Mobilidade

Tesla vai mostrar caminhão elétrico com autonomia de 500 km em setembro

Reprodução
Tesla Semi Truck Imagem: Reprodução

Marc Vartabedian

De San Francisco (EUA)

25/08/2017 16h55

A Tesla planeja apresentar em setembro um caminhão elétrico que promete autonomia de até 300 milhas (quase 500 quilômetros). A revelação sinaliza que a fabricante de automóveis elétricos tem como alvo o mercado de transporte regional de cargas.

A Reuters informou no início do mês que a Tesla também está desenvolvendo tecnologia autônoma para um veículo de grande plataforma.

Elon Musk, presidente-executivo da Tesla, prometeu lançar um protótipo do caminhão Tesla Semi no próximo mês, com o objetivo de expandir o mercado da empresa além dos elétricos de luxo. O empresário tenta convencer a indústria de transporte rodoviário que um veículo pesado movido a bateria que pode competir com modelos a diesel convencionais, que podem viajar até 1.600 km com um único tanque de combustível.

Além da Tesla, a Daimler (controladora das marcas Mercedes-Benz e Freightliner) está desenvolvendo tecnologia de caminhões elétricos com autonomia de 150 quilômetros e capacidade de carga apenas 10% inferiores aos equivalentes com motor a diesel. 

Como é "Caminhão do Futuro" da Mercedes

O protótipo elétrico da Tesla será capaz de fazer a "ponta final" do transporte rodoviário de cargas, acredita Scott Perry, executivo do operador de frota Ryder System Inc, de Miami. Perry disse que se encontrou com os funcionários da Tesla no início deste ano para discutir a tecnologia da fábrica.

Perry afirma que os esforços de Tesla estão centrados em uma grande plataforma elétrica, conhecida como "day cab", uma cabine menor, sem leito, para um modelo capaz de percorrer até 500 km sem recarregar.

Tesla respondeu às perguntas da Reuters com uma declaração por e-mail: "A política de Tesla é sempre recusar-se a comentar sobre a especulação, seja verdadeira ou falsa, pois fazer isso seria tolice. Tolice!"

O plano de Tesla, que pode mudar à medida que o caminhão é desenvolvido, é consistente, apontam pesquisadores. Segundo especialistas, parece condizente com o que se pode fazer atualmente com a tecnologia atual.

SIGA UOL CARROS NO YOUTUBE

+ Inscreva-se no canal: https://goo.gl/B4mHyi

+ Instagram: https://www.instagram.com/uolcarros/

Vai ou racha

Se a Tesla não revela o quão longe seu caminhão elétrico poderia viajar, quanto custaria ou a quantidade de carga que poderia transportar, Musk reconhece que Tesla se reuniu com potenciais compradores para discutir suas necessidades. Musk expressou esperanças para a produção em larga escala do Tesla Semi dentro de alguns anos. Esse esforço audacioso poderia abrir um novo mercado potencialmente lucrativo para a montadora da Palo Alto, na Califórnia.

Ou pode se mostrar uma distração cara. Musk, em julho, advertiu que a empresa se prepara para um período delicado, pois acelera a produção do novo sedã elétrico Model 3. A Tesla pretende produzir 5.000 unidades por semana até o final deste ano, e 10.000 por semana em algum momento no próximo ano.

As ações da Tesla aumentaram cerca de 65% este ano. Mas o ceticismo também se amplia. Alguns duvidam da habilidade de Musk de levar a Tesla de um produtor de nicho a uma grande montadora. Cerca de 22% das ações disponíveis para comércio foram vendidas "curtas" por investidores que esperam que o estoque caia.

Musk, um bilionário peculiar cujas ambições de transporte incluem a colonização do planeta Marte, tem muito prazer em desafiar a sabedoria convencional. Na reunião anual de Tesla, em junho, ele repetiu sua promessa de uma grande plataforma de longa distância com bateria.

"Muitas pessoas não pensam que você pode fazer um caminhão pesado e de longo alcance que é elétrico, mas estamos confiantes de que isso pode ser feito", disse ele.

Enquanto o protótipo descrito ficaria bem abaixo das capacidades dos caminhões convencionais, Musk pode ter encontrado um bom nicho, se puder entregar. Aproximadamente 30% dos fretes de caminhão dos EUA são viagens regionais de até 300 quilômetros, de acordo com Sandeep Kar, diretor de estratégia da frota Fleet Complete, com sede em Toronto, que rastreia e analisa o movimento dos caminhões.

Um caminhão com essa faixa seria capaz de transportar o frete regionalmente, de portos a cidades próximas ou de armazéns para estabelecimentos de varejo.

O interesse em caminhões elétricos é alto entre as empresas de transporte que procuram reduzir suas emissões e custos operacionais. Os motores elétricos requerem menos manutenção do que os motores de combustão interna.

Mas a tecnologia atual não é suficiente para abastecer caminhões desse tipo em todo o país. Especialistas dizem que as baterias necessárias seriam tão grandes e pesadas que haveria pouco espaço para a carga.

Um modelo a diesel médio custa cerca de US$ 120.000. O custo da bateria sozinho para um grande equipamento capaz de percorrer longas distâncias com uma carga típica poderia ser mais do que isso, de acordo com os pesquisadores da bateria Shashank Sripad e Venkat Viswanathan da Universidade Carnegie Mellon.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Mobilidade

Topo