos contrastam com os esforços de retração das empresas robotáxi, como a unidade General Motors Co Cruise, Uber Technologies Inc e a startup Drive.ai, que tropeçaram na construção de carros autônomos que podem antecipar e responder aos seres humanos e navegar em áreas urbanas, uma façanha tecnologicamente desafiadora.

Price disse que os caminhões autônomos têm vantagens sobre os carros de passeio, incluindo a relativa facilidade de operar nas interestaduais em comparação com os centros das cidades, o que reduz os requisitos de mapeamento e os desafios de segurança envolvendo pedestres e ciclistas.

Mais Mobilidade