Carros

Vendas de carros em dezembro saltaram mais de 50% na comparação com 2008

Em São Paulo

04/01/2010 13h41

As vendas de automóveis e comerciais leves novos no Brasil em dezembro cresceram cerca de 16,5% ante novembro, e saltaram mais de 50% em relação a dezembro de 2008, informou extra-oficialmente uma pessoa ligada ao setor automotivo nesta segunda-feira (4). Em dezembro de 2008, o desempenho das montadoras foi prejudicado pela crise financeira global. Em meados daquele mesmo mês, o governo brasileiro anunciou o corte do IPI sobre carros, o que permitiu para a indústria retomar a trajetória de crescimento.

As vendas de automóveis e comerciais leves em dezembro somaram 277.966 unidades, com uma média diária de emplacamentos de 12.635 nos 22 dois dias úteis do mês. O número do último mês é 51,1% na comparação com dezembro de 2008.

Em 2009, foram comercializadas 3,010 milhões de unidades, num terceiro recorde anual consecutivo -- que já era esperado após 12 meses de benefícios concedidos pelo governo, com redução do IPI e fomento do crédito às vendas do setor. A Fenabrave, associação de concessionárias de veículos, divulgará na terça-feira (5) o dado consolidado de vendas de dezembro e do acumulado de 2009.

A Anfavea, entidade que representa as montadoras instaladas no país, vai apresentar na quinta-feira (7) os números que incluem produção e exportações. Para 2010, a previsão da Anfavea para vendas é de alta de 9,3% sobre 2009, para 3,4 milhões de unidades, incluindo ônibus e caminhões.

COMO SERÁ O AMANHÃ
Para a economista Mariana Oliveira, da consultoria Tendências, este ano deve ser bastante positivo para o setor automotivo, apesar do forte movimento de antecipação de compras pelos consumidores interessados em aproveitar a redução do IPI, medida que foi prorrogada por três vezes.

Segundo ela, os juros para financiar automóveis devem continuar estáveis pelo menos até setembro e a melhora na massa salarial continuará, embasada na perspectiva positiva para a atividade econômica em geral. "Isso deve dar um fôlego adicional que não vem dos incentivos do IPI", observou.

Outro movimento esperado pela consultoria para 2010, por conta da recuperação da atividade econômica do país, é o aumento gradual na participação de veículos da faixa média de preços -- entre 30 mil e 40 mil reais -- em relação aos populares, que chegaram a representar quase 56% das vendas em agosto do ano passado antes de recuarem a 52% em novembro.

"Com a crise, retornou uma participação maior de populares. Com a superação dela, temos a expectativa de que retorne a venda de veículos na faixa intermediária de preços", afirmou Mariana.

O movimento de vendas de veículos mais caros pode trazer consigo uma participação maior de veículos importados no mercado brasileiro, após a desvalorização de mais de 25% do dólar ante o real em 2009 e o excesso de capacidade produtiva internacional. Em 2008, a participação dos importados nas vendas internas foi de 13,3%. Em novembro do ano passado, essa fatia foi de 18,1%.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo