Carros

Brasil isenta Uruguai de aumento do IPI sobre veículos

27/09/2011 19h53

Por Esteban Israel e Asher Levine

BRASÍLIA/SÃO PAULO (Reuters) - O governo brasileiro decidiu isentar o Uruguai do aumento do imposto incidente sobre importação de automóveis.

Em comunicado, o Ministério da Fazenda informou nesta terça-feira à noite que o governo brasileiro se comprometeu a adotar "no prazo mais breve possível" as medidas necessárias para que os veículos produzidos no país vizinho sejam liberados do aumento do imposto.

O governo elevou neste mês em 30 pontos percentuais as alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos automóveis que tenham menos de 65 por cento de peças e componentes produzidos no país ou no Mercosul, em uma tentativa de proteger a indústria local dos produtos importados.

Inicialmente, escaparam do aumento automóveis produzidos na Argentina e no México.

"Chegamos a um acordo", disse à Reuters nesta terça-feira o vice-ministro uruguaio de Economia, Luis Porto, depois de conversas com autoridades brasileiras em Brasília.

O Brasil vai adotar em breve uma medida que permite que as empresas que estão dentro do marco do acordo (bilateral sobre exportação de automóveis) possam se beneficiar da redução do IPI.

No entanto, o comunicado do Ministério da Fazenda ressaltou que os dois países concordaram em autorizar os membros do Mercosul a elevar tarifas de forma transitória, desde que respeitadas as regras da Organização Mundial do Comércio.

O aumento do imposto atingiu as montadoras chinesas estabelecidas no Uruguai, como a Lifan e a Chery, que exportam para o Brasil. Porto disse que a isenção poderá ser aplicada em um prazo de 15 dias.

Ainda que pequenas para o gigantesco mercado brasileiro, as exportações de automóveis montados no Uruguai estão crescendo.

Em 2010, o Uruguai exportou para o Brasil 49 milhões de dólares em carros de origem chinesa. Somente nos primeiros nove meses de 2011, o valor das exportações foi de 88 milhões de dólares.

O aumento do imposto de importação levou, na semana passada, ao fechamento temporário de uma montadora da marca Lifan no Uruguai, causando a paralisação de cerca de 400 trabalhadores.

As marcas chinesas montadas no Uruguai para o mercado brasileiro são Lifan, Chery e os caminhões Bongo.

(Reportagem adicional de Malena Castaldi em Montevidéu)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo