Topo

Carros

Metalúrgicos da GM em Gravataí encerram greve com reajuste de 9,5%

Alberto Alerigi Jr.

Em São Paulo (SP)

30/04/2013 09h34

Trabalhadores da fábrica da GM em Gravataí, no Rio Grande do Sul, aprovaram no final da tarde desta segunda-feira (29) encerramento de greve decretada na semana passada, aceitando reajuste salarial de 9,5% após negociação na justiça do trabalho.

Os metalúrgicos cobravam reajuste de 12%, num índice que incluía aumento real de cerca de 5%. A proposta anterior oferecida pela montadora era de aumento salarial de 8,29%.

Em 2012, os trabalhadores promoveram greve de um dia na unidade, que foi encerrada com acordo de reajuste de 7,5%. A greve deste ano tinha sido decretada na quarta-feira passada.

Além do reajuste, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí, a proposta aceita inclui abono salarial de R$ 3 mil e participação nos lucros e resultados de 9.650 reais no caso de atingimento de 100% de metas de desempenho.

Há ainda previsão de um "quinquênio" em que os salários serão aumentados em 1% a cada cinco anos, segundo o sindicato.

"A proposta garante o exercício de 41 horas semanais a partir de 1º de maio e de redução para 40 horas a partir de abril de 2014", afirmou a entidade em comunicado.

A fábrica da GM em Gravataí emprega 4.500 trabalhadores e produz os modelos Celta, além dos recém lançados Onix e Prima, a um ritmo de 1.200 automóveis por dia, segundo o sindicato.

Mais Carros