Topo

Testes e lançamentos


Volvo XC90 R-Design aposta no estilo esportivo para cobrar R$ 429.950

Divulgação
Volvo XC90 T8 tem potência combinada do trem-de-força híbrido de 407 cavalos Imagem: Divulgação

Fernando Miragaya

Colaboração para o UOL, em São Paulo (SP)

2019-04-11T12:10:58

11/04/2019 12h10

Resumo da notícia

  • Versão R-Design passa a ser a topo de linha do SUV
  • Valor é R$ 30 mil mais alto que o do SUV mais caro atual
  • Nível de equipamento é o mesmo da Inscription

A Volvo adotou a estratégia de se reinventar e se reafirmar entre as marcas de luxo nos últimos anos. Vem tendo êxito nesta missão, mas também sabe que precisa entregar mais apelo e estilo a este tipo de fatia do mercado. E cobra seu preço na linha R-Design, com pitada de esportividade. No XC90 T8 R-Design, que estreia agora, não é diferente: a nova variante passa a ocupar o topo de linha por R$ 429.950.

Os R$ 30 mil a mais do que a outrora "top" Inscription saltam aos olhos, assim como o visual diferente. E a Volvo espera que as vendas saltem, também: o XC90 entregam atualmente, 800 unidades ao ano, sendo que a marca espera um salto para 1.200 emplacamentos agora em 2019. Concorrente direto é o Range Rover Velar HSE, o que torna o modelo escandinavo bem mais competitivo, já que a versão topo de linha do Land Rover passa dos R$ 487 mil e carece de alguns modos autônomos, como o sistema que lê e segue as faixas de rolamento.

A grande questão é que esse XC90 R-Design ainda é linha 2019. A gama 2020 chegará no segundo semestre com atualizações no estilo. Mas como quem tem dinheiro, tem pressa, a marca aposta que a versão dará uma bela mãozinha à imagens de seu maior modelo.

O que o XC90 T8 R-Design tem

Para-choque e grade têm detalhes escurecidos, assim como o acabamento em volta do escapamento traseiro. De perfil, é impossível não reparar nas vistosas rodas com aros de 22" que dão outro porte ao XC90.

Na cabine, padrão escuro no revestimento, onde o couro "nobuck" predomina. No lugar da madeira, fibra de carbono nas portas, partes do painel e console central. Detalhes de couro são acabados com costuras aparentes.

A lista de equipamentos é a mesma da Inscription. Como sempre, destaque para generosa lista de itens de segurança da marca sueca, que inclui os vários dispositivos de automação: controle de cruzeiro adaptativo que freia, acelera e dá uma forcinha ao volante a fazer o desvio para a direção que o motorista almeja.

Leva ainda o sensor de ponto cego, que também alerta e interfere na direção caso o condutor esteja fazendo uma manobra incorreta. Sem falar no "Pilot Assist", assistente semi-autônomo que mantém o XC90 automaticamente dentro das faixas de rolamento e mantêm distância dos carros à frente.

Motor T8 híbrido

O conjunto híbrido é conhecido: o motor 2.0 com turbo e supercharger tem 320 cavalos despejados no eixo dianteiro, trabalhando com o extra de 87 cv do motor elétrico na traseira, com as bateria de 10,4 kwh na parte central do SUV.

O 0-100 km/h é prometido em 5,6 s no modo de condução "Power". O sistema oferece outras cinco opções de comportamento que interferem nas respostas do acelerador, do câmbio e na calibragem da suspensão pneumática ajustável: AWD (tração nas quatro rodas sob demanda), Pure (100% elétrico até 120 km/h), Hybrid, Off-Road (tração igual para cada eixo) e Individual (personalizável).

Completam o recheio o sistema multimídia Sensus com a tela de 9" que parece um tablete, quadro de instrumentos configurável, som Bower & Wilkins com 19 alto-falantes, câmera 360 graus e head-up display.

Divulgação
Volvo XC90 R-Design entrega visual esportivo que parece ampliar o porte Imagem: Divulgação

Mais Testes e lançamentos