Carros

Montadoras europeias trocam desespero por depressão em Frankfurt

Em Frankfurt (Alemanha)

11/09/2013 09h02

No último salão do automóvel de Frankfurt, em 2011, a grande história não era sobre carros, mas sobre a crise da zona do euro e, especificamente, sobre como as montadoras do continente poderiam sobreviver.

Neste ano, a crise está diminuindo, mas a cautela permanece. Num momento em que as vendas continuam fracas, especialmente no sul da Europa, os novos modelos mais interessantes não são veículos esportivos ou de luxo, mas carros de família e práticos.

A francesa Peugeot e a italiana Fiat, companhias com mais problemas, reduziram os gastos de desenvolvimento de produto a tal ponto que têm poucas novidades para mostrar. Mas designs de ponta também são poucos e esparsos nos estandes, até mesmo entre líderes de mercado, como a Volkswagen.

Como um barômetro da economia da Europa, a atmosfera do salão melhorou em dois anos, de desesperada para deprimida, enquanto as atitudes dos principais executivos da indústria automotiva da Europa refletem muito da ambivalência do mercado.

"Talvez um pouco de otimismo se justifique", disse Trevor Mann, vice-presidente executivo da Nissan Motor. "Mas acho que a recuperação será lenta em geral e não devemos ter excesso de entusiasmo".

Alfredo Altavilla, presidente-executivo da Fiat para Europa, Oriente Médio e África, acrescentou: "A verdadeira resposta é que ninguém tem qualquer visibilidade para além do trimestre. A tendência é de estabilização, [mas] é muito cedo para dizer que ela está pegando."

A Fiat apresentou uma versão do veículo multi-propósito Fiat 500L para sete lugares. Mesmo a Ferrari mostrou apenas uma versão ligeiramente mais potente da 458 para servir de âncora ao estande do grupo italiano no salão.

Já Karl-Thomas Neumann, contratado este ano para presidir a GM Europa, soou cautelosamente otimista. "Nós vimos a primeira pequena luz no fim do túnel", disse. "Ninguém aqui está esperando que maravilhas aconteçam, mas estou relativamente confiante de que já atingimos o fundo [do poço]."

A Renault apresentou os conceitos Dezir e R-Space, a Audi exibiu o esportivo Nanuk Quattro e a Opel mostrou o Monza. Enquanto isso, a Volkswagen prefiriu mostrar a crescente variedade de veículos elétricos da marca, do eUp ao eGolf. Já a Ford exibiu o conceito da próxima geração do crossover S-Max que planeja produzir na Espanha no início de 2015.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo