Topo

Carros

Venda da Volkswagen na China e nos EUA compensa queda na Europa

Andreas Cremer

Em Berlim (Alemanha)

09/03/2012 13h10

As vendas mundiais da Volkswagen cresceram 15% em fevereiro em relação a um ano antes, o que se deve à grande demanda na China e nos Estados Unidos, compensando a queda nas entregas na Europa Ocidental.

As vendas do grupo Volkswagen -- que também inclui a marca de luxo Audi, a divisão tcheca Skoda e a unidade espanhola Seat,entre outras -- aumentaram para 642,3 mil veículos no mês passado, para um total de 1,29 milhão no bimestre, uma alta de 7,7% ante os dois primeiros meses de 2011.

Esse crescimento é maior que o do mercado mundial, que cresceu 6% no primeiro bimestre deste ano.

"Ficaremos vigilantes nos próximos meses apesar dessa tendência de crescimento e estamos de olho nos mercados, especialmente na Europa Ocidental", declarou o diretor de vendas da montadora Christian Klingler.

A Volkswagen, que tenta se tornar a maior e mais lucrativa montadora até 2018, vendeu o volume recorde de 8,2 milhões de veículos no ano passado, 14% a mais do que em 2010. O lucro líquido do fechado do ano mais do que dobrou para 15,8 bilhões de euros (20,97 bilhões de dólares), refletindo a valorização das opções do grupo na alemã Porsche.

As vendas da Volkswagen na China cresceram 13% nos primeiros dois meses do ano, para 397,4 mil veículos, e 37% nos Estados Unidos, para 76 mil unidades. Na Europa Ocidental, sem contar a Alemanha, as vendas caíram 7%, para 281,2 mil.

Como a Volkswagen quer dominar o mundo
Veja Álbum de fotos

Mais Carros