Topo

Seu Automóvel


Seu Automóvel

FCA põe R$ 8,5 bilhões em Betim, e Brasil fará motores de primeiro mundo

Divulgação
Fábrica de Betim fará motores para Brasil, Argentina e também Europa Imagem: Divulgação

Alessandro Reis

Em Betim (MG)

2019-05-22T17:21:47

22/05/2019 17h21

Resumo da notícia

  • FCA prevê exportar 400 mil motores até 2022 para a Europa
  • Brasil foi o vendedor de uma concorrência global da FCA entre diferentes países
  • China também era uma das concorrentes do país

A FCA anunciou hoje investimento de R$ 500 milhões para fabricar os novos motores 1.0 e 1.3 turbo na fábrica de Betim (MG) -- a produção na unidade mineira foi antecipada por UOL Carros, com informações do colunista Fernando Calmon. A empresa já havia confirmado aporte de R$ 8 bilhões nessa fábrica, inicialmente até 2023 e agora ampliado para 2024. O total de R$ 8,5 bilhões será usado para lançar novos produtos no país.

Além disso, a montadora divulgou na semana passada que vai injetar outros R$ 7,5 bilhões até 2023 na fábrica de Goiana (PE), completando o atual ciclo de investimentos.

O anúncio dos R$ 500 milhões foi feito em evento na fábrica de Betim e prevê também a exportação de aproximadamente 400 mil motores até 2022 para a Europa, tanto da fábrica mineira quanto da unidade de Campo Largo, no Paraná. O Brasil foi o vencedor de uma concorrência global da FCA entre diferentes países, incluindo a China.

Hoje, Betim fabrica as famílias de motores Fire 1.0 e Firefly 1.0 e 1.3, enquanto a unidade paranaense fica com os motores e.Torq 1.8 e 1.6 -- este último voltado exclusivamente para exportação. Goiana atualmente não faz motores nem transmissões, ao passo que o 2.0 turbodiesel vem da Itália e os 2.0 e 2.4 Tigershark são importados do México.

Os novos turbo, dotados de injeção direta e tecnologia flex, são uma evolução dos atuais motores Firefly 1.0 de três cilindros e 1.3 de quatro cilindros. Espera-se que esses motores entreguem, respectivamente, 120 cv e 20 kgfm e 150 cv e 25 kgfm, aproximadamente.

Portanto, devem trazer desempenho parecido com o dos motores TSI turboflex de um litro e 1,4 litro da Volkswagen - utilizados atualmente no Polo, no Virtus e no T-Cross.

Por enquanto, a FCA não revela os números de performance, tampouco quais modelos a dupla vai equipar -- Antonio Filosa, o presidente da empresa para a América Latina, confirmou que os novos motores serão usados tanto em modelos Jeep quanto da Fiat. A produção da linha turbo começa no último quadrimestre de 2020.

A FCA já havia confirmado a UOL Carros em fevereiro, via Filosa, que pretende lançar 15 modelos no Brasil até 2023.

Esses futuros lançamentos incluem de dois a três SUVs da Fiat, inspirados no conceito Fastback, além de um inédito Jeep de sete lugares.

Isso somado à renovação da Fiat Toro e da picape compacta Strada, bem como a chegada da picape médio-grande RAM 1500, via importação.

A companhia ainda não informa em quais das duas fábricas da FCA os novos modelos que vêm aí serão produzidos. Hoje, a unidade de Betim faz exclusivamente modelos Fiat, enquanto a linha de Goiana se encarrega de Jeep Renegade e Compass, além da Fiat Toro.

* Viagem a convite da FCA

Mais Seu Automóvel