Topo

Carros

Toyota já espera forte queda nas vendas de janeiro nos EUA

Em Nagóia (Japão) e Detroit (EUA),<br>com Redação de UOL Carros

02/02/2010 10h26

O recall gigante de milhões de veículos da Toyota com problemas no acelerador está afetando as vendas da companhia e pode forçar a maior montadora do mundo a reduzir previsões de emplacamentos para 2010. As vendas de automóveis dos Estados Unidos em janeiro, que serão divulgadas nesta terça-feira (2), devem apresentar uma forte queda para a Toyota depois que a empresa retirou oito de seus modelos mais populares das concessionárias na semana passada, por conta de queixas sobre pedais do acelerador.

Num primeiro comentário público de um executivo da Toyota, o encarregado de qualidade da empresa afirmou esperar um impacto maior que o usual por conta do recall. "Estamos extremamente preocupados com a previsão de vendas", disse o vice-presidente-executivo, Shinichi Sasaki, em Nagóia, no Japão. "Já ouvi que as vendas foram afetadas em janeiro", afirmou o executivo, acrescentando que a empresa apresentará balanço trimestral na quinta-feira (4).

Cerca de 8,1 milhões de veículos da Toyota fazem parte do recall, mais do que as vendas totais do grupo no mundo todo em 2009.

Apesar de a Toyota afirmar que a ocorrência de problemas em seus modelos é rara, a confiança pública na marca está sendo abalada pela cobertura da mídia dada ao recall, que inclui detalhes sobre um acidente com um carro da Lexus, divisão de luxo da Toyota. O veículo teve uma aceleração não intencional que matou um policial (que não estava em serviço) e três membros de sua família na Califórnia, no ano passado. Segundo a empresa Safety Research & Strategies, 19 mortes em acidentes com veículos do grupo Toyota, ocorridas desde 1999, podem estar ligadas ao defeito no acelerador.

A Toyota dos EUA afirma que testou e comprovou a possibilidade de o dispositivo falhar apenas em outubro de 2009.

IMAGEM PÚBLICA
Koji Endo, diretor da Advanced Research Japan, afirmou que tem havido falta de comunicação na direção da Toyota. "Nunca vi a Toyota assim. Até recentemente, eles tinham uma cultura de reagir prontamente aos problemas. Mas a impressão que tenho agora é que o pessoal de relações públicas não está funcionando direito". O presidente da Toyota, Akio Toyoda, neto do fundador da companhia, não fez um pronunciamento formal ao público ou à imprensa sobre os problemas. Enquanto isso, em Davos, na semana passada, ele apareceu rapidamente na emissora japonesa NHK e pediu desculpas aos clientes.

O diretor da companhia nos EUA, Jim Lentz, apareceu na TV na segunda (1) e também pediu desculpas, como parte de uma campanha de relações públicas no maior mercado da Toyota.

Analistas afirmam que pode levar meses para que a montadora conserte todos os veículos sob risco de problemas no pedal acelerador -- os reparos começam nesta semana. Enquanto isso, rivais como a General Motors, Ford têm oferecido descontos dirigidos a clientes da Toyota.

Mais Carros