Topo

Carros

GM para de informar vendas mensais nos EUA e China; Brasil não é afetado

Rebecca Cook/Reuters
Chevrolet Volt é inspecionado por engenheiros da GM nos EUA Imagem: Rebecca Cook/Reuters

Nick Carey, Paul Lienert

Em Detroit (EUA)

04/04/2018 13h43

Fabricante vai fornecer relatórios públicos apenas a cada três meses no exterior

A General Motors informou na terça-feira que vai parar de divulgar mensalmente relatórios de vendas de veículos nos Estados Unidos, alegando que o recorte de 30 dias não reflete com precisão o mercado e a empresa, e que em vez disso, vai emitir relatórios trimestrais de venda.

A GM também não divulgará mais vendas mensais na China, seu maior mercado. A empresa fornecerá dados mensais ao Federal Reserve dos EUA, associações industriais e agências governamentais em todo o mundo, mas esses dados não serão divulgados publicamente.

No Brasil, dados de emplacamentos de carros são fornecidos pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, que reúne os lojistas/concessionários), enquanto dados de produção são fornecidos pela Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores). Assim sendo, não faz sentido para a fabricante não divulgar suas vendas aqui no país -- é líder de mercado e faz também o carro mais vendido do Brasil, o Chevrolet Onix.

Veja mais

Caoa Chery quer ser só "Caoa" em breve; entenda
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe

Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Outras grandes montadoras indicaram na terça-feira que não vão seguir imediatamente a GM e passar a divulgar os dados apenas trimestralmente.

"Neste momento, estamos mantendo nosso relatório de vendas em uma base mensal", disse o porta-voz da FCA (Fiat-Chrysler Automobiles).

Em teleconferência com analistas e repórteres, Mark LaNeve, chefe de vendas da Ford para os EUA disse que a montadora iria avaliar o movimento da GM, mas uma "decisão não é iminente”" sobre a possibilidade de relatar vendas trimestral.

Jack Hollis, da Toyota, chefe de vendas e marketing para EUA, disse que "não há mudança planejada do nosso lado".

Analistas e investidores confiam nos dados de vendas mensais de veículos dos EUA para acompanhar o desempenho de montadoras individuais, e também usam os dados como um barômetro da saúde do segundo maior mercado de automóveis do mundo e um indicador da confiança do consumidor na economia dos EUA em geral.

Jeff Schuster, executivo sênior da LMC Automotive, disse que a decisão da GM de divulgar menos relatórios de vendas "não é um grande problema".

"Como indústria, nós nos acostumamos com os sons mensais e nos concentramos demais no 'barulho'", disse Schuster. "Talvez devêssemos nos concentrar mais no 'porquê'".

Mais Carros