Carros

Superelétricos de Audi e Porsche querem andar 500 km sem recarga

Murilo Góes/UOL
Com três motores elétricos que podem ser recarregados até por indução, e-tron quattro Concept chega a 503 cv e tem autonomia de 497,6 quilômetros Imagem: Murilo Góes/UOL

Do UOL, em São Paulo (SP), com Reuters

14/09/2015 20h10

O mercado de carros elétricos de alto desempenho começa a ser um grande campo de batalha entre as marcas de veículos de luxo. No Salão de Frankfurt 2015, Audi e Porsche lançaram modelos para desafiar a pioneira americana Tesla, única fabricante a ter relativo sucesso no segmento, oferecendo modelos com custo relativamente reduzido e boa autonomia.

As rivais do grupo Volkswagen querem levar a concorrência a um novo patamar: no evento de seu país de origem, apresentaram dois conceitos de "superelétricos" que, muito além de potência, prometem autonomia próxima dos 500 quilômetros, algo que muitos esportivos movidos a combustão não conseguem entregar.

e-tron quatro Concept

No caso da Audi, o e-tron quattro Concept sugere um SUV compacto munido de três motores elétricos (um dianteiro, dois traseiros) que, combinados, rendem até 503 cv de potência e 81,6 kgfm de torque. A autonomia estimada é de 497,6 km. A recarga poderá ser feita por carregadores convencionais ou até mesmo sem fio, por indução.

A versão de produção do modelo deve chegar ao mercado em 2018. 

Murilo Góes/UOL
SUV também inaugura nova possível identidade visual da Audi, incluindo grade frontal maior, faróis extremamente afilados lanternas traseiras unificadas Imagem: Murilo Góes/UOL

Mission E

Já a Porsche mostrou o Mission E, protótipo de sedã, aproveita a tecnologia do 919 Hybrid LMP1, que levou a marca a vencer as 24 Horas de Le Mans em 2015, para entregar quase 600 cv e fazer o 0-100 km/h em menos de 3,5 segundos. 

Tudo isso com uma bateria que possui alta capacidade de regeneração de frenagens, capaz de chegar a 497 km de autonomia e de ter 80% de sua carga preenchida em até 15 minutos, por meio de um "supercarregador" de 800 Volts. 

Murilo Góes/UOL
Futurista, Mission E também antecipa novos caminhos estéticos da Porsche Imagem: Murilo Góes/UOL

Impactos no mercado

Até o momento, consumidores têm rejeitado os veículos elétricos por conta dos altos preços e da autonomia limitada, especialmente porque, mesmo em países mais avançados, a estrutura de recarga ainda é incipiente.

Entretanto, analistas preveem que as vendas devem subir substancialmente até o fim da década, e é aí que Audi e Porsche tentam se antecipar.

O impacto que os "superelétricos" alemães terão sobre a Tesla ainda não está claro, de acordo com especialistas. Uma coisa é fato: duas marcas famosas como as alemãs tendem a aumenar não apenas pela atenção dos mais ricos e ambientalmente conscientes, como também a credibilidade de todo o mercado de carros elétricos.

Nesse ponto, em vez de ser afetada negativamente, a Tesla pode acabar até mesmo sendo beneficiada.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo