Carros

PSA busca acordo com chineses para estancar baixa de R$ 3,5 bi


Em Paris (França) e Londres (Reino Unido)

12/12/2013 07h57

Com a baixa contábil de 1,1 bilhão de euros (1,52 bilhão de dólares) em suas operações internacionais, anunciada nesta quinta-feira (12), a PSA Peugeot-Citroën ganhou apoio da parceira General Motors para selar uma aliança com a chinesa Dongfeng e, assim ter um aumento de capital nos próximos meses.

De acordo com o diretor financeiro do grupo, Jean-Baptiste de Chatillon, a queda reflete moedas mais fracas e perspectivas de vendas na Rússia e na América Latina, mas não interfere na meta de cortar pela metade o fluxo de caixa negativo registrado no ano passado, que ficou em 3 bilhões de euros (R$ 9,6 bilhões).

Só no primeiro semestre de 2013, o conglomerado francês amargou prejuízo operacional de 510 milhões de euros (R$ 1,6 bilhão) na divisão automotiva. Por isso, o diretor executivo da PSA, Philippe Varin, admitiu que o grupo está mesmo explorando a possibilidade de uma aliança mais profunda com a Dongfeng, parceira de uma joint venture já existente na China.

ACORDO ENVOLVE GOVERNO FRANCÊS
Segundo a Peugeot, em comunicado lançado também nesta quinta, as discussões ainda estão em "fase preliminar", mas uma fonte ligada ao assunto adiantou que o conselho administrativo da companhia já teria dado o aval, na última terça, para que a diretoria selasse um acordo preliminar.

O acordo proposto levaria o governo francês e a Dongfeng a comprarem, com desconto de 40%, participações igualitárias de 20% cada na PSA, pagando preços abaixo de 7 euros (R$ 22,5) por ação. A manobra geraria aumento de US$ 3,5 bilhões (R$ 11,2 bilhões) no capital da companhia.

Procurada, a Dongfeng não quis comentar o assunto, mas reconheceu que está praticando "estudos de viabilidade" sobre essa possível aliança. 

Ao mesmo tempo, Peugeot e a GM também abandonaram planos de desenvolvimento e produção conjunta de carros pequenos, reduzindo as metas de economia da aliança entre ambas para US$ 600 milhões (R$ 1,4 bilhão), cada uma, até 2018.

Com a notícia, as ações da Peugeot despencaram mais de 10% na Bolsa de Valores de Paris.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo