Carros

Renault-Nissan terá cautela ao traçar metas para Europa

21/10/2011 09h49

CASCAIS, Portugal (Reuters) - O presidente-executivo da Renault e da Nissan, o brasileiro Carlos Ghosn, acredita que 2012 será um segundo ano de vendas recordes para a indústria automotiva se a crise de dívida soberana na Europa não sair do controle.

"A não ser que haja uma grande surpresa, 2012 será outro ano de recordes para a indústria automotiva, independentemente da Europa", disse o executivo, que comanda as montadoras parceiras.

"Este já é um ano de recordes nas vendas, não importa o que acontecer nos próximos dois meses. Será muito melhor que 2010", acrescentou ele, se referindo a 2011.

No entanto, Ghosn alertou que a aliança traçará metas cautelosas para a Europa no próximo ano.

"Diante dos últimos acontecimentos, seremos prudentes no anúncio que faremos para as vendas em 2012 na Europa. O mais alto nível de incerteza é a Europa".

Para 2011, a Renault estimava vendas e receitas maiores que no ano passado, quando vendeu 2,6 milhões de veículos e teve vendas de 39 bilhões de euros.

A Nissan tem o plano de vender 4,6 milhões de veículos no ano fiscal até março de 2012, crescimento anual de 9,9 por cento.

(Por Daniel Alvarenga)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo