Topo

Seu Automóvel

Sem boatos: Ford diz que vai melhorar Mondeo, não matá-lo

Divulgação
Na imagem, o Mondeo, que é vendido como sedã e perua na Europa Imagem: Divulgação

Aine Quinn

Em Londres (Inglaterra)

10/09/2018 13h20

Fabricante responde a notas que informavam que empresa também estaria eliminando carros de passeio na Europa

A Ford informou que segue firme com seu modelo de porte médio Mondeo (que é o configuração europeia para o Fusion, modelo de porte médio-grande aqui no Brasil), acrescentando que seguirá em frente inclusive com planos de atualização do modelo e negando um relatório do "Sunday Times" de que planeja interromper sua produção.

O Mondeo continua sendo uma "parte essencial" de sua linha de produtos na Europa, e haverá melhorias introduzidas ainda este ano, disse a montadora dos EUA nesta segunda-feira, em comunicado enviado por e-mail à imprensa.

O "Sunday Times" informou que abandonar o Mondeo e outros modelos seria parte de uma reformulação global que resultaria na redução de 24.000 empregos, muitos deles na Europa.

Veja mais

+ Aqui no Brasil, vamos de novo Ford Ka; assista
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe

Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Galaxy e S-Max também seguem

"Temos atualizações para o Mondeo no final deste ano, que verão novas motorizações, bem como atualizações externas e internas, além de melhorias na linha Mondeo Hybrid", disse a empresa.

A montadora também negou as alegações do "Sunday Times" de que está considerando encerrar a produção das minivans Galaxy e S-Max. Todos os três são fabricados na fábrica da Ford em Valência, na Espanha, que também fabrica o crossover Kuga e o utilitário Connect. A unidade emprega cerca de 3.480 pessoas.

A especulação sobre as mudanças na linha segue um reconhecimento da Ford de que sua operação na Europa precisa de um grande redesenho para cumprir as metas e que está focada em cortar custos para melhorar o desempenho.

O Unite Union, que representa os trabalhadores das fábricas de motores da Ford, inclusive em Bridgend e Dagenham, no Reino Unido, disse que estava pressionando a Ford a investir e fortalecer futuramente suas fábricas britânicas.

Mais Seu Automóvel