Carros

Novo chefe da Peugeot pode buscar mais corte de custos após 2016


Em Paris (França)

03/03/2014 11h41Atualizada em 03/03/2014 13h35

O grupo francês PSA Peugeot-Citroën pode buscar mais cortes de custos após 2016, além do 1,5 bilhão de euros (R$ 4,8 bilhões) de economias anuais que já planeja alcançar até o final de 2015. A declaração foi dada nesta segunda-feira (3) pelo novo presidente-executivo da companhia, Carlos Tavares, durante sua primeira entrevista coletiva após o cargo, no mês passado.

"Não sou o tipo de cara que para no objetivo só porque o atingiu", afirmou Tavares, em resposta a uma pergunta sobre novas possibilidades de cortar custos. "Veremos em 2016... Se tivermos a oportunidade de ir além, porque deveríamos parar?", enfatizou.

A Peugeot está se preparando para vender uma participação de 14% à parceira chinesa Dongfeng e ao governo francês, em uma emissão de ações de 3 bilhões de euros (R$ 9,6 bilhões). Até o final de 2013, a empresa já havia conseguido cortar cerca de 900 milhões de euros (R$ 2,9 bilhões).

Entre as medidas para conter gastos, estão cortes em mais de 10 mil vagas de empregos nos últimos três anos, além da suspensão da produção na fábrica de Aulnay, próxima de Paris (França), no ano passado.

Mais Carros

Topo