Carros

GM vai pagar US$ 900 mi para encerrar caso criminal sobre defeito em ignição, dizem fontes

Rebecca Cook/Reuters
Imagem: Rebecca Cook/Reuters

16/09/2015 21h40Atualizada em 16/09/2015 21h40

NOVA YORK (Reuters) - A General Motors concordou em pagar US$ 900 milhões e assinar um acordo para encerrar uma investigação do governo dos Estados Unidos sobre como lidou com um defeito na chave de ignição ligado a 124 mortes, disseram duas fontes à agência de notícias Reuters.

O acordo significa que a GM será acusada criminalmente de esconder o defeito dos órgãos reguladores e de ludibriar os consumidores, mas o caso não terá andamento até que a montadora cumpra os termos do acordo, disse uma das fontes.

Nenhum indivíduo será indiciado na ação criminal, disse uma das fontes.

O valor de US$ 900 milhões é menor que os US$ 1,2 bilhão que a Toyota Motor pagou para resolver um caso similar.

A GM não quis comentar. E as porta-vozes da procuradoria em Manhattan e Washington também não comentaram.

A expectativa é que o acordo seja anunciado na quinta-feira, disseram as fontes. Qualquer acordo deferido pela procuradoria precisa ser aprovado pela corte.

A GM também fez o recall de mais de 30 milhões de veículos na América do Norte em 2014 para consertar uma ampla gama de defeitos.

(Por David Ingram)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo