Topo

Carros

Presidente diz que Renault pode desaparecer em seu atual formato

Dominique Vidalon

Da Reuters, em Paris (França)

28/09/2012 08h47Atualizada em 28/09/2012 14h10

O presidente-executivo da Renault, Carlos Ghosn, alertou nesta sexta-feira (28) que a montadora pode deixar de existir em seu atual formato se não for capaz de competir na França, tendo em vista que o declínio no mercado automotivo europeu está se mantendo.

"A Renault não poderá evitar os cortes de empregos na França se a queda do mercado for grande e duradoura", disse o executivo em entrevista à France 24, durante o Salão de Paris.

Questionado em outra entrevista a uma rádio local se a Renault pode falir, Ghosn foi enfático: "Na atual forma, sim".

"Todas as companhias são dependentes do seu mercado de origem... Uma companhia precisa de uma base natural, e a base natural da Renault é a França", afirmou.

Na quinta-feira, Ghosn havia falado à imprensa especializada, durante a apresentação do novo Renault Clio para o mercado europeu, e advertiu que a indústria automotiva francesa precisa ganhar competitividade para sair do momento complicado -- em momento nenhum, porém, citou o termo "crise" (leia mais aqui).

Com Redação de UOL Carros

Mais Carros