Topo

Seu Automóvel


Seu Automóvel

Ford Focus chega ao fim da produção com mensagem ao presidente da Argentina

Reprodução/Twitter
Último Ford Focus fabricado na Argentina: marca vai investir na Ranger Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo (SP)

2019-05-05T10:30:02

05/05/2019 10h30

Resumo da notícia

  • Funcionários ironizaram Mauricio Macri citando trabalhadores dispensados
  • Fim do modelo foi anunciado em outubro de 2018
  • Modelo sofreu com queda nas vendas do segmento de hatches médios

Os funcionários da fábrica da Ford em Pacheco (Argentina) fizeram uma pequena cerimônia para marcar o fim da produção do Focus e aproveitaram a ocasião para dar um "recado" ao presidente argentino, Mauricio Macri.

"Obrigado, Macri. Último Focus 2019. 520 companheiros suspensos", dizia a mensagem, sugerindo o afastamento de 520 funcionários da linha de produção. O número não foi confirmado nem negado pela assessoria de imprensa da Ford Argentina, mesma postura adotada pelo sindicato de operários da indústria automotiva do país (a Smata).

O fim do Focus foi anunciado em outubro do ano passado e faz parte de um grande plano de reestruturação da Ford na América Latina -- e no mundo. Na época, a fabricante alegou que a baixa demanda no segmento de hatches médios decretou a despedida do Focus. Em vez dele, a Ford vai concentrar esforços na produção da Ranger, cuja nova geração terá plataforma compartilhada com a futura Volkswagen Amarok.

Os rivais do Focus também estão passando por maus bocados. O exemplo mais claro é o do Volkswagen Golf, que no Brasil perdeu as versões mais acessíveis com motorizações 1.0 e 1.4 TSI. Agora o hatch é vendido apenas na configuração esportiva GTI, com motor 2.0 TSI de 230 cv.

Apenas quatro meses depois do anúncio, a Ford voltou suas atenções para o Brasil. Anunciou o fechamento da fábrica de São Bernardo do Campo (SP) e por tabela decretou o fim do Fiesta, único automóvel de passeio ainda feito na fábrica do ABC Paulista.

Pouca coisa mudou por lá desde então: após sucessivas reuniões entre sindicato, autoridades do governo paulista e montadora, a Ford anunciou um acordo para as demissões. Enquanto isso, alguns nomes despontaram como possíveis compradores da fábrica paulista (incluindo o empresário Carlos Alberto de Oliveira Andrade, o Caoa, importador das marcas Hyundai e Chery e dono de concessionárias Ford do país), mas nenhuma decisão foi anunciada oficialmente pelas partes envolvidas.

Relembre os carros produzidos pela Ford na fábrica de São Bernardo:

Mais Seu Automóvel