Topo

Seu Automóvel


Seu Automóvel

GM sinaliza que não vai demitir em SJC e deve fazer novos modelos na planta

Divulgação
Demissões não foram mencionadas pela GM durante reunião com sindicalistas de São José dos Campos e Região Imagem: Divulgação

Alessandro Reis

Colaboração para o UOL, em São Paulo (SP)

2019-01-22T20:07:00

22/01/2019 20h07

UOL Carros conversou com sindicalistas após reunião com a GM

Renato Almeida, funcionário da GM em São José dos Campos e vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos da região, disse a UOL Carros que a montadora apresentou na reunião desta tarde, realizada na fábrica da empresa no município paulista, a pauta de reivindicações patronais para viabilizar o aporte de investimentos na planta -- para a produção de novos modelos.

A GM, segundo os participantes, usou a reunião para "reiterar o conteúdo da nota enviada aos funcionários". Ou seja, a empresa realmente vai coordenar um processo de reestruturação visando melhorar sua lucratividade no Mercosul e no Brasil a partir deste ano. Por outro lado, o encontro também serviu para "afastar a ideia de que a GM vai deixar o Brasil".

Almeida, no entanto, não revelou os detalhes que a General Motors mencionou na reunião -- segundo ele, para não atrapalhar as negociações, que estão começando. Ele ainda afirma que a companhia não falou em demissões, mas não detalhou o quanto pretende investir, tampouco qual ou quais veículos passariam a ser produzidos na fábrica, hoje responsável pela fabricação de S10 e Trailblazer.

"Em nenhum momento da reunião a GM sinalizou a possibilidade de fechamento da fábrica de São José nem demissões na unidade. Porém, reiterou a decisão já anunciada anteriormente de fechar quatro fábricas nos Estados Unidos e outra no Canadá, como parte da reestruturação mundial da empresa", relata.

Vale lembrar que atualmente a planta no interior paulista emprega cerca de 4.800 funcionários.

"A GM nos disse que tem planos de investimento na fábrica, mas não falou quais modelos pretende produzir nem o aporte de dinheiro planejado, o que deverá ser detalhado durante as negociações", relatou o sindicalista.

Mais cedo, em reunião anterior que incluiu dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano do Sul, que representa os funcionários da fábrica do ABC paulista, a companhia confirmou que está em negociações com o governo, prefeituras das duas cidades, fornecedores, concessionários para viabilizar novos investimentos e continuidade das operações no país e região.

Ainda de acordo com Almeida, nesta quarta (23) a montadora terá uma segunda rodada de negociações com os dois sindicatos em reuniões marcadas em um hotel de Guarulhos, na Grande São Paulo: a primeira, prevista para as 9h, será com representantes dos funcionários da fábrica de São Caetano; a segunda, às 14h, com os sindicalistas de SJC.

Além disso, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região vai votar também nesta quarta as propostas da GM em duas assembleias, diz Renato Almeida -- uma marcada para as 5h, com os trabalhadores do primeiro turno, e outra marcada para as 14h30, com os funcionários do segundo turno.

UOL Carros
Novo Prisma já roda em São Paulo e faz parte da nova "fornada" de carros prometidos pela GM Imagem: UOL Carros

Investimentos já foram definidos pela GM

Embora a nota divulgada internamente aos funcionários da GM do Brasil pelo presidente da GM Mercosul, Carlos Zarlenga, tenha tido repercussão negativa e alimentado diversos rumores, até o final de 2018 todos os sinais dados pela fabricante, que lidera o mercado de automóveis no Brasil e na América do Sul, eram extremamente positivos. Um plano de 30 novidades da marca até 2020 para nosso mercado foi anunciado em 2018 e confirmado em evento de final de ano realizado pelos executivos da Chevrolet Brasil e da GM Mercosul.

Em termos de mercado, a Chevrolet (marca de trabalho da GM na região) é líder de participação no Brasil, com pouco mais de 17,5% do mercado de carros de passeio e comerciais leves -- isso corresponde a pouco mais de 432 mil unidades dos 2,4 milhões de automóveis emplacados em 2018.

Seu principal modelo, o Onix, foi líder de vendas pelo quarto ano seguido, entregando o dobro de unidades do segundo colocado, o Hyundai HB20. Ou seja, domínio absoluto de mercado.

Todas essas ações foram resultado de um plano inicial de investimentos R$ 6 bilhões, iniciado em 2008. 

Até 2020, a GM tinha planejado e anunciado o investimentos de outros R$ 13 bilhões para renovação e ampliação total de sua linha de produtos. Deste total, apenas R$ 2,6 bilhões já foram utilizados (em Joinville, Gravataí e São Caetano do Sul).

Nova geração do Onix, bem como do sedã derivado Prisma, estão anunciadas para chegar este ano ao mercado. Esta nova geração dos compactos será feita sobre plataforma modular global GEM, desenvolvida na China, e serão fabricados aqui no Brasil pela unidade de Gravataí (RS), que já entrega a atual geração. Também haverá uma nova família de motores, com três-cilindros, capacidade de 1 a 1,3 litro e alimentação aspirada ou com turbo, já confirmada para a unidade de Joinville (SC).

Novas gerações da picape Montana, do SUV compacto Tracker e também de um modelo abaixo do Tracker estão previstas para São Caetano do Sul (SP).

Haveria ainda um outro SUV de porte médio, além da nova geração do Cruze para Rosario (Argentina). E, ainda como expectativa, a entrega de novas gerações da picape S10 e do Trailblazer (ambos feitos em São José dos Campos atualmente).

Resta saber quando, como e o quanto do restante desse plano será viabilizado a partir de agora e se isso depende das conversas e negociações citadas acima com prefeitos e governadores.

Mais Seu Automóvel