Topo

Testes e lançamentos

Testamos as tecnologias do Model 3 "basicão", o carro de entrada da Tesla

Ricardo Ribeiro

Colaboração para o UOL, em Lisboa (Portugal)

07/12/2018 07h00

Modelo desembarcou nas concessionárias da Europa neste mês, mas as entregas só começam em 2019; conheça como é o sedã

Promessa de um Tesla mais acessível, o Model 3 chegou às concessionárias da Europa este mês. Convidado pela marca, UOL Carros participou de uma apresentação técnica na loja de Lisboa e teve um primeiro contato com as principais tecnologias de bordo do modelo, mesmo ainda sem poder guiá-lo.

A Tesla nasceu com o esportivo Roadster, absolutamente para poucos, e passou para os familiares Model S, um sedã, e Model X, um SUV -- mas ainda com preços acima de 90 mil euros (ou US$ 102 mil nos EUA), o equivalente a R$ 400 mil, convertendo sem considerar taxas de importação e impostos.

Os valores do Model 3 na Europa ainda não estão confirmados -- ele está em fase de pré-venda, com sinal de mil euros e a promessa de entregas a partir do primeiro semestre do ano que vem. É esperado que o mercado europeu acompanhe, em certa medida, a tabela norte-americana, onde a versão básica, com autonomia de 350 km, sai por US$ 35 mil (R$ 137 mil). Versões com bateria de maior capacidade chegam a ter até 500 km de autonomia, com preços entre US$ 49 mil (R$ 190 mil) e US$ 64 mil (R$ 250 mil), além da opção de tração integral. O AutoPilot, modo de condução semi-autônoma para cidade e estrada, custa US$ 5.000 adicionais (R$ 20 mil).

Veja mais

+ Jeep mostra a Gladiator, a picape do Wrangler; conheça
+ Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
+ Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
+ Instagram de UOL Carros
+ Siga UOL Carros no Twitter

Por dentro do Model 3

Clientes de outros veículos podem estranhar a falta de uma profusão de botões e a ausência de informações atrás do volante. No entanto, o minimalismo faz sentido. Seja corte de custo ou aposta na tecnologia, uma vez que uma única tela na parte central é ao mesmo tempo quadro de instrumentos, computador de bordo e multimídia.

Analogicamente, é como se os carros da Tesla fossem os iPhones no mercado de celulares. Tudo em um Tesla é clean, prático e bem desenhado.

UOL Carros experimentou o Model 3 básico, onde há apenas uma tela central de 15 pol, mais acima e na horizontal. Vale lembrar que no S e no X ela é vertical, mais próxima do câmbio -- e nesses dois há uma outra, para o motorista, atrás do volante. As versões mais caras do Model 3 também oferecem duas telas.

Acompanhando os outros modelos da marca, ela funciona como um tablet grande, inteiramente sensível ao toque, fácil de usar e com comando de tudo. Carga da bateria, GPS, música, celular e até desempenho do carro são controlados por ela. Destaque para controle minucioso e futurista das rajadas de vento do ar-condicionado.

Ela vem com internet integrada (com WiFi e 5G) e tem atualizações constantes como celulares, inclusive para melhorias do modo de condução autônomo.

Volante espartano

O acabamento no geral é bom, com bancos de couro, detalhes em preto brilhante no console e faixas discretas de madeira e metal percorrendo o painel. Parte interna das portas e volante de plástico deixam a desejar na textura e montagem, ainda que sua pequenez seja bacana.

O celular do motorista continua funcionando como a chave, ao destravar o carro e permitir ignição quando é reconhecido pelo sistema, mas também há opção de encomendar uma chave-cartão física.

Enquanto o Mode S tem 4,98 m de comprimento, o Model 3 tem 4,69 m -- mas o entre-eixos de 2,88 m do 3 garante bom espaço interno. Com a bateria na parte central, há espaço para bagagens também na dianteira. Somando com o porta-malas, são cerca de 420 litros.

Sistema de navegação calcula recarga

Além da usabilidade e do grafismo agradável, a consideração inteligente do uso da bateria no sistema de navegação é interessante, considerando que um dos grandes medos do cliente de um carro elétrico é ficar na mão.

Na prática, ao traçar rota para um destino que está além da capacidade de autonomia da bateria, ele já aponta no mapa os melhores postos de recarga, com menor desvio de percurso possível, e também já calcula o tempo mínimo na tomada para obter os quilômetros que faltam.

Em um dos supercarregadores da rede mantida pela própria Tesla, 30 minutos colocam energia suficiente para o Model 3 rodar 210 km. Em estações comuns, uma hora rende 30 km. Atualmente são 1.375 pontos de recarga em América do Norte, Europa, Oriente Médio e Ásia, que somam no total 11.414 superrecarregadores.

Divulgação
Tesla Model 3 tem baixa capacidade de produção e, com isso, fila de espera grande em todo o mundo Imagem: Divulgação

Entregas

Lançado em 2016, o Model 3 tem uma bem sucedida pré-venda nos EUA desde então. No entanto, acumula reclamações de clientes na longa espera pela entrega do veículo. A produção, de capacidade reconhecidamente limitada, começou em 2017, pelas chamadas versões de bateria de autonomia prolongada, que são mais caras.

As entregas, portanto, só começaram no início deste ano para EUA e Canadá -- e quem pediu o modelo básico ainda amarga na fila. O presidente da marca, Elon Musk já chegou a dar declarações dizendo que precisa vender as configurações mais caras para que a marca se sustente.

Mais Testes e lançamentos