Topo

Salão de Xangai


Renault K-ZE elétrico estreia na China e mostra cara do novo Kwid

Vitor Matsubara

Do UOL, em Xangai (China)

2019-04-16T03:55:00

16/04/2019 03h55

Resumo da notícia

  • K-ZE é atração da Renault no Salão de Xangai
  • Modelo é versão definitiva do Kwid elétrico
  • K-ZE também adianta visual do novo Kwid

Em outubro de 2018, no Salão de Paris, UOL Carros viu e apontou que o conceito K-ZE traria "escondido", no visual futurista, "também o visual do novo Kwid, reestilizado". E dissemos que isso seria melhor visto na China, onde o elétrico pequenino seria visto antes. Chegou o momento: a Renault revela agora a versão definitiva, chamada de City K-ZE.

O design é praticamente o mesmo do conceito revelado na França. O início das vendas do City K-ZE, o Kwid elétrico, será anunciado até o fim do ano.

Visualmente, K-ZE tem novos faróis e grade frontal. O conjunto óptico, aliás, não ficou nem idêntico ao do conceito, nem similar ao que temos atualmente. No Kwid que temos aqui no Brasil, faróis comuns aparecem na altura da grande, com os faróis de neblina mais abaixo, quando disponíveis.

Neste novo modelo, o conjunto óptico é dividido em duas partes: a parte superior tem formato mais afilado e espaço apenas para os LEDs de posição. Logo abaixo, no para-choque com quinas agigantadas, está o nicho para os faróis, de fato, com lâmpadas halógenas. Ficou mais moderno, com uma mexida rápida, simples. Ponto para a Renault. Mas a traseira é essencialmente a mesma do nosso Kwid.

Por dentro, o carro tem um seletor giratório no lugar do câmbio manual. Painel é digital, mas a central multimídia com tela tátil de oito polegadas praticamente não muda para o carro atual.

Divulgação
Interior aposta em central multimídia online e inteligente. De resto, quase tudo é igual Imagem: Divulgação

O que o K-ZE tem

Assim, o City K-ZE será o primeiro de nove carros que a Renault vai lançar na China em dois anos, três elétricos, quase todos SUVs. A ideia é apostar em tecnologias inovadoras para convencer os chineses a comprar 550 mil unidades.

Seria uma boa, assim, ter preços e especificações. Mas a Renault pouco adiantou neste momento, sequer disse se a autonomia prevista de 250 km será mesmo cumprida.

Sabe-se apenas que o Kwid elétrico vai precisar de 50 minutos em um carregador rápido para ter 80% da carga da bateria. Em tomadas 220V, vai levar 4 horas para a recarga completa, que pode ser acompanhada remotamente por app de controle no celular.

Em termos de mimos, o City K-ZE se vale desta mesma conexão online para fornecer não apenas navegação, como também monitoramento em tempo real. A conexão da central do carro por internet 4G também serve para sistema de entretenimento, que tem até inteligência artificial e reconhece a voz.

Fecham o pacote o monitoramento de pressão dos pneus e ainda o sistema de qualidade do ar da cabine, que é semelhante ao de outro elétrico, o Zoe.

O City K-ZE será produzido na China, mas ainda não há qualquer indicação de sua venda no Brasil. O que podemos adiantar é que este visual dará a pinta do próximo Kwid convencional aqui no Brasil.

* Viagem a convite da Caoa Chery

Mais Salão de Xangai