Topo

Mobilidade


CES 2019: chinesa Byton tem SUV com a maior tela do mundo para bater Tesla

Jorge Moraes

Colaboração para o UOL, em Las Vegas (EUA)

11/01/2019 19h31

M-Byte tem painel de 49 polegadas -- fora essa , há outras cinco --, é elétrico, quase autônomo e custa igual o Modelo 3

A nova Tesla vem da China. Como assim? Fácil de responder quando você começa a entender os planos da Byton, que produzirá carros elétricos olhando para o mercado norte-americano. Aliás, a segunda fase da marca está sendo apresentada na CES, em Las Vegas.

O crossover M-Byte tem painel escandaloso, com 49 polegadas, além de outras cinco telas de apoio do tipo "tablet": uma na base do volante projetando as funções do veículo e imagens externas, que também aboliu os retrovisores; uma adaptada ao programa do Controle Autônomo Nível 3 (o carro se dirige sozinho em estradas) e ao console central de oito polegadas, assim como a dos apoio de cabeça dos bancos do motorista e passageiro, voltadas aos passageiros.

Steve Marcus/Reuters
Olha só isso: "tela de experiência compartilhada" tem 49 polegadas, mede batimentos e humor do motorista (algo necessário para o modo semi-autônomo Nível 3), substitui todos os retrovisores, mas também reúne dados de programas de música, de agendas do condutor e dos passageiros e coordena tudo da melhor forma possível Imagem: Steve Marcus/Reuters

Na cola da Tesla

A Byton, com sede em Nanjing, surgiu há dois anos de uma parceria de ex-executivos da BMW e da Infinity (marca de luxo da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi), com investidores que aportaram US$ 200 milhões de olho na largada da "concorrente" Tesla, que nada de braçadas no segmento premium dos carros elétricos.

Daniel Kirchert, co-fundador e presidente da Byton, falou durante o evento da empresa que as start-ups de veículos elétricos chineses estão lutando para enfrentar a Tesla e rasgou seda para as apostas de Elon Musk. Segundo Kirchert, o dono da montadora de Palo Alto, conseguiu o que muita gente duvidava: derrubar a hierarquia automotiva de décadas dos grandes fabricantes globais.

Musk criou uma grife e a Byton está no mesmo caminho. O carro projetado é exibido em Las Vegas, já circulou pela Europa e foi exposto em junho do ano passado, em Oslo, na Noruega, tudo conectado, hein? 

Assim, a start-up chinesa é a empresa mais conectada e mais próxima desse novo mundo habitado apenas pela Tesla. Não à toa, acertou no carro, um SUV que mira o próprio Tesla Model X e, de quebra, o Jaguar I-Pace.

Inteligente e já em pré-venda

No detalhe da proposta da Byton, o M-Byte faz mais (que o Tesla) por menos.

Foco total no ambiente da cabine, por isso estão trabalhando com aplicativos que integram navegação, música e entretenimento, além da tradução para o sistem do carro de agendas individuais e roteiro do dia. Tudo bem fácil de operar nas telas enormes.

Já pensou tudo isso definido pelo comando de voz? Declaro que sou fã e usuário da inteligência artificial. E no ano de largada dos elétricos inteligentes no mercado chinês, o Byton M-Byte já nasce pronto com a assistência de comandos por voz do BaiduNos EUA, o concièrge será a Alexa da Amazon.

Além de prometer ser divertido e confortável, o modelo da Byton ainda tem design pra lá de avançado.

Quanto aos pedidos, já foram feitas mais de 40 mil reservas, disse Daniel Kirchert. E a maioria dos Estados Unidos e Europa, onde o preço médio é de US$ 45 mil dólares, mesmo valor pedido pelo modelo mais barato da Tesla, o sedã Model 3. Preço que equivale a quase R$ 170 mil. O prazo para chegada definitiva às lojas dos EUA é no final deste ano de 2019. E você do Brasil? Arriscaria ter o seu?

* Jorge Moraes é jornalista, influenciador digital, jurado do Prêmio UOL Carros e fala sobre tecnologia em automóveis. Viagem a convite da Ford

Mais Mobilidade