Topo

Carros elétricos


Hyundai Nexo, elétrico a hidrogênio que faz 610 km, quer vir ao Brasil

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em Seul (Coreia do Sul)

2019-06-09T07:00:00

09/06/2019 07h00

Resumo da notícia

  • Modelo é o mais tecnológico do Grupo Hyundai
  • Motorização quebra H2 para gerar eletricidade
  • Modelo solta água pelo escape e ainda promete limpar o ar
  • Preço é problema

Cada engenheiro sul-coreano que toca no nome do Nexo abre um sorriso. Novo carro-chefe da marca, o crossover elétrico não usa sistema puro de baterias, nem mesmo o "plug-in" (elétricos que se carregam na tomada).

Eletricidade vem das células de hidrogênio. Você abastece os três tanques com gás em postos especiais e um avançado sistema faz a combinação com oxigênio.

Dessa mistura química interna, tem-se eletricidade para movimentar o motor de cerca de 160 cavalos do crossover, com 40 kgfm de torque -- potência equivalente àquela de um motor 1.5 turbo, mas com força de motor grande. Antecessor do Nexo, o Tucson HEV rendia pouco mais de 120 cv.

Purificador de ar?

Pelo "escape" sai água destilada. E o processo ainda filtra 99% da sujeira do ar usado.

"Uma frota de 100 mil veículos a célula de hidrogênio rodando por duas horas limparia todo o ar que os 8 milhões de habitantes de Seul consomem em uma hora", afirmou Soonil Jeon, diretor chefe do núcleo de Fuel Cell e um dos engenheiros responsáveis pelo projeto.

Mais: a eficiência energética do sistema é de 60%. Esse índice fica abaixo dos mais de 80% de elétricos tradicionais (a bateria ou "plug-in"), mas também está muito acima dos 25% a 30% dos motores a combustão mais eficientes da indústria.

Mas existirão 100 mil desses rodando em algum momento? Para Koo, sim. Só é difícil apontar quando.

Neste momento, apenas Hyundai e Toyota têm projetos ativos e de fato funcionais, com carros sendo vendidos amplamente em loja, de modelos com célula de hidrogênio. Nissan e até a FCA trabalham em soluções até mais originais, mas ainda longe de ganharem vida. Para 2019, a Hyundai espera vender menos de 10 mil unidades do Nexo. Mas há ambição para o futuro.

Peça de engenharia mais avançada da Hyundai, o Nexo é fabricado em unidade exclusiva, no complexo de Ulsan. Nos próximos anos, a Hyundai espera fazer investimento extra de quase US$ 7 bilhões para ampliar não apenas o projeto do Nexo, mas também de comerciais leves e pesados movidos a célula de hidrogênio -- pela conta dos coreanos, não compensa usar o sistema em compactos.

Apesar disso, o Nexo é caro: custa US$ 70 mil -- equivalente a quase R$ 280 mil atualmente. É muito para esse tipo de veículo no mercado coreano. Com incentivos de cidades como Seul e Ulsan, o valor cai pela metade.

Quem o compra, tem direito a garantia de 160 mil quilômetros ou 10 anos. Este é, aliás, o prazo para que os componentes de quebra interna de hidrogênio funcionem bem -- após esse prazo, a eficiência do sistema começa a cair.

Esteve muito perto

Pois esse elétrico a hidrogênio, que tem autonomia de 610 quilômetros (seus tanques para 156 litros do gás podem ser abastecido em 5 minutos), ficou a poucas semanas de chegar ao Brasil e participar do último Salão do Automóvel de São Paulo.

Seria estrela do estande conjunto de Hyundai e Caoa, mas empacou na burocracia.

Agora, pessoas ligadas à Hyundai apontam a UOL Carros que caberá ao Grupo Caoa trazer o modelo ou não -- seja para demonstração ou mesmo para planos mais ligados.

O problema principal é acreditar na viabilidade de um modelo médio que custa US$ 70 mil no país de origem. E ainda lidar com a falta de infraestrura -- pontos de abastecimento de elétricos (com sistema rápido, trifásico ou quadrifásico) começam a surgir aqui e ali, mas o que dizer que postos com bombas de hidrogênio? Mesmo na Coreia do Sul a rede é incipiente -- a Hyundai acredita na abertura de 300 pontos nos próximos dois anos. Pois é, com isso, sabemos: esse ainda é um futuro distante para o Brasil.

Ficha técnica

Hyundai Nexo
Motor: elétrico (magnético permanente), 135 kW, alimentado por célula de hidrogênio
Potência: 163 cv
Torque: 40,27 kgfm
0-100 km/h: 9,2 s
Velocidade máxima: 179 km/h
Autonomia: 570 - 610 km
Dimensões: 4,67 m (comprimento), 2,79 m (entre-eixos)
Porta-malas: 461 litros
Peso: 1.873 kg
Preço: US$ 70 mil

* Viagem a convite da Hyundai Motor Brasil

Mais Carros elétricos