Topo

Salão de Genebra


Jeep Renegade híbrido não está descartado para o Brasil

Newspress
Renegade Hybrid usa motor 1.3 Firefly turbo, que deve chegar ao Brasil em breve, associado a outro elétrico: 240 cv Imagem: Newspress

Ricardo Ribeiro

Colaboração para o UOL, de Genebra (Suíça)

2019-03-08T11:34:48

08/03/2019 11h34

Resumo da notícia

  • Fabricante diz que modelo pode ser lançado de acordo com demanda
  • Na Europa, SUV usa motor turbo Firefly 1.3, que ainda não chegou ao Brasil

A eletrificação está em alta, na Europa e no Salão de Genebra. E os motores elétricos chegaram também ao segmento "off-road", com a Jeep apresentou versões híbridas plug-in de Renegade e Compass, que podem chegar também ao Brasil. 

Inicialmente confirmadas apenas para a Europa, as novas opções são tecnicamente viáveis para o Brasil, uma vez que os veículos feitos em Melfi (Itália) e em Goiana (PE) são os mesmos. De toda forma, antes disso, o Brasil espera sair da fila de uma "inovação" já usada na última temporada na Europa: a Jeep usa por aqui o motor 1.3 Firefly turbinado a gasolina. É este motor que faz par com o elétrico, neste novo pacote híbrido.

"Estudar a gente sempre estuda", afirma a UOL Carros Daniela Neto, gestora de produto para o Renegade na Europa. "Hoje estamos falando apenas de Europa, onde a fábrica está sendo adaptada para isso, mas é natural que, mais adiante, seja disponibilizado também em outros mercados, como nos EUA, onde já há maior demanda por híbridos. Sempre vai depender da procura dos clientes por este tipo de veículo", explica.

Então, a venda no Brasil está descartada? "Na Jeep, não descartamos nada", diz Daniela.

Jakob Ebrey/Newspress
Compass também usa solução híbrida e chegará à Europa em 2020 Imagem: Jakob Ebrey/Newspress

Híbrido melhora o off-road

Os motores híbridos da Jeep sempre aparecerão combinados com a tração 4x4. A marca promete um aumento na "crawl capability", algo como "capacidade de tração", no torque, embora não tenha divulgado os números.

A potência combinada é de 240 cv. Motor a gasolina na frente, bateria no meio, no assoalho, e o elétrico atrás. Assim, quando selecionado no painel o modelo elétrico, o modelo fica com tração traseira.

Só na eletricidade, o Renegade roda até 50 km e a máxima é de 130 km/h. Além da recarga em tomadas e estações, há freios regenerativos. No modo híbrido, o sistema distribui o uso conforme a condução do motorista, buscando sempre o menor consumo e emissão de poluentes, e a tração volta a ser integral.

As unidades híbridas apresentadas em Genebra são versões de topo e off-road, mas haverá opções da motorização em configurações mais urbanas. A mudança na oferta também visa a redução do uso de motores diesel para cumprir metas de emissões. Na Europa, o Renegade Hybrid chega no final do ano, e Compass Hybrid, no primeiro semestre de 2020.

Jeep Renegade 2019 muda pouco e ganha versão mais barata

Programa Auto+

Mais Salão de Genebra