Topo

Testes e lançamentos

Range Rover Evoque muda e ganha cara de "mini-Velar"; conheça detalhes

Do UOL, em São Paulo (SP)

26/11/2018 15h08

Segunda geração do modelo é mais um carro da Land Rover a ganhar traços inspirados no Velar; estreia no Brasil deve ser em 2020

A Land Rover mostrou neste final de semana a segunda geração do Range Rover Evoque, crossover compacto que lançou a atual tendência de design seguida por todos os outros modelos da empresa.

Feito no Brasil desde 2016, o modelo agora ganhou traços inspirados no Velar, novo modelo da marca que foi lançado em 2017 e passou a inspirar visualmente todos os carros da marca.

A nova geração será feita no Brasil? A filial brasileira da Jaguar Land Rover ainda não se pronunciou, mas UOL Carros acredita que ele será importado em um primeiro momento para depois começar a ser fabricado em Itatiaia (RJ), local da planta brasileira da empresa. Tudo isso em 2020.

Veja mais

+ Mercedes Classe X será vendida junto com carros e caminhões
+ Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
+ Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
+ Instagram oficial de UOL Carros
+ Siga UOL Carros no Twitter

Como ele é

De acordo com a marca, o estilo do novo Evoque é uma evolução do tema original -- repare que é assim até em detalhes, como as maçanetas retráteis que só aparecem quando as portas são destravadas. A traseira também bebeu na fonte de design do Velar: ficou mais invocada e "malvada", enquanto as rodas podem ser de até 21 polegadas.

Mas são grandes as novidades "por baixo": o carro vai ganhar um novo sistema híbrido, tem mais espaço interno e não há mais versão de duas portas.

O modelo agora é feito sobre uma nova plataforma, chamada de "Premium Transverse Architecture" (Arquitetura Transversal Premium, em inglês), o que significa que toda a estrutura de montagem do conjunto mecânico pode ser transversal.

Os motores têm potência de 200, 250 e 300 cv a gasolina; e 150, 180 e 240 cv a diesel, todos com turbo. Só a versão a diesel mais fraco oferece caixa de câmbio manual com tração dianteira; os demais vêm de série com transmissão automática de nove marchas.

Por dentro, o quadro de instrumentos passa a ser digital com tela de 12,3 polegadas; no console, há outras duas na parte central, assim como no Velar -- mas isso só nas versões superiores. A central se conecta a CarPlay e AndroidAuto e há opções como áudio Meridian de 380 watts, tampa traseira elétrica e projeção elevada de informações.

Na prática, o carro ficou até um pouco mais curto que o anterior, mas o entre-eixos cresceu e o porta-malas aumentou -- chegando agora a 591 litros.

O híbrido? De acordo com a marca, no ano que vem haverá uma configuração com um motor três-cilindros a gasolina que terá auxílio de um motor elétrico, criando assim a primeira opção eletrificada do modelo.

Mais Testes e lançamentos